20 março 2017

[Resenha] As cores da vida - Por Kristin Hannah



Título: As cores da vida
Autor (a): Kristin Hannah
Páginas: 352
Editora: Arqueiro
Skoob || Encontre

Sinopse: Uma arrebatadora história sobre irmãs, rivalidade, perdão e, em última análise, o que significa ser uma família. As irmãs Winona, Aurora e Vivi Ann perderam a mãe cedo e foram criadas por um pai frio e distante. Por isso, o amor que elas conhecem vem do laço que criaram entre si. Embora tenham personalidades bastante diferentes, na verdade são inseparáveis. Winona, a mais velha e porto seguro das irmãs, nunca se sentiu em casa no rancho da família e sabe que não tem as qualidades que o pai valoriza. Mas, sendo a melhor advogada da cidade, ela está determinada a lhe provar seu valor. Aurora, a irmã do meio, é a pacificadora. Ela acalma as tensões familiares e se desdobra pela felicidade de todos – ainda que esconda os próprios problemas. E Vivi Ann é a estrela entre as três. Linda e sonhadora, tem o coração grande e indomável e é adorada por todos. Parece que em sua vida tudo dá certo. Até que um forasteiro chega à cidade... Então tudo muda. De uma hora para a outra, a lealdade que as irmãs sempre deram por certa é posta à prova. E quando segredos dolorosos são revelados e um crime abala a cidade, elas se veem em lados opostos da mesma verdade.


"Algumas coisas não podiam ser esquecidas, mesmo com muito esforço. Humilhação. Perda. Inveja. Eram emoções que ficavam surgindo na superfície. No final, é muito cansativo mantê-las escondidas. Winona sabia: ela havia tentado. Continuava tentando, mas às vezes, como esta noite, o esforço parecia insuportável."

Vivi Ann, Aurora e Winona eram três irmãs que perderam a mãe muito cedo e nunca conheceram o amor do pai, que era frio e distante, mesmo que elas tentassem agradá-lo constantemente. Na adolescência, possuíam uma convivência pacífica, e assim que cresceram, todas ficaram na mesma cidade, cada uma com seus afazeres: Winona se tornou uma advogada muito bem sucedida; Aurora, casou-se com um médico e se tornou mãe e esposa, em um casamento silencioso e frio; e Vivi Ann permaneceu junto com o pai no rancho da família, sua grande paixão, trabalhando com rodeios e cavalos, nos quais encontrava grande conforto. Porém, assim que um antigo amigo da família volta para a cidade, ele se apaixona por Vivi Ann e ela se deixa envolver pelo romance. Ao mesmo tempo, Winona deixa que volte à tona sua antiga paixão pelo homem, e junto com isso, deixa que resurja uma velha inveja da irmã, que vivia escondida em seus sentimentos, por Vivi ter tudo o que desejava, ser linda e ter todos aos seus pés.

"- Não estou surpreso. Ela é linda - afirmou ele.
Winona havia escutado essa frase de homens a vida toda. Normalmente eram seguidas por: Acha que ela sairia comigo? Sentiu seu corpo ficar tenso, recolhendo qualquer ponta de esperança que ela houvesse se permitido nutrir.
- Entre na fila - murmurou baixinho.
O que estava pensando, afinal? Ele era bonito demais para ela; era perigoso se permitir esperar alguma coisa. Principalmente agora que ele tinha visto a linda Vivi Ann."

Logo, as coisas parecem estar correndo bem com Vivi Ann pronta para casar-se e Winona conseguindo esconder seus verdadeiros sentimentos pelo bem da família. Mas assim que surge um homem no rancho, Vivi é arrebatada em uma intensa paixão, ao mesmo tempo que uma série de tragédias acontece, dividindo toda a família. Logo, vivi se vê desesperada, muito mais madura e corta de vez as relações com a irmã Winona, que se recusa a ajudá-la no momento em que mais precisa, enquanto aurora, a sempre pacificadora está ali, tentando não deixar o laço que as une se quebrar. Conforme o tempo passa, as irmãs passam por dificuldades, decepções e dores, e também descobrem o poder do sangue, a importância do perdão e a força do amor.

"O ultimato dele havia sido um lembrete de que os laços de família eram fortes. Durante toda a sua vida, ela considerara esse fato uma verdade essencial, indiscutível. Na noite anterior, no entanto, havia vislumbrado uma fragilidade nova para ela, uma linha falha correndo sob a superfície de sua família. Ela nunca antes tinha considerado que tudo aquilo pudesse ser condicional, que se a escolha errada fosse feita, um passo errado fosse dado, o solo antes tão sólido poderia rachar ao meio e deixá-los cair."

Em mais uma obra linda e cativante, Kristin Hannah nos mostra um pouco sobre família, descobertas, dor e amor, e nos faz mergulhar em um cenário lindo e em uma história da qual sentimos saudade muito tempo depois do fim,

"Antes de conhecê-lo, não sabia que todo o seu mundo poderia, às vezes, ser encontrado no rosto de outra pessoa, que linhas de expressão poderiam parecer vales a serem explorados; lábios, uma cadeia de montanhas."






Kristin Hannah já entrou para o rol de minhas autoras favoritas, uma vez que suas obras trazem sempre temas importantes e lindos de serem trabalhados, principalmente abordando família, e assim que esse livro saiu, obviamente desejei lê-lo. Porém, com os comentários que vi, logo as expectativas em relação a ele baixaram, e realmente, tendo em vista outros da autora que foram incríveis e me fizeram chorar por horas, esse foi um pouco mais fraco, mas não deixou de ser extraordinário e me ensinou muito, e ainda sinto vontade de voltar para essa leitura porque me apeguei muito aos personagens.

Talvez, esse livro tenha sido considerado um pouco mais fraco que os outros, por trazer um tema bastante cotidiano, a desavença familiar, principalmente entre irmãs, além de preconceitos contra certos tipos de pessoas e raças, e os outros da autora trazem temas como guerras, a Rússia antiga ou a perda de filhos e outros entes queridos. Mas de qualquer forma, gostei demais da abordagem, e me peguei em muitos momentos sentindo amor, raiva, tristeza e dor junto com cada um daqueles personagens presentes no livro.

O ponto mais positivo para mim foi essa pegada familiar, que faz com que nos identifiquemos com muitas situações que vemos ao nosso redor, de desentendimentos, discussões, discordâncias e etc. Também, fiquei apaixonada e encantada pelo cenário, que traz uma cidade pequena e um rancho, onde uma das personagens, Vivi Ann, mexe com cavalos, e achei muito interessante conhecer esse universo dos rodeios, das disputas, e principalmente muitas mulheres sendo presença intensa em cima dos cavalos. Além disso, foi abordado de certa forma o sistema carcerário, e a vida de alguém que é preso, e isso foi muito interessante pois mostrou de forma bastante verdadeira os sentimentos que isso causa em alguém e também como funcionam os processos, de uma forma que não se tornou cansativa em nenhum momento.

O livro não tem pontos negativos intensos, apenas em alguns momentos certos personagens e atitudes se tornam irritantes, e durante muito tempo na leitura eu fiquei desejando que surgisse algo mais impactante, como nos outros livros da autora, para mexer com a obra e me emocionar, mas ao final, acabei percebendo que é o quebra-cabeças de pequenas coisas cotidianas que forma o livro e que o faz ser ótimo.

Não temos um único personagem principal. As três irmãs são protagonistas da obra e ganham igual espaço, sendo que acompanhamos o ponto de vista de cada uma, conhecendo seus sentimentos, dores e amores de igual forma. Confesso que acabei me identificando mais com Vivi Ann, provavelmente por ela ser uma pessoa bastante cativante e uma das que mais teve sofrimentos na vida. Já aurora, foi de certa maneira bastante neutra, uma vez que é a pacificadora, e raramente fala sobre seus problemas pessoais, sendo que passamos a conhecê-los mais no fim do livro, mas ela não perde em nenhum momento essa qualidade de querer apaziguar, e ilustra muito bem algumas pessoas que existem na vida real. Por outro lado, Winona, me deixou com sentimentos conflitantes durante todo o livro, pois ao mesmo tempo que ela faz muitas besteiras, também está fazendo o que acha certo, e traz consigo vários traumas devido a rejeição do pai e por viver tentando alcançar algum reconhecimento desse homem, que nunca vem, então é alguém cheia de problemas, de baixa autoestima e de excesso de peso, além de ter um grande conflito com seus relacionamentos, que nunca dão certo. Também temos um homem marcante, intenso e que nos leva a nos sentir divididos em relação ao que sentimos a ele: Dallas, um estranho que aparece e muda a vida de toda a família, e que ora desconfiamos dele, e ora o adoramos, e é alguém cujo fim me agradou muito.

O livro é dividido em trinta capítulos, narrado em terceira pessoa, e dessa forma podemos acompanhar a jornada de todos os personagens. A história se passa em um período razoavelmente longo, sendo que o prólogo acontece em 1979, onde podemos conhecer as três irmãs ainda na adolescência; o primeiro capítulo ocorre a partir de 1992, onde se dá muitos dos acontecimentos que governarão o futuro das três, e por fim 2007, onde se passou muito tempo e temos o auge da história e o fim do livro. Além disso, realizei a leitura em ebook e não encontrei erros.

Essa é uma história de amor, redenção, família e perdão, e traz muitos dos problemas das mulheres como relacionamentos fracassados, ou ainda, fazer tudo por um amor; o problema da obesidade, do preconceito, e também algumas mulheres que se anulam para o bem de seus relacionamentos. É um livro cheio de aprendizados, e recomendo-o para todos os leitores que gostam de enredos envolventes, cativantes, com romance e drama e que deixam um imenso gostinho de quero mais e de "preciso ler mais coisas dessa autora".

16 comentários:

  1. Nossa Tamy, que delícia foi reviver essa história, o Winona é uma protagonista chata e vc colocou em palavras mais delicadas meus sentimentos por ela. Amei reviver as emoções que esse livro me trouxe.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tamara!
    Já ouvi falar muito da Kristin Hannah, mas nunca li nada dela. Dizem que os livros dela são incríveis. Sempre com muto drama e amor. Esse não deve ser uma boa pedida para iniciar a leitura dos livros dela, já que você disse que esse deve ser o mais fraco dos livros da Kristin.
    Qual dos outros eu devo começar?
    Obrigada pela dica!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Fiquei muito interessado pelo livro assim que fiz a leitura da sinopse, quando diz sobre rivalidade, isso é um aspecto que gosto muito em livros, pois sei que na maioria das vezes aparece perdões, redenções e reconhecimento e pelo visto é disso que trata a história, o enredo apresentado também chamou muita a minha atenção. Adicionei o livro à minha lista de desejados e irei fazer a leitura o mais rápido possível, amei a resenha! ♥

    → desencaixados.com

    ResponderExcluir
  4. Olá!

    Acredito que considero esse livro dos meus favoritos, e apesar de Winona ser considerada "chata", ela foi minha personagem favorita, seu medo de se arriscar foi o problema para ela na trama. Adorei ver o livro por suas palavras, realmente dá uma vontade de ler mais livros da autora.

    -Nicoli Alexandre, As Meninas Que Leem Livros.

    ResponderExcluir
  5. Li apenas um livro da Kristin Hannah e fiquei fascinada pela escrita dela, então, mesmo seu ignorasse todos os elogios que estão fazendo para este livro, eu iria desejar ler da mesma forma. Gosto desta coisa de dramas familiares e acho que me encantarei por mais outra historia da autora.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá Tamara!
    Ainda não li nada dessa molher e estou muito triste por não ter feito isso.
    Gostei de conhecer suas impressões e fiquei contente por os pontos negativos serem mais relacionados atitudes irritantes dos personagens do que um problema em si.
    Acho interessante essa pegada familiar que o livro tem, é bastante bacana nos identificarmos com o que acontece.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Oi
    Tudo bom?
    Nossas história parece ser bem emocionante é sempre digo que os laços de sangue sempre falam mais alto.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie! Tudo bem?

    Nunca li nada da autora, mas infelizmente nenhum livro dela me chama a atenção, sempre que leio alguma resenha elas são bem positivas, mas não despertam meu interesse pela trama e infelizmente com esse livro não foi diferente! Por enquanto passo a dica!

    Bjss

    ResponderExcluir
  9. hi baby, tudo bem? ainda não tinha ouvido falar desse livro mas parece ser bem interessante, seus elogios me intrigaram a cerca do tema dele, não é uma leitura que eu faria agora mas com certeza farei no futuro, parabéns pela resenha

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas ainda bem que gostaste de fazer a leitura, que os capítulos não são muito longos também...

    Enfim, adoro que o enredo seja envolvente tao cativante assim, aprecio que sejam mais do que um protagonistas! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  11. Oie...
    Adorei sua resenha!
    Infelizmente, ainda não li nada da autora, mas, pretendo mudar essa situação em breve, pois, só leio elogios sobre suas obras. Assim como você, também adoro livros que tem essa pegada familiar, portanto, já estou anotando nos desejados...
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi, Tamara!
    Já li alguns livros da Kristin e amo a escrita dela, suas histórias são envolventes, nos emocionam e se tornam marcantes. Tenho esse livro na estante para ler assim que tiver um tempo, como é um drama costumo adiar mais leituras do tipo, mas com certeza é um livro vou conferir logo. :)

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  13. Oiee Tamara ^^
    Já vi muita coisa sobre os livros da autora, mas ainda não li nenhum. Parecem ser interessantes, principalmente este, que traz tantas desavenças familiares. Fiquei tentando imaginar o final agora...haha' Uma pena que não tenha acontecido muita coisa impactante na história, e que os personagens tenham se tornado um pouco irritantes em alguns pontos :/
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Oie
    eu tenho o livro aqui e foi muito bom ler sua resenha para esclarecer pois ainda tinha dúvidas se queria de fato ler, ótimo saber que há pegada familiar com quem nos identificamos, adorei sua resenha

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Tenho ooutro livro desta autora, mas ainda não consegui lê-lo. Geralmente leio coisas boas a respeito dela, mas pelo jeito esse livro não foi um de seus melhores.

    Fico feliz que, mesmo assim, tenha encontrado pontos positivos nos temas abordados pela Kristin Hannah. Não é muito meu estilo de leitura, entretanto e acho que só me arrastaria na leitura. Mas quem sabe ainda consigo ler este também?

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  16. Olá Tamara...
    Eu tenho muita curiosidade de ler alguma obra da Kristin por ouvir muito bem dela por esse nosso meio. Você falar que ela é uma das suas autoras favoritas so me mostra mais uma vez isso. Uma pena esse não ser um dos melhores livros dela, mas a história me chamou a atenção e eu me interessei pelo tema... essas desavenças familiares são algo bem presente e verdadeiro na grande parte das famílias e achei interessante ter isso narrado.

    beijos
    Livros & Tal

    ResponderExcluir