02 junho 2017

[Resenha] A árvore dos anjos - Por Lucinda Riley



Título: A árvore dos anjos
Autor (a): Lucinda Riley
Páginas: 496
Editora: Arqueiro
Skoob || Encontre

Sinopse: Trinta anos se passaram desde que Greta deixou de morar no solar Marchmont, uma bela e majestosa residência na região rural do País de Gales. A convite de seu velho amigo David, ela decide retornar ao lugar para comemorar o Natal. Porém, devido a um acidente de carro, Greta não tem mais lembranças da época em que vivia na propriedade, assim como de boa parte de seu passado.
Durante uma caminhada pela paisagem invernal de Marchmont, ela encontra uma sepultura no bosque, e a inscrição na lápide coberta de neve se torna a fagulha que a ajudará a recuperar a memória.
Contudo, relembrar o passado também significa reviver segredos dolorosos e muito bem guardados, como o motivo para Greta ter fugido do solar, quem ela era antes do acidente e o que aconteceu com sua filha, Cheska, uma jovem de beleza angelical... mas que esconde um lado sombrio.
Da aclamada autora da série As Sete Irmãs, A Árvore dos Anjos é uma história tocante sobre amores e perdas, sobre como nossas escolhas de vida podem tanto definir quem somos como permitir um novo começo.

 "Tinha um forte pressentimento de que a chegada de Greta a Marchmont mudaria o destino de David. E, por alguma razão desconhecida, também o dela."

Greta é uma mulher de 58 anos, sozinha e entediada no ano de 1985. No natal daquele ano, David, seu amigo, consegue convencê-la a voltar ao solar de Marchmont, uma residência imponente, que fez parte do passado de greta, mas sobre a qual ela não tem a menor lembrança. Parte do motivo para David querer levá-la até o local, é que ainda resta nele a esperança de que Greta se lembre do lugar, e das lembranças que estão enterradas lá, para que finalmente alguns ciclos se esclareçam e se fechem, e, para a surpresa de todos, após alguns vislumbres de objetos e lugares conhecidos, isso ocorre.

"Greta Simpson nunca se atrasava. Mas, nesse dia, havia dormido demais, até depois das dez, mesmo tendo que estar no teatro às onze horas. Valera a pena correr os 800 metros até o ponto de ônibus, pensou ela com ar sonhador, olhando-se no espelho. A noite anterior com Max, dançando madrugada adentro e passeando de mãos dadas pelos jardins do Embankment enquanto o sol nascia sobre Londres, fizera tudo valer a pena. Greta suspirou ao se lembrar de seus beijos apaixonados."

A partir daí, Greta é jogada de volta ao ano de 1945, e mergulha fundo nas lembranças do passado, e se lembra do que lhe aconteceu logo após o fim da segunda guerra mundial, quando ela era uma garota sonhadora e deslumbrada, que fugiu de seu lar problemático, para tentar ter uma vida melhor em Londres. Chegando na cidade, trazendo na bagagem o sonho de se tornar uma atriz famosa e conhecida, logo ela se vê em apertos para conseguir sobreviver. Então, consegue uma vaga em um teatro, como uma dançarina, e descobre ter de ficar nua na frente de centenas de homens que pagam para assistir a ela e à suas colegas, porém, se convence de que irá fazer aquilo somente por algum tempo, até lhe aparecer algo melhor. Logo, parece que seus pedidos são ouvidos, e surge em seu caminho Max, um americano que participou da guerra, e que está prestes a voltar para a sua terra natal. Encantado com a beleza e simpatia da garota, logo Max começa cortejá-la, sem saber do trabalho de dançarina da garota, e depois de muito pouco tempo a pede em casamento. Greta aceita, porém, na noite anterior a partida de Max, ele é arrastado por seus colegas para o teatro onde Greta trabalha, e ao vê-la nua, no palco daquele local, foge e volta para os Estados Unidos, sem qualquer adeus.

"– Nesse caso, não posso cometer um assassinato por um erro que cometi, não é? Negar ao bebê o direito dele à vida. Não sou religiosa, mas acho que nunca me perdoaria por matá-lo. Por outro lado, que futuro pode haver para qualquer um de nós, se eu o trouxer ao mundo? Nenhum homem jamais vai tornar a olhar para mim. Uma garota do Windmill e grávida aos 18 anos. Está longe de ser um bom histórico, não é?"

Passados dois meses, Greta está ainda com o coração partido pela perda do americano que ela vinha aprendendo a amar. Logo, descobre também ter mais algo a acrescentar a sua vida já atribulada, uma gravidez inesperada, fruto da única noite de amor que teve com Max. Sozinha, perdida, sem dinheiro e em breve sem emprego, ela pensa em fazer um aborto, mas logo descarta a possibilidade. É então que David, um comediante do teatro, apaixonado por Greta, resolve ajudá-la, mandando-a para o chalé de sua família, no interior para que lá ela possa ter seu filho em paz. Porém, ao chegar no local, ela conhece alguém que se casa com ela e lhe dá uma vida digna, porém, pouco tempo depois a vida de Greta vira novamente de cabeça para baixo, e não lhe resta mais nada, a não ser a hipótese de voltar para Londres, com Cheska, sua filha, que ao chegar na cidade, logo chama a atenção de grandes diretores de cinema e se torna uma estrela, realizando o sonho da mãe e sendo considerada um anjo, por todos que a conhecem. Porém, logo Cheska, a filha de Greta, se mostra uma menina diferente e com um lado obscuro e desconhecido, que é ao mesmo tempo intrigante e assustador.

"Parecia falar com alguém enquanto arrancava a cabeça de um velho urso de pelúcia e começava a retirar o estofo. Torceu o braço do ursinho até decepá-lo por completo. Em seguida, pegou a cabeça e se pôs a arrancar os dois olhos de botão. Um deles se soltou na sua mão, ela enfiou o dedo pelo buraco deixado pelo botão perdido, e riu. Foi um som de dar calafrios."

Com uma história misteriosa, intrigante e que nos prende da primeira à última página, Lucinda Riley mais uma vez mostra todo o seu dom para a escrita e nos deixa perplexos com tanta genialidade para criar histórias incríveis e inesquecíveis.

"O amor é uma coisa muito estranha, Cheska. Ele pode modificar sua vida e levá-la a fazer coisas que, à luz fria do dia, você saberia que estavam erradas."





É inegável que sou uma grande fã de Lucinda Riley, e talvez seja por isso que eu acho extremamente complicado falar sobre um livro escrito por ela, ao terminá-lo, e enquanto tento fazer isso, as palavras saem aos jorros de minha mente, e ao mesmo tempo são muito pouco para descrever tudo o que uma obra dessa autora me faz sentir. Mas posso ressaltar, primeiramente, que foi um livro que me fez ter uma enxurrada de sentimentos, passando da alegria, pela tristeza, por frustração, irritação, raiva, agonia, até o grande final, que me proporcionou simplesmente satisfação. Sim, satisfação, pois Lucinda não é uma autora que constrói uma obra no espaço de tempo de três meses. Pelo contrário, ela acompanha uma vida, desde o princípio de acontecimentos importantes, e leva isso, como um fio condutor, até muitos anos depois, sempre nos deixando acompanhar a história daqueles personagens, até nos fazer sentir que somos amigos íntimos de cada um deles. Lucinda cobre vidas inteiras, e no final, faz com que sintamos que mesmo com todas as perdas, as desilusões e as alegrias, tudo aquilo valeu a pena e que agora os personagens tem uma vida pela frente, na qual eles encontrarão dificuldades e alegrias, mas nos deixa saber que eles poderão superar de alguma forma tudo o que lhes surgir.


Para mim, essa ligação que criamos com os personagens foi um dos pontos mais positivos, pois dessa forma, vibramos, choramos e sentimos raiva junto com eles. Também, achei incrível a forma como ela construiu tudo de forma sutil, até nos prender em uma teia de curiosidade que não nos permite largar o livro até a última página. E falando em última página, Lucinda criou nesse livro vários mistérios que nos deixam ansiosos e curiosos para compreender o que há por traz de diversos acontecimentos marcantes que presenciamos, e que só são esclarecidos ao final. Ela também mexe com nossa mente de uma forma intensa, e nos faz sentir arrepios de temor do que virá pela frente, a cada capítulo que lemos. Ainda, cabe um destaque para o quão bem ela caracterizou seus personagens, que trazem lados ambíguos, nos despertando ao mesmo tempo afeto e asco em relação às suas atitudes. Cabe destaque também, para o quão realista a história é, fazendo com que tudo aquilo que nos é descrito, possa ser imaginado perfeitamente acontecendo com pessoas reais. Nesta obra, também foi abordada a presença de alguns problemas de ordem psicológica e psiquiátrica, nos trazendo com perfeição os seus sintomas, e nos causando uma diversidade de reflexões.


É difícil encontrar pontos negativos a serem mencionados. Mas aqui, uma das coisas que me incomodou, e talvez ela se deva mais por meu próprio envolvimento pessoal do que por culpa do livro, foi a demora para as coisas começarem a fluir e se tornarem intrigantes, pois senti que o começo foi muito introdutório, e os mistérios começaram a aparecer a partir da metade do livro, que foi onde fui sugada e não consegui mais largar. Além disso, para quem gosta de tramas menos detalhadas e que se passem em menos tempo, esse livro pode ser um pouco irritante.


O livro traz personagens muito bem caracterizados e cada um tem papel marcante na obra. Além disso, a maioria deles foi criado com muita maturidade, e mesmo quando há aqueles que tomam atitudes insensatas, ainda assim conseguimos encontrar justificativas para elas , mesmo que não concordemos com estas. Greta,a  origem de tudo, é uma mulher que comete diversos erros, mas que no fim é alguém carente, que só deseja ajudar, e realizar seus sonhos, e nos sentimos solidarizados durante a trama com toda a sua jornada de certa maneira infeliz. Ainda, outra personagem marcante é Cheska, a filha de Greta, que nos faz passar por diversas fases, desde aquela na qual a amamos intensamente, até chegarmos aquela que nos faz sentir ódio, e preciso admitir que em alguns momentos eu gostaria de entrar no livro para sacudi-la. Ainda, David é um exemplo imenso de resiliência e de amor, e seu papel e ajuda na vida de Greta e de sua família é uma das coisas mais importantes que encontramos. Outros personagens secundários também foram muito bem construídos, e todos tiveram imensa importância para a trama.


O livro é narrado em terceira pessoa, e possui cinquenta e seis capítulos. Ainda, ele começa no ano de 1985, nos primeiros capítulos, e logo depois, volta as lembranças do passado, em 1945, e durante a obra, transitamos entre o passado e o presente, mas em nenhum momento isso se torna confuso. A leitura  foi realizada em ebook e não encontrei erros.


Recomendo essa obra veementemente, tanto para aqueles que já conhecem Lucinda Riley e são fãs de suas histórias, pois essa será mais uma que reforçará o amor pela escrita da autora, e também recomendo para aqueles leitores que não a conhecem, pois a partir dessa leitura, certamente poderão conhecê-la em seu melhor estilo, com uma obra que cativa e prende até o final.



33 comentários:

  1. Ola
    Parece ser um livro misterioso e eu não sei como ainda não tinha lido nada a respeito. Ja conheço a escrita da autora e gosto muito de seu desenvolvimento. Fiquei surpresa com essa trama, ainda mais por ter elementos que chamam tanto a minha atenção. Pelo que pude compreender, sentimentos é o que não faltam heim..
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Olá adorei a resenha e fotos, fiquei muito curiosa pela história, sai do tradicional de leitura jovens e etc, a capa do livro é linda!

    ResponderExcluir
  3. Heiii, tudo bem?
    Lucinda Riley arrasa ne?!
    Ainda nao li o seu livro A árvore dos anjos, mas tenho visto mtas resenhas posivitivas, ainda bem.
    Fico feliz que tenha gostado desse livro que trouxe tantaas emoçoes diferentes a vc.
    Gostei tb do que falou dos personagens, que pelo jeito sao o ponto alto da obra.
    Vou tentar ler o quanto antes e adorei a dica.
    Beijos.

    Livros e SushiFacebookInstagramTwitter

    ResponderExcluir
  4. Oi, tudo bem?
    Também sou super fã de Lucinda e entendo perfeitamente como você se sente em ler um livro dela. Ela sempre escreve os personagens com características marcantes que nos deixam sem chão, isso sem falar na passagem de tempo que já é marca registrada dela. Ainda não tive oportunidade de ler esse livro, mas sua resenha me deixou louca de curiosidade.
    Bjs!
    Fadas Literárias

    ResponderExcluir
  5. Oi, Tamara.
    Confesso que sou uma pessoa meio maluca e sou super fã da Lucinda mesmo sem ter lido seus livros ainda!! E olha que eu tenho a maioria deles na estante!! Apesar de não ter lido, sei que quando fizer isso vou amar, porque adoro a forma como ela constrói suas histórias. Eu curto muito esses livros mais lentos no começo e que acompanham muito da vida de uma personagem!
    Com certeza vou querer esse livro também e acho até que vou começar a ler os livros dela por esse!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Tenho apenas um livro da autora Lucida Riley, e ainda não li. Fiquei muito encantada por sua resenha e todo o drama da personagem. Seria melhor ter ficado sem as lembranças.. rsrs vou anotar a dica, quem sabe inicio a leitura da autora por esse livro. P.S.: Capa linda!
    Abs
    Nizete
    Cia do Leitor

    ResponderExcluir
  7. Eu nunca li nada da da autora, apesar de ter o primeiro livro da série sete irmãs... isso se deve a fatores que nada tem a ver com falta de interesse muito pelo contrário sempre tive curiosidade de conhecer sua escrita tão elogiada, até gostei da premissa desse livro é da forma que ele se desenvolve deixando um ar de mistério, mas o fato das coisas demorarem um pouco para pegar o ritmo deixa claro que não devo começar minha jornada por esse título em especial, talvez eu aproveite o que já tenho aqui para me lançar na escrita dela.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tamara! Tenho muita vontade de conhecer a escrita da Lucinda e esse era um dos livros que eu estava louca para ler alguma resenha haha. Me surpreendi bastante com o conteúdo e adorei o fato da história mostrar duas épocas diferentes contando o passado e o presente da Greta. Parece ser uma história realmente envolvente e emocionante! Sua resenha está ótima, obrigada pela dica. Bjss!

    ResponderExcluir
  9. Olá,

    Não posso me considerar fã da Lucinda porque só li um livro até hoje, mas já tenho outro aqui comigo para ler em breve. A capa desse livro me chamou muito a atenção, nunca procuro saber muito sobre os livros que quero ler, por isso não sabia bem o que o livro traria. Acho curioso o fato de a autora sempre intercalar suas histórias entre passado e presente. Sei que a autora gosta de ser descritiva em seus livros, mas no caso dos livros dela, não é um problema para mim. Quero muito ler esse livro!

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Eu já ouvi falar muito da Lucinda, mas somente agora, lendo sua resenha, é que fiquei realmente interessada em ler algum livro. Essa história parece ser muito intrigante e já me deixou curiosa. Amei sua resenha! Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá! nunca li um livro desta autora. Mas a parti de sua resenha já sei por onde começar. Gosto muito deste tipo de leitura História boa para ninguém botar defeito. No fim ficamos destruídas é verdade. Mais vale apena tenho, certeza. Obgd por nós apresentar está preciosa dica.

    Abraço

    ResponderExcluir
  12. Eu nunca li nenhum livro da Lucinda, confesso. Infelizmente os livros dela nunca tem enredos que me atraem, apesar de sempre parecerem leituras interessantes. Eu acho que ainda é uma leitura muito fora da minha zona de conforto no momento.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  13. oi tudo bem
    esta escritora nunca me chama atenção.
    tenho medo de ler este livro e ficar confusa devido a partes da memorias dela, mais fiquei intrigada apara saber no que esta historia vai da.
    espero um dia ter oportunidade de ler alguma obra desta autora ja que so esculto coisas boas sobre ela.

    ResponderExcluir
  14. Nunca li nada da autora, apesar já ter ouvido falar bem dos livros dela. Fiquei curiosa para ler esse e descobrir o passado da protagonista, gosto bastante de coisas que falam da 2a guerra mundial então fiquei curiosa para saber um pouco de como ficaram as coisas logo após ela.

    ResponderExcluir
  15. Oie!
    Eu já li alguns livros da autora e adorei a narrativa!
    Ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, estou enroscada com outros títulos, mas quero fazer a leitura em breve.
    Desde que sobre o lançamento, estou curiosa para conferir.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  16. Oie, tudo bem?
    Ainda não li nenhum livro da autora, mas acredito que esse seria uma ótima maneira de começar! Adorei saber como é instigante a leitura, mesmo sendo meio lenta no começo. A maioria dos livros de mistério são assim, e essa é a graça. Quando menos espera, PÁ. Haha

    Bela resenha!

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bom?

    Nunca li nada da autora mas fiquei bem curiosa para ler esse livro e conhecer todo o passado da protagonista, que parece ser bastante interessante.
    As fotos ficaram lindas, amei *-*

    Beijos:*

    ResponderExcluir
  18. Oi.

    Eu pensei muito em solicitar este livro, mas optei por outro. Tenho muito interesse em ler um livro dessa autora, ainda não li nenhuma resenha desse livro e depois de ler a sua, fiquei ainda mais ansiosa pela leitura.

    ResponderExcluir
  19. Olá Tamara, tudo bem???

    Quando comecei a ler a resenha, torci o nariz, porque de imediato senti que a leitura não era pra mim, mas conforme fui lendo a história, fui voltando atrás em meu julgamento e sentindo que a história falava muito comigo e no fim de suas impressões, tive certeza de que na primeira oportunidade irei ler este livro. Adorei tudo que escreveu e o enredo me conquistou. A história fala de uma mulher que sofreu e mesmo assim continuou seguindo em frente firme e forte... curti. Xero!

    ResponderExcluir
  20. Olá, Tamara

    Eu nunca li nada da autora, e por mais comentários positivos que eu leia não consigo sentir aquele interesse, sabe?
    Algo nessa história não me chamava atenção, e ao ler a sua resenha, conforme você ia destrinchando o enredo, eu descobri o que é: é a sensação de que as coisas demoram a acontecer, porque sempre que leio resenhas sinto que muita coisa acontece antes da história pegar no tranco.
    A única coisa que me deixou curiosa foi Cheska, mas acho que não lerei o livro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Oiee Tamara ^^
    Esse não é necessariamente um livro que eu morro de vontade de ler, mas tenho curiosidade de conhecê-lo. Acho que essa foi a primeira resenha dele que eu li, e fiquei muito feliz de ver que ele mexeu tanto com você a ponto de ser favoritado. Fiquei um pouco animada...haha' mas quem vai lê-lo no blog é o Heitor, quem sabe eu não pego emprestado depois *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  22. Olá Tmara,
    Como sempre, sua resenha está incrível. Eu gosto muito de obras da Lucinda e acho que é muito bacana a forma como ela escreve sobre os seus personagens e a trama em si. É muito fácil se envolver e sentir o que os personagens sentem quando se trata da Lucinda, mas acho que é comum essa lentidão nas obras da autora, tanto que sinto isso nas obras que já li.
    Claro que vou anotar a dica desse livro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Oiiii,

    Eu nunca tinha lido nada sobre o livro, mas achei a capa dele bem parecida com a de A Destinada da Paula Ottoni, apesar de as histórias não terem nada a ver rs. Achei o enredo bem interessante, mas fiquei com um pé atras por conta dos fatos que demoram a se desenrolar. De toda forma eu gostei da resenha e da maneira como você transmitiu o que sentiu com o livro, então vou colocar ele na minha listinha de próximas leituras.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  24. Oi! Adorei a premissa do livro! É raro encontrar histórias que não são narradas por adolescentes ou jovens adultos, não é? Acho que isso só já dá um ar bem diferente a tudo. Quanto à filha, o que é isso? Socorro, medo dessa menina! Não tinha ouvido falar dessa autora ainda, mas agora com certeza vou conferir suas obras.

    ResponderExcluir
  25. OI!
    Gostei muito da sua resenha, por mais que eu não seja a melhor fã da autora é inegável que ela consegue fazer o leitor se apegar ao personagem em um nível extremo, e isso se dá por acompanharmos a jornada daquela personagens por anos, conseguirmos compreender todas as suas nuances e suas evoluções como uma pessoal real.
    Pelo jeito esse é mais um livro lindo da autora, e que se um dia eu tiver a oportunidade irei lê-lo

    ResponderExcluir
  26. Olá, tudo bem? Nossa adorei a resenha. Ainda não tive oportunidade de ler nada da autora, mas consegui captar todos os seus sentimentos a ler algo dela. A premissa é bem interessante, e parece cheia de reviravoltas, ainda mais começando com isso de voltar ao passado com a personagem. Chocada e curiosa! Espero ler em breve e me apaixonar assim como você <3
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  27. Oiee!
    Confesso que no começo da resenha não estava me interessando muito pelo livro... Até que chegou no mistério de Cheska! hahahaha Fiquei curiosíssima para saber que segredos ela esconde...
    Eu estava esperando apenas um romancinho, mas saber que ela aborda transtornos psiquiátricos e que sua história tem um quê de suspense, me atraiu bastante para conhecer a autora e o livro.
    Um beijo

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  28. Nunca li nenhum livro da Lucinda porque não é bem o meu tipo de história, mas achei essa muito bacana por essa questão de idas e vindas no tempo narrativo e toda a trama das dificuldades de uma mulher solteira com uma filha. Gostei e se tiver oportunidade farei leitura.

    ;*

    ResponderExcluir
  29. Oi,
    Eu tenho livros dessa autora, mas ainda não li nenhum. Preciso fazer essa correção urgente, porque sempre vejo ótimos comentários sobre a narrativa dessa autora.
    Terminei a leitura da sua resenha curiosa para saber os mistérios que envolve e conhecer melhor essa personagem.
    Parabéns pela resenha
    beijos
    www.conchegodasletras.com.br

    ResponderExcluir
  30. Oi Tamara, tudo bem?
    Eu estou doida para conhecer as obras da autora, acredita que nunca li nada dela? é uma vergonha mesmo! ahahah mas acho que seria uma boa começar por esse livro, achei a premissa intrigante e curiosa, bem do jeitinho que eu gosto. Ótima resenha! com certeza lerei ele me breve.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  31. Olá
    que legal a sinopse, adorei. Muito bonita a história apesar da capa ter saido super tipica hahaha adorei sua resenha, dica mais que anotada

    beijos

    ResponderExcluir
  32. Oi
    Nunca li um livro da Lucinda e solicitei a Arqueiro essa cortesia para conhecer a escrita e estilo da autora.
    Mas ao ler uma resenha tão apaixonada com a sua, não tenho dúvidas de que vou amar. Gosto dessa premissa e por ser personagens mais velhas, fico ainda mais curiosa.
    Amei a dica e espero gostar tanto quanto você
    Beijinhos
    Rizia Castro - Livroterapias


    ResponderExcluir
  33. A capas de Lucinda estão cada vez mais diferentes, isso pode ser encarado como um olhar meio "estações do ano" me parece que ela sempre se importa com isso, e acho fantástico. Creio que o que te decepcionou, a demora dos acontecimentos tenha a ver com a sua ligação com os personagens, você se envolve a tal ponto que precisa saber logo o que acontece. Não conhecia essa obra e adorei sua resenha.

    ResponderExcluir