23 fevereiro 2017

[Resenha] A menina submersa - Por Caitlin R. Kiernan



Título: A menina submersa
Autor (a): Caitlin R. Kiernan
Páginas: 320
Editora: Darkside Books
Skoob || Encontre

Sinopse: Com uma narração intrigante, não linear e uma prosa magnífica, Caitlín vai moldando a sua obsessiva personagem. Imp é uma narradora não confiável e que testa o leitor durante toda a viagem, interrompe a si mesma, insere contos que escreveu, pedaços de poesia, descrições de quadros e referências a artistas reais e imaginários durante a narrativa. Ao fazer isso, a autora consegue criar algo inteiramente novo dentro do mundo do horror, da fantasia e do thriller psicológico.

India Morgan Phelps é uma garota na casa dos vinte e poucos anos. Diagnosticada com esquizofrenia, tal qual sua mãe e sua avó, ambas mortas por própria vontade há um bom número de anos. Imp, como prefere ser chamada, tenta viver sua vida a despeito de perdas, danos e problemas causados por sua condição de portadora de distúrbio mental. Além de um romance com uma mulher transexual, Abalyn.

"A Menina Submersa foi pintado em 1898 por um artista de Boston, chamado Phillip George Saltonstall. Quase ninguém escreveu sobre Saltonstall. Ele tende a ser agrupado aos simbolistas, embora um artigo o chamasse de um “discípulo americano tardio da irmandade pré-rafaelita”. Ele raramente vendia, nem sequer mostrava suas pinturas e, no último ano de vida, chegou a queimar cinquenta quadros numa única noite." Cap. 01

Entretanto, quando uma misteriosa garota chamada Eva Canning cruza seu caminho, realidade e fantasia se misturam em sua mente, criando uma confusa mistura entre narrativa fantástica, sua própria, e igualmente complicada, biografia, e fatos que podem ou não ter ocorrido. Esta é a história, ou quem sabe não, de Imp.





Pense em um livro que é demorado de ler.
Não por ser ruim ou mal escrito, mas que é porque é um tipo de narrativa com a qual você nem brincando está acostumada. O caso de A menina submersa, de Caitlin R. Kiernan. (Em todos esses anos nessa indústria vital, essa é a primeira vez que isso me acontece.)* E por um bom tempo eu não quero isso me acontecendo porque, sendo sincera, esse não foi um livro fácil de ler. Definitivamente, ele desafia todas as coisas as quais estamos acostumados. Porque o chamado “fluxo de consciência”, ou o que for que a autora tenha usado porque dificilmente esse termo se aplica com acuidade, não é muito comum em qualquer leitura que eu já tenha visto.

"- Vou escrever uma história de fantasmas agora”, ela datilografou.
- Uma história de fantasmas com uma sereia e um lobo”, datilografou mais uma vez.
Eu também datilografei." Cap. 01

Não muito ajudado pelo fato de que a narradora é esquizofrênica, uma realidade com qual eu e possivelmente muitos de vocês não estamos acostumados. O que torna a leitura um pouco mais demorada e difícil, dado que queremos entender tudo o que se passa já que é isso que todos esperamos quando estamos imersos nas páginas de um livro. Lógico que não é apenas isso, mas a doença da Imp interfere muito no correr da narrativa, deixando os leitores confusos sobre o que é o fato concreto e o que é apenas devaneio da personagem. Até porque seriamente pensamos, em um primeiro momento, que há mesmo lobisomens e sereias no meio dessa história.

"De qualquer forma, mesmo com final feliz, a história me assustava. Primeiro porque eu nunca imaginava o lobo como um lobo de verdade, mas como uma criatura que caminhava ereta nas duas patas e parecia muito mais com um homem que com um lobo. Portanto, eu o considerava um lobisomem. [...]" Cap. 01

De tal maneira que eu demorei muito para terminar a leitura mesmo querendo saber o que aconteceria, o que era verdade ou delírio. No fim, eu ainda não tenho ideia sobre em que gênero encaixar A menina submersa. Muito menos sei qual foi a intenção da autora ao misturar referências reais e inventadas, que garanto não serem poucas, inclusive chega a dar um nó na cabeça, nessa situação. Ainda mais quando até contos de fadas são inseridos no meio da história sem aviso prévio.
O final da história, ao mesmo tempo em que consegue esclarecer os fatos tais como aconteceram, também deixa um monte de dúvidas. O que considero um tanto proposital, dado que como a protagonista sofre de esquizofrenia, fica difícil confiar em tudo o que ela narra mesmo que na altura do fim ela tenha logrado fazê-lo de forma um pouco mais coesa.

"Meu conto de fadas favorito quando eu era criança era “A Pequena Sereia” e eu gostava, em particular, de quando minha avó, Caroline, o lia. Ela guardava um velho exemplar gasto de Histórias de Hans Christian Andersen, que foi impresso em 1911, três anos antes de ela nascer. [...]" Cap. 01

Uma coisa que chama atenção no livro é o modo como Imp coloca fatos de sua vida pessoal sem deixar a narrativa ainda mais complicada. Me atrevo a dizer sinceramente que talvez essas sejam as únicas partes em que temos real certeza de não ser devaneio, mas aí já estou entrando na casa da interpretação. Quem leu e tiver algo diferente a dizer, use os comentários.

Fiz a leitura em e-book e não encontrei erros gritantes ou de espaçamento. Inclusive a edição está muito bem feita. No fim, apesar de ter gostado um bocado da leitura depois de parar um pouco para pensar nela, razão pela qual dei cinco estrelas, recomendo só para quem tiver muita paciência, porque garanto que não é uma leitura fácil.



*:

16 comentários:

  1. Oi Renata,
    Confesso que não tenho vontade de ler esse livro justamente pela forma lenta como ele se desenvolve. Não me imagino nesse cenário pensando o que é verdade e o que é delírio e acho que essa situação incomodaria, sabe?
    Entretanto, achei legal que, mesmo sendo uma leitura lenta, você gostou dela.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Teve uma época que eu estava muito afim desse livro,principalmente pela edição dele que é linda,porém todas as resenhas que eu li dele são unânimes em dizer o quanto ele é confuso,e sinceramente tive medo de não ter paciência e não comprei.

    ResponderExcluir
  3. Já ouvi elogios e criticas cruéis para este livro e ainda não decidi se quero ler ou não. Tenho um pouco de medo deste limite entre ficção e e realidade e acho que ficaria confusa. Mas tenho que dizer que gostaria de ter o livro porque esta arte gráfica é maravilhosa.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oiii,

    A capa deste livro é simplesmente perfeitaaaa, e é uma história que eu sempre tive curiosidade de ler, mas fiquei um pouco desanimada por você dizer que é uma leitura para quem tem paciência, o que não é muito meu forte rs, quando eu estiver mais disposta vou tentar ler então rs.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  5. Oie! Tudo bem?

    Eu amo a capa desse livro, é linda. Mas o tipo de história que o compõe não me chama a atenção e dificilmente realizo a leitura de livros assim, essa é a primeira resenha que leio sobre o livro, e por mais que pareça ser bem interessante eu não tenho paciência para narrativas como esta que você citou, por isso por enquanto deixo a dica passar!

    BJss

    ResponderExcluir
  6. Olá,

    Não conhecia o livro, mas confesso que ele me chamou atenção. Parece ser uma leitura um pouco confusa, principalmente se às vezes o leitor não sabe o que de fato é real e o que é devaneio da personagem. Achei bem interessante a proposta da obra, nunca li nada assim, mas espero ler em breve!

    www.virandoamor.com

    ResponderExcluir
  7. Oi, tudo bem?
    Sou apaixonada por esta edição da DarkSide (como não amar essa editora?), e tinha curiosidade de ler esse livro. Mas saber que a história é tão confusa, me desanima muito. Mesmo sabendo que muitas coisas seriam explicadas no final, acho que não teria paciência com uma leitura assim.
    De qualquer forma, achei bom que você gostou do livro e adorei a sua resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá!

    Eu já vi muita gente falando sobre os mesmos pontos que você sobre esse livro, inclusive minha irmã não sentiu vontade de termina-lo. Acredito que seja o tipo de livro que tem um publico alvo, um nicho, bem especifico, mas que não deixa de ser interessante!

    Bjus

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? Já li outras resenhas a respeito desse livro e a sua só veio para confirmar que o livro é sim bom, mas complicadinho de ler. A premissa é interessante e queria muito conferir a narrativa pelo ponto de vista de uma personagem com esquizofrenia (por mais que esse seja talvez o maior motivo que deixe a história confusa). Provavelmente o livro não estará na meta dessa ano, mas a dica já está anotada para um futuro. Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Olá! Bom saber que a narrativa é bem diferente e isso faz o livro ser demorado. Pelo jeito o livro realmente apresenta ser bem confuso. E por dar essa insegurança de se os fatos são reais ou não, acredito que cada leitor terá uma visão diferente. Bom quando o final trás esclarecimento, não gosto muito de quando deixa muitas dúvida, mas também concordo que é um tanto proposital neste livro. Amei sua resenha, dá para ter uma boa visão do que esperar desse livro. Dica anotada. Beijos'

    ResponderExcluir
  11. Apesar de ser louca para ler o livro, confesso que esta escrita mais difícil tem me deixado em dúvida se leio ou não.
    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Oiee Renata ^^
    Esse livro é mesmo um pouco demorado, eu inclusive cheguei a achá-lo cansativo. Mas é uma obra bem diferente de tudo o que já tinha lido, achei a narrativa impressionante, e a edição era linda (mesmo sendo a antiga, a que tem o rosto de uma menina na capa).
    MilkMilks ♥
    http://shakedepalavras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Oii Renata, tudo bom? Gostei de saber sua opinião sobre o livro. Eu tenho muuita vontade de conferir mas tenho medo de não gostar, pois como você disse ele é diferente de tudo, com essa narrativa "picotada" e personagem com esquizofrenia. Mas como esse é um tema que eu tenho interesse, acho que darei sim uma chance.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Oi, Renata

    Olha, quando esse livro foi lançado eu até tinha curiosidade, mas já pude ler algumas resenhas e praticamente todas apontam a mesma coisa que você: leitura difícil.
    O fato da esquizofrenia estar presente me parece muito interessante, mas não posso me dar ao luxo de ficar presa em uma leitura assim.

    Beijo

    ResponderExcluir
  15. Li esse livro há uns 2 anos atrás, também tive dificuldade com a leitura por seu conteúdo. É uma leitura pesada e te deixa extremamente confusa. Não lembro mais muita coisa, mas me lembro que eu fiquei perdida em muitas de suas alucionações. É muito estranho nós, cuja neurose é ligeiramente saudável, tentamos adentrar no mundo que é construído por mentes que estão conturbadas. Mas gostei muito da leitura, só recomendo que quem o vá ler seja muito estruturado pois senão irá se perder na loucura da Imp.

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  16. Oi
    Esse livro está em minha lista há um tempinho.
    Apesar de não ser uma leitura fácil, acredito sim que vale a pena dar uma oportunidade. Esse mistura entre a verdade e delírio que você mencionou é algo que realmente desperta minha curiosidade.
    Gostei da sinceridade e espero ler em breve.
    Ótima resenha.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir