09 março 2017

5 motivos para se ler: Diário de uma escrava



Sabe quando você lê um livro e sente que há um "divisor de águas" dentro de você? Essa foi a sensação que tive assim que concluí Diário de uma escrava. Não vou negar, fiquei meio paranoica, mas de uma forma boa, pois nunca me importei em andar sozinha ás 23h30 quando descia do ônibus da faculdade a caminho de casa. Nunca fui ingênua e até me considerava esperta sobre perigos, mas apôs a leitura pude perceber que cairia facilmente em algumas dessas armadilhas.

Diário de uma escrava é um livro que considero importante de se ler. Ele é pesado sim e até mesmo revoltante, mas é um alerta gigantesco com luzes vermelhas piscando para todas as mulheres. Não leu ainda estória?? Então venha, vou te dar 5 motivos.




1- Ficção.... mas realidade
Rô Mierling fez uma pesquisa apurada e extensa sobre casos de sequestros e abusos sexuais antes de conceber o livro. Baseado no comportamento desses agressores, surgiu Estevão, ou melhor, o Ogro, e com a Laura foi a mesma coisa. Tudo foi contextualizado de forma fictícia mas as situações que o livro mostra são reais, e isso foi o que mais me chocou na obra, mas também o que me instigou a ler.




2- Laura
Laura é uma personagem complicada para se dizer no mínimo. Levada ainda adolescente para viver num buraco e ser escrava sexual de um homem que todos julgavam normal, ela passa por diversos estágios de comportamento ao decorrer da estória, e, por ser a narradora principal entramos fundo em seus sentimentos. Tenho que dizer que demorei um pouco para entender a mente dela, até porque é realmente complicado para qualquer ser humano entender a gravidade das feridas psicológicas que Estevão lhe causou, só depois de me aprofundar um pouco mais na Síndrome de Estocolmo que compreendi o que estava acontecendo em seu íntimo. Compreendi, mas não aceitei.





3- Síndrome de Estocolmo
Em Estocolmo, capital da Suécia, surgiu a Síndrome de Estocolmo. Uma assaltante, um presidiário e 4 civis conviveram por seis dias dentro de um banco apôs um assalto. O que chamou atenção foi o fato dos reféns tentaram proteger os criminosos apôs criarem laços afetivos.E assim acontece com Laura, ela passa por diversos estágios ao decorrer da estória, mas tudo culmina na dependência de seu sequestrador.
A autora foi muito coerente ao mostrar sutilmente que Laura estava sofrendo essa síndrome, nem nós leitores percebemos isso até ela mesmo admitir que só ele conseguiria amá-la depois de tudo que aconteceu. Vemos as coisas desenrolarem pelos olhos da vítima, mesmo ela o odiando com todas as forças, também precisava dele. Pra mim foi o ponto crucial do livro pois até então nunca pude ver sob a perspectiva da vitima como isso acontecia, até então pensava que era loucura, mas não, é real e fica marcado profundamente nas vítimas.




4- Envolvimento com a estória
A estória é revoltante, dilacerante e pesada em diversos níveis, mas tudo isso faz com que o leitor fique extremamente preso ao enredo. Eu desejei saber o que aconteceria com a Laura assim que comecei a ler, e a cada página que rolava minha ansiedade foi aumentando a um ponto onde não larguei o livro até saber o que acontecia. O fato da escrita da Rô ser sensacional também ajudou (risos).





5- Um agrande alerta
No final da estória a autora deixou relatado os casos que serviram como pesquisa e embasamento na estória de Laura, e ainda trás uma nota de alerta. O livro pinta diversas situações e ciladas "inocentes" que o louco do Estevão usava para atrair suas vítimas, e sabe o que é pior, são situação que a maior parte das jovens cairiam facilmente. Como se encontrar com um cara da internet, ou uma jovem pedindo para chegar ao carro pois está quase desmaiando, entre outras situações. Não vou entrar em detalhes pois quero que vocês descubram cada uma delas. Depois de ler Diário de escrava, digo até que fiquei mais ligada nessas situações, e até mesmo orientei minhas irmãs para ficarem espertas. Creio que foi exatamente esse o proposito da autora, e foi cumprido com excelência. 

10 comentários:

  1. Olá, Stefani!
    Eu já estava louco para ler o livro, e seus comentários só aumentaram essa vontade. Não sabia que o livro abordava também a Síndrome de Estocolmo, me parece um livro especial em muitos sentidos.

    Abraço!
    http://lupiliteratus.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Stefani, o motivo que mais me deixa curiosa quanto à leitura, é o fato da história ser muito tensa e como você bem usou a palavra, dilacerante e ainda assim, envolver o leitor, trazer o leitor para dentro deste drama. Amo livros assim, ainda que eu sofra lendo. Quero muito ler.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Ola
    Eu já não precisava de nenhum motivo para ler esse livro pois so pelo que já tinha lido de comentários estava bem empolgada mesmo. Agora os motivos que você deu me deixaram ainda mais curiosa, e legal saber alguns pontos que eu desconhecia, como o aprofundamento de Laura e a questão referente a síndrome de Estocolmo.
    Beijos, F

    ResponderExcluir
  4. Dizer que estou ansiosa por esse livro ainda é pouco,já comprei o meu é só estou esperando chegar, já tive até pesadelos com a história, seu post só aumentou mais ainda a minha ansiedade! Deve ser interessante a questão da síndrome de Estocolmo.

    ResponderExcluir
  5. Oiii,

    Eu estou louca para ler este livro, só li coisas positivas e seus cinco motivos me deixaram mais desesperada ainda para ler, ele parece ser instigante e revoltante ao mesmo tempo, fora a capa maravilhosa e essa edição que parece ser no minimo perfeita <3

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  6. Eu ganhei esse livro há pouco tempo, mas ainda não li. Eu acho a edição lindíssima, e lembro de ter ouvido falar muito dele quando ele estava no Wattpad, porém, como eu não curto a plataforma, não li. Então fiquei bem satisfeita quando descobri que ele seria lançado.
    A parte da síndrome de Estocolmo chama muito minha atenção.
    Será uma das minhas próximas leituras.

    Beijo

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    O livro é lindo. Mas não é o que me chama a atenção. O que mais me chamou a atenção foi o fato da personagem se "apegar" ao sequestrador. Tem um filme, 3096 dias que me fez lembrar bastante do enredo desse livro. Pesado. Mas não deixa de ser realidade. Espero poder acompanhar a trajetória de Laura em breve.

    ResponderExcluir
  8. Oie
    não creio que envolve síndrome de estocolmo, eu quero para ontem esse livro, já queria antes agora então, nem se fala, adorei os motivos e parabéns pelo post

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Oiee!!
    Acho a edição desse livro maravilhosa e sempre fui apaixonada pela capa, porém o título me assustava um pouco, e eu tinha um pouco de receio de procurar saber mais sobre ele.
    Mas acho muito interessante ler sobre a Síndrome de Estocolmo, e fiquei muito curiosa para saber mais sobre o que a personagem passa e como ela chegou até esse ponto!
    Obrigada pela dica!
    Um beijo!

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  10. Não lerei esse livro.. Sei que é incrivel, que é mto bom, que é um divisor de águas... Mas é cruel demais pra mim. E não gosto de borboletas.

    Não duvido que seja envolvente, que seja completamente real e apresenta uma síndrome que encontramos por aí. É claro que é importante para saber que as pessoas ruins estão aí, vestidas em nossos vizinhos, nossos colegas de escola, de trabalho, o crush da internet... É ser inocente demais cair em qualquer labia, especialmente da internet. Se você tem anos de casa (como eu, com 31 anos e acesso a internet desde os meus 14 anos), sabe onde pode e onde não pode ir.

    É um alerta, sim... Mas ainda assim, não irei ler esse livro =3

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir