25 maio 2017

[Resenha] O Eterno Namorado - Por Nora Roberts



Título: O eterno namorado
[A pousada #2]
Autor (a): Nora Roberts
Páginas: 3004
Editora: Arqueiro
Skoob || Encontre

Sinopse: Tudo o que acontece na vida de Owen Montgomery é meticulosamente organizado em uma planilha ou lista de tarefas. No trabalho não é diferente, e é graças a sua obsessão por ordem que a Pousada Boonsboro está prestes a ser inaugurada – dentro do cronograma.
A única coisa que Owen jamais previu foi o efeito que Avery MacTavish teria sobre ele. A proprietária da pizzaria em frente à pousada sempre foi amiga da família e agora, enquanto vê em primeira mão a fantástica reforma pela qual o lugar está passando, também observa a mudança gradativa de seus sentimentos por Owen.
Os dois foram namorados de infância, e desde então tinham estado bem distantes dos pensamentos um do outro. O desejo que começa a surgir entre eles, porém, não tem nada de inocente e é impossível de ignorar.
Enquanto Owen e Avery decidem se render à paixão e levar seu relacionamento a um nível mais sério, a inauguração da pousada se aproxima e dá a toda a cidade um motivo para comemorar. Mas quando os traumas do passado de Avery batem à porta e a impedem de se entregar, Owen sabe que seu trabalho está longe de terminar. Agora ele precisa convencê-la a baixar a guarda e perceber que aquele que foi seu primeiro amor pode também ser seu eterno namorado.


Resenha anterior:
A pousada #1 - Um novo amanhã


A pousada está em vias de ser inaugurada, e, Owen e seus irmãos estão cada vez mais atolado em trabalho. Tendo em vista o grande número de projetos encaminhados e outros tantos que Justine, sua mãe, não pára de idealizar, cabendo aos irmãos Montgomery colocá-los em prática.

"Ele se virou, sorrindo, e o coração dela deu uma cambalhota no peito. Era de se surpreender que tivesse se apaixonado por ele aos 5 anos de idade?"

A vida da Avery não está menos atribulada. Ter-se mudado para o antigo apartamento do Beckett, que fica em cima da pizzaria, não ajudou a reduzir sua carga de trabalho, na verdade, teve efeito contrário. Além do mais, Avery tem um novo projeto em mente, que exige esforço e dedicação para ser apresentado e autorizado.

A Avery e o Owen são grandes amigos desde que eram crianças, praticamente foram criados juntos, já que seus pais sempre tiveram uma relação de amizade bem estreita. Os dois até chegaram a namorar por um curto período de tempo, quando Avery tinha quatro anos, mas, obviamente, foi um namorico infantil, e, desde então, ambos se enxergam somente como amigos.

"Não, ele jamais tinha imaginado aquilo - como era fácil, como era excitante. nunca tinha pensado na estranha descoberta de alguém que conhecia desde sempre." 

Entretanto, depois de uma mãozinha da Lizzie (nossa fantasminha camarada), os dois percebem que pode haver algo além de amizade entre eles. Mas será que vale a pena colocar anos de companheirismo em risco?






Avery, a ruivinha espevitada, como Ryder a apelidou, é extremamente ativa e está sempre fazendo mil coisas ao mesmo tempo. É organizada somente na vida profissional, já que sua vida pessoal está uma bagunça, sem contar que ela pode ser muito destrambelhada. Resumindo: é o extremo oposto do super organizado Owen, com todas as suas listas e cronogramas a serem cumpridos.

"Sempre se pode contar com Owen. Avery não conseguia pensar em nenhum outro homem, à exceção do seu pai, que fosse confiável de uma forma tão consistente."

Eu gostei muito dos dois personagens, ambos foram muito bem desenvolvidos, cada um com suas características. Identifiquei-me mais com a Avery, justamente por não imaginar algum ser com o nível de organização do Owen. Mas os dois se complementam e ficaram divertidos juntos.

"- Não. Talvez. Como posso saber o que deixa uma mulher irritada? - A frustração tomou conta dele. - è impossível saber, porque pode ser qualquer coisinha, é um mistério insondável. E, no dia seguinte aquela coisinha pode ser ótima, aí aparece outra maldita coisinha qualquer. Nenhum homem sabe - falou, em tom soturno. "

Nesse livro ficamos sabendo um pouco mais da história da Lizzie e acompanhamos o relacionamento da Avery com seu pai, que a criou sozinha depois que a mãe da Avery os abandonou. Esse abandono deixou marcas na nossa personagem principal, mas ela não deixou que esse evento dominasse sua vida, apesar de ainda ter que lidar com algumas questões em relação a isso.

"Mas, se não é capaz de entender, é porque nunca se sentiu indesejado. sempre soube que seus pais o amavam e fariam qualquer coisa para protegê-lo. não imagina como eu invejava sua família, mesmo antes de a minha mãe ter ido embora."

O romance entre a Avery e o Owen aconteceu de forma realista. Os dois se conheciam muito bem, já que cresceram juntos, então decidiram lidar com essa atração que começaram a sentir de forma cuidadosa e contida, principalmente para não colocar em risco o relacionamento que já tinham. Mais uma vez a autora soube construir um romance lindo e delicioso de acompanhar, sem soar forçado.

"Enquanto descia a escada, ficou se perguntando o que fazer com aquela aceleração do coração. Era algo que reconhecia. Já tinha sentido aquilo antes. Aos 5 anos. Apaixonar-se por Owen mais uma vez parecia uma loucura, exatamente como havia sido antes."

A narrativa é em terceira pessoa e intercala entre os pontos de vista da Avery e do Owen. O que considero agradável, pois temos uma perspectiva mais ampla do enredo. A autora escreve de forma agradável e fluída, garanto que você lê sem perceber, e, quando se der conta, estará virando a última página. Li em formato digital e não encontrei erros de revisão, na verdade, gostei tanto da leitura que pretendo adquirir a edição física para tê-la em minha estante o mais breve possível.

"O amor lhe parecia uma espécie de milagre, de cuja existência jamais tivera certeza absoluta."

Eu comecei a ler esse livro enquanto estava sendo tatuada. Sim, uma longa e dolorosa sessão de quatro horas de tatuagem e eu lendo esse livro com um sorriso bobo no rosto. Cheguei à página 100 nessas quatro horas (lendo o livro digital) e nem percebi o tempo passando. Acho que essa declaração, por si, já deixa claro o quanto o livro é gostoso de ler.

Assim, indico essa série para quem está em busca de uma série voltada para o entretenimento. Como a Tamara, outra colaboradora aqui do blog, diz: é uma série de livros bem “sessão da tarde”, uma delicinha de ler e despretensiosa. Prende a atenção, mas não traze carga pesada de drama e nem é muito reflexivo. Agora, se você já leu o primeiro livro da série e gostou, pode ler esse sem medo, porque a qualidade foi mantida. Boa leitura a todos e me digam depois se gostaram.

12 comentários:

  1. Ola
    Eu gosto muito da escrita da autora, assim como espero conhecer essa série em breve. tenho lido ótimos comentários, assim como em suas impressões. Nossa, que legal que você conseguiu ler em uma sessão de tattoo, confesso que eu não conseguiria, por mais que adore fazer tatuagens, eu prefiro me concentrar mais nessa hora hehe. Bom, pelo que pude compreender, é um enredo bem leve né..
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Oie...
    Adorei sua resenha!
    Estou louquinha pra ler essa série, eu já amo um romance e ele sendo da Nora aí que dá mais vontade ainda rsrs... Amei seus comentários a respeito da obra, mas, principalmente de que a autora criou um romance real, isso sem dúvida é um ponto mais que especial, pois, sempre esbarramos com romances fantasiosos, irreais.
    Beijos

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi bárbara,
    como assim você começou a ler esse livro durante uma sessão de tatuagem? OMG! Quando eu estou com dor não consigo me concentrar em mais nada além de tentar evitar o choro, quem dirá em ler um livro, mas se esse te ajudou dessa forma só prova que ele é realmente bom, não é mesmo? Mas isso não chega a ser uma grande surpresa afinal estamos falando de Nora, né amore? Enfim, achei a premissa bem legal, o fato dos protagonistas já se conhecerem de longa data é um fator que torna mais crível o envolvimento atual, estou super curiosa para saber como ele lidou com a resistência dela, se teve que finalmente fazer algo fora das planilhas. Sua resenha funcionou como um estímulo a mais para que eu pare de procrastinar e leia logo essa trilogia.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi
    Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro, especialmente porque gostaria muito de poder fazer essa leitura também. Admiro muito a escrita da autora e espero curtir a história, sem contar que já li ótimos comentários a respeito. Sua resenha me deixou ainda mais empolgada!

    ResponderExcluir
  5. Eu prefiro enredo com uma carga dramática maior, mas às vezes um enredo mais tranquilo também é bom pra variar. Não consigo imaginar como vc se concentrou pra ler durante a tatoo rsrs Ainda não li nada da Nora Roberts, mas tenho curiosidade pra conhecer o estilo da autora.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    Sempre ouvi bons comentários sobre o livro, mas nunca o conferi. Parece ser uma história bem legal e acho que iria gostar bastante da relação entre Avery e Owen. Fiquei surpresa ao saber que você leu o livro enquanto fazia tatuagem, eu já fiz e certamente não conseguiria me concentrar no livro por conta da dor, mas bem diferente sua experiência hahah. Adorei a resenha!

    www.virandoamor.com

    ResponderExcluir
  7. Oii!!
    Sempre vejo opiniões positivas sobre a autora. Eu nunca li nenhum livro dela, mas confesso que agora lendo sua resenha, fiquei interessa nesse. Sei que é uma série de livros, mas acho que mais para frente vou dar uma chance sim. Achei o Owen parecido comigo, kkk eu vou dessas loucas das listas. Tenho lista de tudo, você não tem ideia kkkk. Achei esse livro bem diferente dos romances que eu vejo por ai, eu também não gosto de nada forçado e quando encontro romances que fogem a isso, já fico interessada na hora. Pretendo ler mais para frente com certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá,

    Estou doida para ler essa trilogia. Sempre quis ler algo da Nora e não sei porque essa é a série dela que mais me chama a atenção. Por conta da pilha de não lidos aqui, ainda não consegui iniciar essa série, mas depois dessa resenha e de saber mais sobre os personagens, quero ler pra ontem.

    ResponderExcluir
  9. Olá,
    Ainda não li nada da Nora, mas estou louca para fazer a leitura dessa série.
    Avery parece ser uma personagem que vai me agradar bastante com suas características e também me fará dar grandes gargalhadas por ser destrambelhada rsrs
    Owen creio que me agradará bastante também! A premissa da obra é bem interessante e fico feliz que o livro é tão bom que você nem viu a hora passar. Pretendo fazer uma tatuagem em breve e já anotei a dica rsrs

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  10. Oiee Barbara ^^
    Fico feliz em saber que a autora soube criar um romance que não acontece de repente, e que foi bom acompanhar o relacionamento dos personagens....e se distrair da dor...haha' pretendo fazer uma tatuagem um dia, mas ainda não achei nada tão legal a ponto de querer marcar no meu corpo.
    Cheguei a ler o livro "Álbum de casamento" da Nora, mas não curti muito :/ por causa disso, decidi dar um tempinho antes de inventar de ler outra obra dela. Queria ler uma das séries sobrenaturais dela primeiro, antes de ir direto nos romances.
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  11. Olhaaaaa
    Que dia a boa.fazer tatuagem lendo um livro bom kkkk
    Só assim acho que me arriscaria kkk
    Quero muito ler este livro
    Nora sempre arrasa em todos.
    Ela consegui escrever e nos encantar de uma forma espetacular é incrível
    Muito bom saber que este livro é bem escrito e cativante
    Parabéns pela resenha
    Fiquei curiosa em saber qual foi a tatuagem kkkkkk

    ResponderExcluir
  12. Ainda não li nenhum livro da Nora Roberts, acredita?

    Por falta de oportunidade e de interesse... Quando leio as resenhas de livros dessa autora, não fico muito animada a le-los, acho que vou ficar empurrando a leitura com a barriga. Claro que posso estar enganada, mas por exemplo: apesar da capa linda, não é muito meu gosto.

    Mas quem sabe, o livro "sessão da tarde" não pode ser bem utilizado para passar um tempo, como foi pra vc?

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir