30 maio 2017

[Resenha] Quando tudo faz sentido - Por Amy Zhang



Título: Quando tudo faz sentido
Autor (a): Amy Zhang
Páginas: 320
Editora: Rocco
Skoob || Encontre

Sinopse: Liz Emmerson é uma garota popular no colégio e tem uma vida aparentemente invejável. Por que ela tentaria tirar a própria vida, simulando um acidente de carro depois de assistir a uma aula sobre as Leis de Newton? Neste surpreendente romance de estreia, Amy Zhang, que nasceu na China e mora no estado de Nova York, aborda temas como abandono, bullying, depressão e suicídio com uma narrativa crua e pungente que vai arrebatar os fãs de obras como As vantagens de ser invisível, Nuvens de Ketchup e Meu coração e outros buracos negros, entre outros. Na trama, Liz é resgatada por Liam, um garoto que ela sempre desprezou, mas talvez uma das poucas pessoas ao seu redor capaz de enxergá-la além das aparências. Envolvente e emocionante, o livro – que prende também pelo mistério se a protagonista vai ou não sobreviver (e que só é revelado no final) – mostra a fragilidade, a solidão e os dilemas dos jovens de forma sensível e sincera.

Todos sabem que Liz Emmerson é uma força da natureza. Ela é a garota mais popular da escola, senta com os populares, possuí duas amigas lindas e igualmente populares, é capitã do time de futebol feminino e tem um namorado lindo, popular e perdidamente apaixonado por ela. Todos na escola invejam sua vida e desejam ser quem ela é. Mas ninguém sabe o quanto Liz Emmerson é triste e vazia.

"É nesse momento, quando ela se liberta da necessidade de entender, que tudo passa a fazer sentido."
Página 10

Mas como poderiam saber que sua mãe é ausente desde a morte do pai, que ir para para é sinônimo de solidão e tristeza em sua vida? Como poderiam saber que ela enfrenta bulemia pois sente que precisa ser perfeita para ser aceita por todos? Como poderiam notar que ela sente medo de ser quem é quando é cruel com todos e destrói vidas por onde passa? E assim, depois de tanta solidão, sofrimento e sem ninguém prestar atenção para se importar de verdade, Liz desiste de tudo.

"Em certas noites, Liz olhava para trás e contava os cadáveres, todas as vidas que tinha arruinado pelo simples fato de existir. Então escolheu deixar de existir."
Página 93

Liz planeja seu suicídio nos mínimos detalhes. Tudo deveria parecer um acidente e seria no dia da morte do pai dando somente um dia de sofrimento a mãe por ano. Seu carro cairia e ela bateria a cabeça deixando de existir. Mas não foi isso que aconteceu. Liam, estava voltando do mercado quando vê o carro da garota que é apaixonado desde o quinto ano destruído. Liz é resgata quase morta e ali começa uma nova luta. A luta final de sua existência.

"Ela imaginou enquanto dirigia. Entrar na ponte. Segurar o volante com mais força. Acelerar. Frear. Derrapar. Virar o volante para a direita. Quebrar o guarda-corpo. Fechar os olhos. Cair..."
Página 172

A noticia que Liz está entre a vida e a morte se espalha pela cidade, logo seus colegas de sala ficam devastados , e já prevem sua morte, mas Kennie e Julia sabem que todos fingem se importar. Essas pessoas a invejam pelas costas e sempre desejaram sua queda. Porém Kennie e Julia ficam sem rumo, elas sim precisam de Liz para viver, pois Liz é cola que faz seus mundos permanecerem firmes.

"Sua determinação passou de cimento para aço. Porque ninguém tinha percebido. Nada.
[...] Não havia possibilidade de melhora.
Não para ela."
Página 294

Aos poucos passado e presente se fundem mostrando as situações que levaram aquele momento que tudo fez sentido. Liz ainda está viva, e somente ela pode lutar por si mesma, mas enquanto a dor está intricada em cada fibra de sua mãe, amigas e o que cara sempre a amou de verdade, ambos começam a pensar quem Liz Emmerson realmente é e porque nunca reparam nela de verdade.




Costumo dizer que é muito complicado explicar porque um livro se tornou especial. É muito simples apontar defeitos e dizer as razões por desgostar, mas dizer porque gostamos é uma tarefa quase impossível. Parece que tudo que falamos não faz jus e jamais será igual a tudo que a obra nos proporcionou. Essa é minha tarefa hoje, dizer porque amei tanto a obra que Amy Zhang criou, e a única coisa que consegui fazer foi separar em três categorias:

Quando tudo faz sentido é o tipo de livro que quando você termina fica parada olhando pro nada só absorvendo tudo o que leu.
Quando tudo faz sentido é perfeito por ter situações tão imperfeitas.
Quando tudo faz sentido tornou-se o meu livro favorito do ano.


A primeira perfeição dessa estória começa pelo narrador que conta a estória em primeira pessoa. Não é a Liz que conta sua estória, não são suas melhores amigas, nem sua mãe ou Liam. Quem conta a estória é um mistério revelado somente no final e foi simplesmente genial da parte da autora pensar em algo assim. Não vou dizer quem é pra instigar vocês a lerem ainda mais, pois essa é a missão que tracei quando terminei o livro, convencer a todos a conhecerem a estória (risos).

"Vê-lo tocar era como observar o céu mudar de cor.
Então ela ficou com inveja, porque Liz Emmerson nunca tinha esse tipo de paz. Não daquele jeito. Não mais."
Página 203

Esse é um livro de drama, e como tal, tem uma carga muito forte, mas diferente dos livros do gênero ele não repele o leitor para digerir as coisas que acontecem, mas sim, nos instiga profundamente a ler cada vez mais e mais, e não estou brincando, li a estória toda num dia pois não consegui parar. Era como se eu estivesse ali junto com os personagens e sentisse todos seus sentimentos e aflições.


Liz não é uma boa garota e ela sabe disso tanto que desistiu de viver exatamente por ser quem se tornou, e ela odeia cada segundo em viver quem não é. É conflitante os sentimentos sobre ela pois ao mesmo tempo que me compadecia por toda sua luta interna, também ficava enojada com as atitudes que tomava para com os colegas  de escola e que levaram a várias vidas serem destruídas. E quando digo destruídas é realmente nesse sentido, o bullying que ela faz é gritante e maldoso. Porém ela sente o peso de cada vida que machucou, e isso que torna a estória tão diferente dos livros sobre suicídio que tem por ai. Quando tudo faz sentido mostra o outro lado do bullying, mostra porque a Liz se tornou uma pessoa tão odiosa. É doloroso ver ela enfrentando seus sentimentos, e pior ainda é ver que ninguém se importou o suficiente para notar que ela humilha as pessoas pra que se sintam tão miseráveis e vazias como ela se sente. A personagem enfrenta sozinha uma depressão profunda que ela realmente se sente vazia, miserável, e não se considera digna de viver no mundo.

"Às vezes - disse ela, tão baixo que Julia ficou sem saber se era dirigido a ela. - Às vezes esqueço que estou viva."
Página 150

A estória me fez refletir como a muito tempo já não fazia. As pessoas mostram uma para as outras somente aquilo que desejam. Todos guardam uma parte de si que tem medo que os outros vejam. Alguns são ousados e não se importam de demonstrar suas fraquezas, mas outros assim como Liz, esconde e vivem vazias. É da natureza do ser humano buscar formas de se preencher, alguns com Deus e religiões, outros com bebidas, drogas e sexo, mas até mesmo quem nega esse vazio é preenchido por essa certeza de sua não existência. Liz sabia que era vazia porém faltou-lhe vontade de buscar preencher o espaço com coisas saudáveis.


Além da autora mostrar com bastante clareza os sentimentos da personagem, também mostra situações de quem ela foi no passado. Uma menina inocente e encantadora que adorava sentir os raios de sol em sua pele e que impedia o pai de contar estrelas para não aprisiona-las. Foram nessas horas que sentia pesar por ela ter deixado de ser assim e ser obrigada passar pela morte do pai sozinha, e ainda, conviver com adolescentes mimados, ricos e superficiais. Ela teve que se adaptar ao ambiente que vivia e odiou cada segundo.

"Ela não tolera prender vagalumes em pote. Odeia zoológicos. Não deixa o pai lhe ensinar as constelações porque não quer aprisionar as estrelas. Ela vive em um mundo feito inteiramente de céu."
Página 243

Não somente os problemas de Liz são aprofundados na estória, mas também de Julia e Kennie, melhores amigas e tão tristes como ela. Liam é apaixonado por Liz e é o único que vê que ela é mais do que mostra paras as pessoas, mas também nunca fez nada porque sofreu bullying, e pra ser bem sincera, depois do que ela fez com ele, eu nem ao menos olharia em sua direção, mas ele continua a observá-la em silencio. Não tem um romance de fato na estória, mas mostra Liam desejando profundamente que ela se recupera, e nos dá a entender que eles podem sim ser um casal caso ela sobreviva, fato qual não sabemos até que chegue ao final.


O meio em que eles vivem é toxico, não tem outro jeito de dizer. Ou você é do grupo dos populares, ou você é um perdedor e merece ser humilhado. São pessoas superficiais e egoístas. A autora não fez questão nenhum de suavizar as situações. Os capítulos são bem curtos e alternam entre o presente, passado e uma contagem regressiva até a hora da batida. A escrita dela é muito fluída, direta e sem palavras difíceis o que torna a leitura muito fácil e rápida de ler, como disse, devorei a estória num dia. A edição física do livro está maravilhosa. A capa é metalizada num tom azul claro e também possuí uma textura áspera. Internamente cada capitulo trás um titulo que condiz com o que vai ser narrado e em cada folha possuí o nome da estória, autora e o número da página na vertical da folha.


Quado tudo faz sentido é um livro diferente de tudo que já li dentro do gênero. A autora conseguiu trazer humanidade para quem pratica bullying mas sem tornar o ato suavizado, e é exatamente o que sempre pensei sobre isso. Pessoas que dedicam sua vida a fazerem a vida de outros infelizes é porque são infelizes e insatisfeitos com suas próprias vidas. Em meio a tantos livros sobre suicídio, Quando tudo faz sentido se destaca por sua originalidade e trás ao leitor um misto intenso de emoções vivida pelos personagens. Depois de tudo isso creio que preciso recomendar a estória não é mesmo? (riso)




15 comentários:

  1. Olá Stéfani! Livros que se torna especial é mesmo difícil de falar. “É perfeito por ter situações tão imperfeitas.” Tem como ser mais perfeito? A imperfeição faz parte de todos, e quando a imperfeição se torna perfeita nos deixa ser palavras. Acredito que ainda irá ler muitos livros esse ano, e se ele já se tornou o favorito do ano realmente deve ser bom. Realmente me deixou intriga saber quem é o narrador. É bom quando o livro nos faze sentir os sentimentos dos personagens. O livro mostrar o outro lado do bullying, vindo de uma garota popular, é interessante e fogem mesmo dos outros livros de suicídio. Você deu uma resenha bem detalhada do livro, isso é ótimo para ter certeza se quero ler ou não. Com certeza já anotei a dica do livro. Beijos'

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Adorei poder conferir a sua resenha, e eu me identifiquei muito com as suas palavras. Finalizei a leitura esses dias e fiquei apaixonada pelo enredo e da forma como tudo foi abordado, mesmo de forma sutil e profunda, em especial por conseguir mostrar tão bem oss sentimentos. Do gênero, devo concordar que ficou um livro bem diferenciado mesmo e eu adorei isso.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  3. Oi, Stéfani. Suicídio não é meu tema de livros preferido, então sempre que tem um livro assim, eu geralmente evito ler ou demoro muito pra embarcar na leitura, mas pela primeira vez, fiquei cativada com uma resenha e estou louca para conferir a obra. Já vi livros que abordam os "culpados" de determinada situação, mas nunca os praticantes de bullying. Acho que isso seria maravilhoso para poder enxergar o que geralmente a sociedade só quer enfiar-nos goela abaixo: que eles são os vilões, e nem sempre é assim.
    Amei a dica e já vou ler!
    Beijo.
    Leitora Encantada

    ResponderExcluir
  4. Oiiiii,

    Preciso admitir que quando comecei a ler a resenha eu achei q o livro ia ser uma versão de Os 13 porquês, mas ameiii sua resenha e a maneira demonstra que o livro trata o outro lado da moeda, de que muitas vezes aqueles que praticam o bullying são tão o mais depressivos do que aqueles que sofrem, de como o aparecer para o meio social pode acabar com uma pessoa. Fiquei muito curiosa pra saber como a história termina, se ela vive ou não, se fica com o Lian ou não e principalmente quem é o narrador kkkkk
    Já anotei a dica e vou ler assim que possível.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Nossa, essa leitura parece ser extremamente marcante. Eu já fiquei muito curiosa para ler, porque eu gosto de uma drama assim, neste estilo, de uma pessoa ter que lugar com ela mesmo internamente, porque a carga emocional que trás é muito grande e eu adoro me emocionar lendo. Acontece muito disso na realidade, a pessoa querer mascarar os seus sentimentos fazendo as outras pessoas sofrerem, só que toda essa carga acaba caindo sobre suas próprias costas. Sério, de verdade, fiquei com muita vontade de conhecer essa história, vou tentar fazer a leitura o mais rápido possível. Obrigada pela dica!
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  6. Geralmente não me sinto confortavel lendo algo sobre suicidio, mas a sinopse desse livro me chamou atenção por trazer uma reflexão profunda de nem tudo é o que parece.
    Vou procurar pra ler sim!

    ResponderExcluir
  7. Oie, tudo bom?
    A capa foi a primeira coisa que me chamou a atenção, simples e linda.
    Me lembrou muito o livro "Antes que eu vá", pois tem a mesma temática presente do suicídio e do mistério. Adorei e já coloquei na minha lista de desejados!

    ResponderExcluir
  8. Oi, Stéfani!
    Confesso que já tinha visto essa capa, mas nunca tinha parado para ler a sinopse da história... estou bastante surpresa, para falar o mínimo. Quando tudo faze sentido parece ser um ponto fora da curva da chuva de romances sobre suicidio que temos encontrado por aí né? São pouquissímos autores corajosos o suficiente para falar de quem patrica bullying sem suavizar nada. Fiquei hipnotizada pela história e seus personagens enquanto lia sua resenha, parece uma narrativa tão forte e ainda assim necessária... que eu nem sei o que comentar, para ser sincera. Em resumo: eu preciso desse livro.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Oláa!!
    Assim como você disse, tenho percebido um número muito grande de livros sobre suicídio, e não sei se isso é bom ou ruim....
    Entendo que a autora queira mostrar o outro lado do bullying, o porquê de algumas pessoas praticarem, mas ainda assim, não sei se tenho estômago para esse tipo de livro no momento.
    Ando preferindo coisas mais leves... rsrs
    Ainda assim, obrigada pela dica!
    Um beijo

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  10. Oie! Sempre quis ler uma obra assim, que mostrasse o ponto de vista de quem pratica o bullying. Parece ser uma história bem profunda e impactante, ainda mais por mostrar as consequências de tudo e em como as pessoas muitas vezes não percebem a depressão, assim como quem sofre prefere muitas vezes esconder. Já coloquei na lista de futuras compras e espero poder ler em breve. Adorei a resenha e as fotografias do livro. É bom saber que a história te fez refletir. Espero também poder ter uma ótima experiência de leitura.

    Beijos,
    Fernanda F. Goulart.

    ResponderExcluir
  11. Fiquei bastante intrigada com esse narrador misterioso, curiosidade a mil. Não conhecia a obra ainda, mas ao ler a sua resenha, fiquei com a impressão de que se trata de uma obra muito rica do ponto de vista humano. Gosto muito de textos assim, são os que mais nos acrescentam a ajudam a crescer. Não é à toa que você precisou de um tempo para absorver a leitura após concluí-la. Além disso, parece que o livro aborda temas muito relevantes para a sociedade atual. Fiquei muito interessada na leitura.

    Tatiana

    ResponderExcluir
  12. Tá todo mundo comentando sobre o narrador e eu estou aqui morrendo de curiosidade!
    Livros sobre suicídio não são muito a minha praia, então provavelmente não lerei, mas abordar o tema é muito importante.
    Gostei também do fato de abordar uma menina aparentemente com a vida que pediu a Deus e que não é feliz com isso. As aparências enganam e muito!

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Estou vendo muito esse livro e louca para lê-lo também.
    Adoro quando autores conseguem inovar no tema, pois é claro que quem pratica bullying não e uma pessoa legal, mas será que alguém se preucupa com ela também? Será que alguém faz alguma coisa para saber se essa pessoa está sofrendo também?
    Enfim, adorei sua resenha e só fiquei com mais vontade de ler essa história que parece ser emocionante e surpreendente

    ResponderExcluir
  14. Em um primeiro olhar a capa não me atraiu em nada, mas geralmente fico curiosa quando uma capa não me chama a atenção e lendo a sua resenha, fiquei master curiosa porque realmente parece se tratar de um livro intenso e que agregará muito.
    Dica anotada
    Beijos

    ResponderExcluir
  15. Oii Stéfani!! AMEI a resenha! Fiquei encantada com a capa, e essa premissa traz elementos que eu simplesmente adoro ler em livros jovens, e depois dessa resenha maravilhosa eu simplesmente preciso realizar a leitura, então já está aqui na listinha dos super desejados <3 Espero poder ler muito em breve e gostar tanto quanto você!

    Beijos

    ResponderExcluir