07 junho 2017

[Lançamentos] Editora Rocco - Junho






O Conto de Aia - Por Margaret Atwood
Escrito em 1985, o romance distópico O conto da aia, da canadense Margaret Atwood, tornou-se um dos livros mais comentados em todo o mundo nos últimos meses, voltando a ocupar posição de destaque nas listas do mais vendidos em diversos países. Além de ter inspirado a série homônima (The Handmaid’s Tale, no original) produzida pelo canal de streaming Hulu, a ficção futurista de Atwood, ambientada num Estado teocrático e totalitário em que as mulheres são vítimas preferenciais de opressão, tornando-se propriedade do governo, e o fundamentalismo se fortalece como força política, ganhou status de oráculo dos EUA da era Trump. Em meio a todo este burburinho, O conto da aia volta às prateleiras com nova capa, assinada pelo artista Laurindo Feliciano.rgaret Atwood








O caminho de casa - Por Yaa Gyasi
Nas primeiras páginas, conhecemos Effia, nascida no século XVIII, no calor almiscarado da terra dos fântis de Gana, na Costa do Ouro africana. Uma das mais belas jovens de sua aldeia, vítima da ira constante da mulher que a criou, Effia se vê afastada da família ao ter sua mão concedida a um homem branco, James Collins, governador britânico recém-nomeado para o Castelo de Cape Coast. Ali, no conforto de seu novo lar, Effia não pode imaginar que sua meia-irmã axânti, Esi – da qual desconhece a existência –, está no calabouço, empilhada com outras centenas de escravos, em meio a excrementos e gritos de raiva e medo, à espera dos navios que os levarão para as plantations na América do Norte e do Caribe.

É nos ramos da árvore genealógica de Effia e Esi que Yaa Gyasi explora os reflexos da escravidão ao longo de 250 anos. Cada capítulo em O caminho de casa tem seu protagonista e sua história de opressão, mantida não apenas pelas correntes físicas enroladas nos pulsos e tornozelos, mas também pelas correntes invisíveis que envolviam a mente mesmo após o fim do comércio legal de escravos.








Os fantasmas - Por César Aira
Tempo e espaço são restritos: no último dia do ano, um novo prédio de luxo em Buenos Aires deve ser entregue aos proprietários; a construção, no entanto, segue inconclusa. Os habitantes desse pequeno universo, por outro lado, são abundantes e diversos. Pela manhã passam por lá os futuros moradores, acompanhados de arquitetos e decoradores, subindo e descendo, tirando medidas e tomando notas, enquanto, paralelamente, o trabalho dos pedreiros não cessa e o porteiro segue precária e provisoriamente ocupando um dos pisos. Mais tarde, entra em cena mais um grupo de personagens: são Os fantasmas, que dão nome ao romance do argentino César Aira.

Mais inconvenientes que assustadores, os fantasmas surgem como uma verdadeira legião, saindo daqui e dali, com rostos inverossímeis e sempre propensos a, sem razão aparente, gargalhar e gritar como balões estourando – ainda que, em certo ponto da trama, o leitor acabe descobrindo que eles também podem conhecer a seriedade. Flutuam estupidamente como fantoches, porém são opacos, bem opacos, por mais que seus corpos branqueados até o último centímetro de pele por uma camada espessa de pó branco possam se confundir com a luz.  








A perda de si - Por Antonin Artaud
Coleção Marginália: as bordas do universo literário
Depois de A aventura do estilo – Ensaios e Correspondências de Henry James e Robert Louis Stevenson, o segundo livro da coleção Marginália, dedicada a textos pouco conhecidos de grandes escritores modernos, apresenta pela primeira vez ao leitor brasileiro uma seleção abrangente das cartas do francês Antonin Artaud (1896-1948), um dos mais influentes artistas e pensadores do século XX, escritas em diferentes momentos de sua vida a amigos como Anaïs Nin, André Breton, Jacques Rivière e outros. Organizado pela professora da PUC-Rio Ana Kiffer, A perda de si revela, por meio dessa correspondência rica em reflexões sobre teatro, literatura, marxismo e psicanálise, entre outros temas, a gênese e as transformações do pensamento de Artaud, um dos grandes renovadores da dramaturgia do século XX, que influenciou não só nomes ligados ao teatro, como Peter Brook e José Celso Martinez Corrêa, mas também escritores do movimento beat e intelectuais como Gilles Deleuze e Jacques Derrida. 








Querida Filha - Por Elizabeth Little
Dez anos atrás, em um julgamento que parou a América, a jovem celebridade Janie Jenkins foi condenada pelo assassinato de sua mãe. Agora, ela foi libertada devido a um problema com as provas. E está disposta a provar sua inocência e desvendar o mistério que envolve as últimas palavras da vítima. Mas primeiro precisa driblar a mídia, que promete não deixá-la em paz. Querida filha é o livro de estreia de Elizabeth Little. Um thriller sensacional sobre uma heroína improvável que talvez tenha matado a própria mãe.

Bem-nascida, educada, criada na Europa e recém-saída da prisão. Janie Jenkins foi presa no auge da fama, acusada de ter matado a mãe, uma socialite famosa pelas obras de caridade e a capacidade de arrumar maridos ricos. Liberada pela justiça, Janie tem apenas uma pista do que pode ter ocorrido há dez anos, um nome: Adeline.

Mas primeiro precisa despistar a imprensa e o interesse mórbido do público. Com o apoio relutante de seu último advogado, Janie consegue “sumir” e parte para Dakota do Sul, em busca de redenção. Lá, encontra muito mais do que esperava. São muitas perguntas e poucas respostas, mas que podem esclarecer bem mais que o assassinato de sua mãe. Pistas que podem mudar toda a sua vida.






Marlena - Por Julie Buntin
Cat tem 15 anos e se sente sozinha e perdida ao deixar para trás o mundo que conhecia para viver numa pequena cidade no interior de Michigan. Mas sua vida se transforma quando ela conhece sua nova vizinha. Marlena é uma garota destemida, determinada e fora de controle. Logo as duas se tornam inseparáveis e passam a testar seus limites, em busca de novas experiências e, principalmente, de um sentido para a vida. Até que um desfecho inesperado põe fim a esta amizade. Quase 20 anos depois, Cat relembra aquele período de excessos e ainda luta para perdoar a amiga e a si mesma, neste romance ao mesmo tempo sensível e brutal sobre uma amizade obsessiva e sobre pessoas que, não importa o quanto se demorem, deixam marcas profundas na vida de outras.








O selvagem - Por Kristen Ashley
Depois de conseguir o divórcio, Tessa O’Hara se tornou a dona de uma bem-sucedida loja de bolos e doces. Quando o atraente Jake Knox entra no estabelecimento e, em poucos segundos, a convida para sair, ela aceita quase que imediatamente, mesmo sem acreditar que tenha despertado o interesse de um homem tão bonito. Quatro meses depois, eles continuavam juntos, contrariando a expectativa de Tess de que alguém tão incrível não seria para ela.
Na primeira noite em que vão para a cama, uma surpresa: um telefonema depois do sexo faz Jake sair às pressas, forçando Tess a prometer que conversariam depois. Ela demora a cair no sono, mas não dorme por muito tempo. É acordada pela polícia arrombando a porta da casa e acaba levada para a delegacia. Seu ex-marido, Damian Heller, está envolvido com tráfico de drogas e os investigadores querem saber se Tess também tem ligação com o mundo do crime.
Na sala de interrogatório, Tess acaba confessando que não é criminosa, mas sim vítima: fugiu de Damian e pediu o divórcio para se livrar de um marido que passou a agredi-la e chegou a estuprá-la. O que ela não sabia era que confessar seu maior segredo a um estranho não seria a pior coisa a lhe acontecer naquela madrugada. Enquanto chamava um táxi para deixar a delegacia, Tess reconhece um homem em uma das salas e fica chocada ao ver o distintivo brilhante no cinto dele. Jake Knox, o seu namorado, era na verdade Brock Lucas, policial que trabalhava disfarçado em investigações sobre o narcotráfico.









Você é fera - Por Jen Sincero
Um livro de autoajuda diferente de todos os outros. Há mais de 70 semanas na cobiçada lista dos mais vendidos do The New York Times, Você é fera traz a verve feminina, divertida, pop (e por vezes desbocada) da coach de sucesso Jen Sincero. São 27 capítulos curtos que ensinam o leitor, através de histórias inspiradoras, dicas sobre dinheiro, comportamento e relacionamentos, exercícios práticos e um palavrão de vez em quando, a descobrir a origem de seus problemas, evitar as armadilhas de autossabotagem, encontrar a força interior necessária para mudar e a estabelecer seus objetivos e alcançá-los.
Em linguagem franca e direta, ao estilo da autora: depois de ler Você é fera, você vai entender por que é do jeito que é, como pode amar o que não pode mudar, como pode mudar o que não ama e aprender a usar a sua força para arrasar de verdade. Abordando técnicas que vão da psicanálise à meditação, o livro é um guia rápido para a transformação pessoal.
Jen Sincero defende que as grandes mudanças são sempre dolorosas, mas também fundamentais para a conquista de uma vida plena. A obra vai direto ao ponto dos hábitos que levam à autossabotagem e ao conformismo, e inspira mudanças radicas de postura, principalmente em relação ao sucesso financeiro. A autora parte sempre da premissa de que todos são capazes de conquistar seus maiores sonhos, só geralmente ficam adormecidos em cotidianos tediosos por falta de iniciativa. Você é fera vem para chacoalhar quem ainda não conseguiu começar. 






A sombra de Kissinger - Por Greg Grandin
Autor do aclamado Fordlândia, sobre a cidade perdida de Henry Ford na selva amazônica, o historiador Greg Grandin mergulha na trajetória de Henry Kissinger e defende que, para entender a política externa norte-americana hoje – com suas incursões militares que se arrastam por anos no exterior e a polarização política interna do país – é necessário decifrar o controverso secretário de estado de Richard Nixon e Gerald Ford. Partindo da análise da produção acadêmica de Kissinger e de um grande número de documentos secretos e outros oficiais, muitos liberados apenas recentemente, o autor vai além do registro biográfico e traça a linha de raciocínio que interliga a ascensão do neoconservadorismo, que levou o país a guerras desastrosas como a do Iraque e a do Afeganistão e ao surgimento de figuras como Donald Trump no cenário político, com o legado de Kissinger, responsável por fomentar a política intervencionista beligerante dos EUA no pós-guerra.






Um garoto de 16 anos tímido e retraído que sofre de agorafobia transtorno de ansiedade muitas vezes ligado à síndrome do pânico que se refere ao medo de lugares, pessoas e situações uma menina ambiciosa e realista que sonha em entrar para a faculdade de psicologia. Determinada a provar que merece ser aceita no segundo melhor curso do país, Lisa se aproxima de Solomon para ajudá-lo a superar suas dificuldades, trazendo também seu encantador namorado, Clark, para próximo de sua cobaia. Logo, os três formam laços inesperados de amizade. À medida que se conhecem melhor, porém, os planos de Lisa começam a sair de controle, e cada um deles é obrigado a rever suas certezas e encarar seus medos. Será que Sol, Lisa e Clark conseguirão encontrar novos arranjos em suas vidas, servindo de apoio um ao outro na difícil tarefa de encarar a vida adulta que se aproxima.








Jane Austen roubou meu namorado - Por Cora Harrison
Baseado nos diários da escritora Jane Austen na adolescência, este divertido romance juvenil é uma história de aventura, mistério, fofocas e, claro, flertes e paixões. Uma das autoras mais queridas em todo o mundo, cujo bicentenário de morte ocorre este ano, Jane Austen (1775-1817) segue arrebanhando uma legião de fãs em pleno século XXI com romances nos quais retrata a sociedade inglesa de sua época com precisão e ironia. Em Jane Austen roubou meu namorado, a escritora irlandesa Cora Harrison recria, para os jovens de hoje, a atmosfera dos livros da própria Jane Austen mesclando ficção e dados reais, a partir dos diários da autora de Orgulho e preconceito. O livro retrata as peripécias amorosas da futura escritora, que já se considerava uma especialista em assuntos do coração, e de sua prima Jenny. 








Levana - Por Marissa Meyer
Quem é a verdadeira mulher por trás da fascinante vilã que perpassa as histórias de Cinder, Scarlet, Cress e Winter? Neste spin-off da série de contos de fadas futuristas Crônicas Lunares, a autora Marissa Meyer revela o passado e as motivações de Levana, a cruel rainha que sonha em governar o povo de Luna. Filha mais nova ofuscada pelo brilho e charme da verdadeira herdeira do trono, sua irmã Channary, Levana teve o rosto desfigurado por queimaduras na infância e aprendeu a se camuflar, manipulando todos a sua volta com uma beleza fictícia. Assim, conquistou à força o amor de Evret Hayle, por quem sempre foi apaixonada, tornando-se madrasta de Winter quando ele perdeu a esposa no parto da filha. E seu próximo passo é tomar o trono definitivamente.









O garoto da loteria - Por Michael Byrne
Coleção Caindo na Real
Primeiro livro do inglês Michael Byrne, O garoto da loteria é uma história sobre sobrevivência, esperança e amadurecimento.
Bully perdeu a mãe e sua vida antiga. Vivendo com dificuldade nas ruas de Londres e tendo a companhia apenas de seu cachorro, Jack, o garoto de doze anos não consegue imaginar um futuro. Mas um dia, no último cartão de aniversário que sua mãe lhe deu, o garoto encontra sua salvação: um bilhete de loteria que ele havia comprado para ela. E o bilhete está premiado. Muito premiado. De repente, existe esperança, mas ele conseguirá retirar o prêmio a tempo?
Assim que o caminho de Bully começa a abrir, o perigo parece se fechar a sua volta. Agora, bandidos brutais estão atrás do garoto, e todos querem um pedaço dele. Com quem ele poderá contar para conseguir o que pertence a ele? E mesmo se Bully conseguir o dinheiro, terá o que mais precisa?






O primeiro dia de Chu na escola - Por Neil Gaiman e Adam Rex
Chu é um filhote de panda fofinho como todo filhote de panda. O que há de diferente com ele é que Chu é muito alérgico. E quando ele espirra, coisas ruins podem acontecer. Isso os leitores de O dia de Chu, o primeiro livro de Neil Gaiman sobre o urso panda mais alérgico do planeta, já sabem. Mas agora, Chu está prestes a ir para a escola. E como toda criança, ele está um pouco nervoso. O que ele vai fazer lá? Será que os colegas vão gostar dele?

Em O primeiro dia de Chu na escola, o consagrado autor de Coraline acompanha a aventura de um pequeno urso panda indo para a escola pela primeira vez. Na véspera do primeiro dia de aula, os pais tentam tranquilizá-lo: “É claro que vão gostar de você”, diz a mãe, carinhosa. E Chu deseja muito que ela esteja certa.

Quando chega à escola no dia seguinte, tudo parece muito legal e a professora logo pede aos alunos que se apresentem e digam o que mais gostam de fazer. Chu fica encantado com as habilidades de seus novos amigos! E acaba ficando por último. Mas, de repente, uma poeirinha de giz entra em seu nariz. E antes mesmo que ele possa começar a falar, solta um espirro daqueles.

Como será que Chu se sairá em seu primeiro dia na escola? Se depender da imaginação e da sensibilidade de Neil Gaiman, aliadas às ilustrações divertidas de Adam Rex, o pequeno panda não terá dificuldades em mostrar a seus novos amigos o que sabe fazer de melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário