06 abril 2017

[Resenha] Uma pequena mentira - Por K.A. Tucker



Título: Uma pequena mentira
[Ten Tiny Breaths #2]
Autor (a): K.A Tucker
Páginas: 352
Editora: Rocco
Skoob || Encontre

Sinopse: Livie, a mais centrada das irmãs Cleary, segurou as pontas após a morte dos pais num acidente em que Kacey, a mais velha, foi a única sobrevivente, e cuidou da irmã quando ela caiu em depressão. Aos poucos, Kacey superou seus traumas e encontrou a felicidade, enquanto Livie se dedicava aos estudos. Agora, no segundo do livro da série de sucesso Ten Tiny Breaths, K. A. Tucker joga o foco de sua envolvente narrativa sobre a caçula. Livie acaba de ingressar na tradicional Universidade de Princeton e está pronta para viver as emoções típicas de uma caloura, o que inclui frequentar as festas no campus, fazer novos amigos e encontrar um namorado bacana com quem possa tecer planos para o futuro. Ela só não esperava se envolver justamente com um cara como Ashton Henley, o capitão do time de remo com fama de garanhão. Com medo de ser apenas mais uma na lista de conquistas de Ashton, Livie tenta agir com a razão, como sempre fez. Mas até que ponto vale a pena dominar seus sentimentos por medo de se machucar?

Livie sempre foi a garota certinha, centrada e focada. Sempre buscou ser perfeita e fazer aquilo que os pais se orgulhariam. O problema é que seus pais estão mortos, e sua irmã mais velha acredita fielmente que essa escolha de ser perfeita é uma defesa que Livie encontrou para passar pela morte dos pais. Pensando numa forma de ajudá-la, Kecey, sua irmã, faz com que seu terapeuta converse com ela por telefone. Mesmo relutante, Livie aceita um único telefonema que acaba por se tornar semanal. O médico tenta desafiar Livie a quebrar suas barreiras através de situações que ele propõe para ela executar, e fielmente, Livie executada cada uma delas. Para ela isso é só um jeito de fazer com que sua irmã pare de pegar no seu pé, mas as coisas mudam quando ela entra na faculdade e conhece Ashton.

"Na vida há momentos em que você toma uma decisão, depois fica se questionando. Muito. Você não se arrepende exatamente. Sabe que provavelmente fez a escolha certa e isso provavelmente será melhor para você. Mas passa um bom tempo se perguntando que diabo estava pensando"

Contrariando suas ações corriqueiras, Livie vai a uma festa com Kecey e uma colega de quarto, e depois de muita bebida ela fica com Ashton, o cara mais galinha e gato da faculdade. Mesmo tendo gostado da noite de liberdade, ela age de forma prática e evita encontrá-lo novamente, até consegue senão fosse o fato de começar a sair com Connor, seu melhor amigo. Dividida entre razão e emoção, Livie trava uma batalha interna sobre  com quem ficar. Connor o cara perfeito que seus pais apoiariam, ou Ashton, o cara que faz sua base tremer. Mas infelizmente para Livie, essas questões são somente a ponta do problema onde ela ainda terá que se autoconhecer e descobrir quem ela realmente é.





Uma pequena mentira foi o livro que conseguiu me tirar de uma ressaca literária que durava algumas semanas, e, finalmente quando peguei o livro a estória flui (aleluia!). O livro é narrado em primeira pessoa através do ponto de vista da Livie. Isso pra mim foi um ponto negativo pois senti que se tivesse a perspectiva de outros personagens seria mais interessante, não que eu não tenha gostado, como disse, mesmo focado somente nela a estória flui, mas algumas coisas ficam soltas e poderia ser resolvido facilmente colocando outro ponto de vista, ou até mesmo, sendo em terceira pessoa.

"Esse negócio entre nós - amor, ou não - me transformou numa idiota egoísta, manipuladora, que pega o que quer, mesmo que magoe os outros. Que ficou se convencendo de que tudo estava bem, porque sabia que o homem que ela queria gostava dela. Alguém que provavelmente cairia nessa armadilha, por parecer tão certo, apesar de ser tão errado."

Já em relação a protagonista eu a adorei, e minha razão não poderia ser mais banal. Livie é uma garota comum, com sonhos, medos, dúvidas e com ações simples. Tudo isso a transforma numa pessoa de carne e osso que poderia facilmente não ser ficcional. Também por isso, ela acaba por ser prática e pensa somente com a razão excluindo totalmente seu lado sentimental. Sua cabeça quer que ela se torne tudo aquilo que seus pais sempre sonharam para ela: boas notas para se tornar médica, um namorado exemplar e evitar a qualquer custo problemas desnecessários. É claro que em algum momento isso não seria viável, principalmente quando ela vê seu coração despertando, e quem faz essa proeza é Ashton. Não que isso tenham sido algo bom porque ai entramos na parte que me desagradou na estória.

Ashton é um cara misterioso que só entendemos suas ações no final. Mesmo sabendo o que ele já passou não acho aceitável suas ações em relação a Livie. Ele fala e demonstra que ela deve se manter longe porque ele não quer nada, mas isso não o impede de procurá-la e ficar cercando para que ela não fique com outro cara, que nesse caso é Connor. Ela sofre porque é nítido que ele não quer mesmo nada com ela, mas quando ele dá esperança, ela volta correndo tentando entendê-lo e justificando todas suas ações. Conseguem entender que isso o qualifica como um cara que precisa de ajuda? Não conseguia ver uma relação saudável para eles, e nisso surge Connor, outra razão do meu desagrado.

"Porque você não é uma garota para ficar uma noite, Irish. - Inclinando-se à frente, ele dá um beijo no meu queijo e murmura: - Você é minha garota para sempre."

Connor é o garoto perfeito e isso chega a ser um "porre" de chato. Enquanto Ashton estava lá volátil ele aparecia com sua perfeição cegante e  irreal. Ele é atencioso, apresenta para os pais, leva flores, escuta tudo o que ela falava, etc... Seria o namorado perfeito, mas a questão é que ninguém é perfeito, uma hora as pessoas se revelam. Não gostei dos dois mocinhos da estória serem tão opostos. Um a maltrata e o outro oferece o céu, ambos não foram aquilo que ela precisa e acabou por ficar naquela indecisão de Connor é o que meus pais gostariam, mas Ashton é o que eu quero e ele não me quer. Fora todas as questões de superação e decisões pessoas que ela enfrenta. Na minha humilde opinião de leitora Livie não deveria ter ficado com nenhum dos dois, ela estava com problemas e encontrou problemas de outras pessoas para lidar. É impossível você se doar totalmente ao alguém numa relação quando se está incompleto.

"É engraçado como alguns relacionamentos podem surgir de um jeito tão acidental e, ainda assim, combinar tanto."

Mas esses personagens em questão não conseguiram tirar o brilho dos outros que são tão especiais como Kacey, irmã mais velha da protagonista. Ela sofreu e saiu dos trilhos com a morte dos pais, mas acabou se encontrando. Toda sua trajetória pode ser vista no primeiro livro. Até ler Uma pequena mentira, eu não sentia a menor vontade de ler o primeiro livro, e, conhecendo Kacey no segundo livro, fiquei morta de curiosidade de saber sua estória. Também conhecemos Reagan, colega de quarto de Livie. Uma garota alto astral e cheia de vida. Algo que gostei bastante foi o contraste das duas personagens, Livie toda retraída e Regan toda libera, e o mais legal é que uma não impediu a outra de ser quem são.

A parte física do livro está um arraso. O livro é no tamanho padrão de 20,8cm x 13,6cm contendo folhas levemente amarelas e trás orelhas nas capas. Internamente vemos uma formatação confortável com letras e espaçamentos adequados para uma boa leitura. A escrita da autora é leve e de fácil entendimento o que torna o livro fluído e rápido de se ler. Não encontrei nenhum erro ortográfico ao longo da leitura. A capa trás cores sóbrias e achei adequado pois essa é exatamente a essência da protagonista.

No geral o livro tem seus altos e baixos, e mesmo alguns fatores tendo me incomodado horrores, o saldo final ainda é positivo, tanto que vou me arrisca em ler o primeiro. Mesmo sendo parte de uma trilogia, Uma pequena mentira funciona separadamente pois são estórias isoladas. Recomendo o livro para todos que adorem um bom new adult. Livie é uma personagem que surpreende por ser próxima a realidade que conhecemos, e além de tudo, trás questões tão recorrentes que em algum momento de nossas vidas já enfrentamos, e como tal, Livie ainda tem muito a aprender com a vida. 





11 comentários:

  1. Ola
    Eu acho essa capa maravilhosa e adorei fazer essa leitura, bem mais do que o outro na verdade, se bem que as duas histórias são muito envolventes. Livie é mesmo retraída, mas no primeiro livro indicou que teria uma boa história a contar, e tudo se tornou bem interessante. Não deixe de ler o primeiro também, vale muito a pena!
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  2. Esse livro pode ter tirado você de uma ressaca, mas acho que vai me colocar em uma... rs Adoro quando a protagonista do livro nos ganha e com certeza, esse livro vai me envolver.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura... Mas não fiquei muito curioso, devo confessar...

    Que pena que houve algumas coisas a incomodarem tanto, mas ainda bem que o saldo foi positivo. Realmente a parte gráfica não esta nada mal :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  4. Uau achei esse romance bem envolvente, gostei bastante da premissa, os personagens são bem interessantes, com certeza deve ter sido uma difícil escolha para Livie, escolher entre Connor e Ashton, e isso com certeza foi a chave principal para manter a atenção do leitor, gostei bastante desse livro, pretendo ler em breve, bjs.

    ResponderExcluir
  5. Oiee Stefani ^^
    Aah, os livros que nos tiram de ressacas são umas coisas lindas, né? Eu ainda não li este, mas também prefiro quando a história traz o ponto de vista de vários personagens, fica mais interessante acompanhar o que cada um sente e pensa. Uma pena que várias coisas tenham te incomodado :/
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  6. Olá!
    Eu amei essa premissa da história, mesmo estando um pouco cansada dos triângulos amorosos, esse parece ser diferente dos outros. Pela sua descrição eu sinto que ela devia apenas seguir seu coração e fazer o que lhe agrada, mesmo tentando ser perfeita, não se obtém esse resultado 100% do tempo.
    Dica anotadíssima!
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Olá, Stéfani

    Que bom que ele conseguiu te tirar da ressaca. Eu adoro narrativa em primeira pessoa, então acho que essa sensação de que está faltando algo não ia acontecer comigo.
    Eu já li algumas resenha, tanto desse livro quanto do primeiro, mas não tenho muito interesse nas histórias.
    Que bom que você curtiu apesar das pequenas ressalvas.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie,
    Gente que capa lindeza... já quero.
    Ainda não conhecia o livro... mas pelo que vi aqui em sua resenha, já anotei a dica. Ainda mais por ser um livro indicado pra tirar da ressaca rs!

    Beijokas!

    ResponderExcluir
  9. OOi!
    Stéfani!
    Li uma resenha desse livro recentemente, desde então ele tem chamado minha atenção, embora não tenha lido o livro anterior. kkk
    A protagonista parece mesmo ser legal, que pena com os mocinhos não despertaram o mesmo com você.
    Espero lê-lo um dia, e que flua bem como aconteceu com você.
    Beijoos!

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem?
    Já li algumas impressões sobre esse livro e vi que as pessoas tem aceitado ele muito bem. É uma pena, entretanto, que o livro não tenha funcionado tão bem pra você. Também não achei muito legal esse livro funcionar bem separado da trilogia, pois não imagino uma leitura assim.
    De toda forma, vou anotar a dica.
    Beijos ♥

    ResponderExcluir
  11. Gostei bastante do que o livro parecia propor, mas o fato de ter uma relação em que o coração da mocinha fica dividido, aí já não rolou. Pelo menos no momento, não pretendo ler algo do tipo, e o fato dos dois rapazes não encantar em tanto, também contribuem para tal. De qualquer maneira, que bom que a leitura valeu a pena para você.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir