19 julho 2017

[Resenha] Escândalos na Primavera - Por Lisa Kleypas


<

Título: Escândalos na primavera
[As quatro estações do amor #4]
Autor (a): Lisa Kleypas
Páginas: 224
Editora: Arqueiro
Skoob || Encontre

Sinopse: Daisy Bowman sempre preferiu um bom livro a qualquer baile. Talvez por isso já esteja na terceira temporada de eventos sociais em Londres sem encontrar um marido. Cansado da solteirice da filha, Thomas Bowman lhe dá um ultimato: se não conseguir arranjar logo um pretendente adequado, ela será forçada a se casar com Matthew Swift, seu braço direito na empresa.
Daisy está horrorizada com a possibilidade de viver para sempre com alguém tão sério e controlador, tão parecido com seu pai. Mas não admitirá a derrota. Com a ajuda de suas amigas, está decidida a se casar com qualquer um, menos o Sr. Swift.
Ela só não contava com o charme inesperado de Matthew nem com a ardente atração que nasce entre os dois. Será que o homem ganancioso de quem se lembrava era apenas fachada e ele na verdade é tão romântico quanto os heróis dos livros que ela lê? Ou, como sua irmã Lillian suspeita, o Sr. Swift é apenas um interesseiro com algum segredo escandaloso muito bem guardado? Fechando com chave de ouro a série As Quatro Estações do Amor, Escândalos Na Primavera é um presente para os leitores de Lisa Kleypas, que podem ter certeza de uma coisa: embora as estações do ano sempre terminem, a amizade desse quarteto de amigas é eterna.

Resenhas anteriores:
As quatro estações do amor #1 - Segredos de uma noite de verão
As quatro estações do amor #2 - Era uma vez no outono
As quatro estações do amor #3 - Pecados no inverno


"Ela parecia uma boneca de porcelana abandonada no canto do sofá. Irritava Bowman ver a filha segurando um livro no colo com um dedo marcando a página. Obviamente ela mal podia esperar que ele terminasse de falar para que pudesse retomar a leitura."

Daisy Bowman era uma jovem de 22 anos, mas pouco se assemelhava à uma. Sua aparência pequena e esguia, juntamente com sua personalidade sonhadora e exuberante, faziam-na parecer uma criança. Para seu pai, Bowman, a mania da filha de se perder entre os livros e viver sempre no mundo da lua era, sem dúvidas, o motivo do fracasso que ela havia se tornado em sua vida matrimonial. Infelizmente, toda a sorte que ele havia tido com sua filha mais velha, Lillian, que de algum modo conquistara o conde lorde Westcliff, parecia ter se transformado em azar para casar a filha mais nova. Ela não parece atrair a atenção de nenhum cavalheiro e então, exasperado, resolveu solucionar esse problema para ela, casando-na com aquele que seria o genro dos seus sonhos.

"– Ele é um dos Swifts de Boston – contrapôs Bowman. – Dificilmente uma família pode torcer o nariz para isso. Tem um bom nome e uma boa linhagem. E o mais importante: Swift é dedicado a mim. É uma das pessoas com mais tino para negócios que eu já conheci. Quero-o como genro. Quero que herde minha empresa quando chegar a hora."

Dizer para Daisy que ela teria de se casar com Matthew Swift era o mesmo que dizer que seu noivo era o irmão gêmeo de seu pai. Desajeitado, ambicioso e alguém que exalava uma frieza muito oposta à personalidade calorosa da menina. No entanto, não havia muito o que ela pudesse fazer a respeito.

"– Devo salientar que minha cooperação é necessária, especialmente agora que estamos falando em herdeiros. E eu garanto que nenhum poder na Terra me forçará a ter filhos de um homem de quem eu não goste."

Porém Daisy está prestes a ter uma surpresa muito bem vinda. Reencontrar Matthew Swift pode provar a ela que os anos são sim capazes de mudar uma pessoa e que, ainda que não pareça, pode existir um mundo de sentimentos por trás de um homem tão aparentemente gelado. Desse reencontro pode nascer uma atração mútua que mostrará à jovem que histórias de amor podem sim ir além de seu mundo literário. No entanto, tal como todos os conflitos presentes nos romances com os quais ela está acostumada, o seu não poderia ser diferente. Ao que tudo indica, seu noivo esconde um segredo que pode atrapalhar tudo... ou não.





Como todos que leram minha resenha anterior já sabem, eu me apaixonei perdidamente pelo terceiro livro de As Quatro Estações do Amor e, partindo dessa premissa, vim cheia de empolgação e expectativas ler o próximo. Porém, me decepcionei. Sinto até uma dorzinha em dizer isso porque este é o primeiro de todos os livros de todas as séries que já li da Lisa que me decepcionou.

No entanto, parando para analisar os pontos positivos e negativos da história, percebi que talvez minha decepção tenha mais a ver com um personagem em específico. Sim, pessoal, minha decepção se chama Matthew Swift. Não é que ele tenha sido um mocinho frio mas, para mim, simplesmente sem graça. Faltou calor. Intensidade. Cor. Não consegui me apegar à ele. E essa falta de apego apenas se intensificou quando eu descobri o segredo que o dito cujo guardava. Tive vontade de pegá-lo pelos cabelos e dizer "sério, você fez todo esse estardalhaço por isso?" claro que não posso dar nenhuma prévia de qual é o segredo, mas preciso adiantar que, pelo menos para mim, foi algo muito decepcionante. Eu esperava uma explosão e não vi se quer uma fumacinha.

Mas sim, o livro também tem seus pontos positivos. Daisy, por exemplo, Daisy é linda. Fofa. Me arrancou várias risadas com sua personalidade um tanto peculiar e espevitada de ser. Além de, claro, seu jeito todo especial e doce de cuidar e proteger as pessoas que ama, que com certeza conquistou meu coração.

O livro também mostra partes da vida das três protagonistas dos livros anteriores, as amigas Annabelle e Evie e a irmã mais velha de Daisy, Lillian. Coisa que eu adorei, porque ver aquelas quatro juntas é sinônimo de comédia.

No fim das contas, tive lá minhas frustrações com o livro, mas com certeza foi uma leitura que valeu a pena. Talvez não tenha servido para eu me apaixonar pelo mocinho, mas sem dúvidas foi eficaz para umas boas risadas e para me encantar mais um pouquinho com o estilo único de ser de cada uma das meninas dessa série maravilhosa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário