30 janeiro 2017

[Resenha] O Andarilho - Bernard Cornwell



Título: O andarilho
[A busca do Graal #2]
Autor (a): Bernard Cornwell
Páginas: 462
Editora: Grupo Editorial Record
Skoob || Encontre

Sinopse: Thomas de Hoocton, hábil e corajoso arqueiro inglês, deixa as fileiras do exército e parte em uma missão que o leva em viagens entre a Escócia e a França. O jovem segue a trilha do mítico Santo Graal, com a bênção da coroa britânica, e em seu caminho enfrenta inúmeros vilões e aventuras. Perigos e adversários que o conduzem a outra busca: A de suas verdadeiras origens, ligadas a uma misteriosa família nobre que, por séculos, teria sido a guardiã da mais sagrada das relíquias cristãs, mas que tinha caído nas desgraça da heresia.
Neste segundo romance de sua trilogia A Busca do Graal, Bernard Cornwell mais uma vez usa o cenário da Guerra dos Cem Anos para contar uma saga tão empolgante quanto as aventuras de Arthur e seus cavaleiros narradas na série As Crônicas de Arthur, que transformou para sempre a imagem daqueles heróis lendários.

Observação: Apesar de  ser o segundo livro da trilogia, procurei falar dele sem gerar spoilers, mas para aqueles que se sentirem inseguros na leitura, leiam apenas a parte da opinião que está totalmente livre de qualquer coisa sobre o livro anterior


Resenha anterior:
A busca do Graal #1 - O Arqueiro

"E, rezou ele, que uma das respostas seja a de que o Graal nunca existiu. Que seja um sonho, uma simples ilusão de fogo e nuvem num céu noturno, porque, caso contrário, Thomas temia que aquilo levasse a pessoa à loucura. Ele queria abandonar sua busca, queria desistir do Graal e voltar a ser o que era e o que queria ser: um arqueiro da Inglaterra."

Durante a batalha de Créssy, uma batalha que deu a vitória aos ingleses e que deixou muitos mortos e feridos, Thomas de Octon se depara finalmente com a lança de São Jorge, tesouro roubado da igreja de seu pai, e que ele prometera encontrar. Thomas descobriu que o autor do roubo era Guy de Vexille, um primo seu, e soube também que a família de Vexille, fora, por muito tempo, a portadora do desejado e temido Graal. Ao descobrir isso, o rei Eduardo da Inglaterra, imediatamente se interessa pelo assunto e ao saber que um monge na Inglaterra tivera contato direto com o pai de Thomas e que poderia lhes dar mais informações sobre o tesouro, imediatamente manda que o rapaz faça a viagem de volta para a Inglaterra, para seguir os rastros do Graal. Contra a sua vontade e insatisfeito por ter de deixar a guerra, Thomas segue viagem acompanhado de Eleanor, a mulher que o tem acompanhado, e o padre Hobbe, grande incentivador dessa longa busca.

"- E ele pode lhe falar sobre esse tesouro, esse Thesaurus. Você sabe a respeito dele?
- Sei alguma coisa, excelência - disse Thomas, cauteloso.
- Motivo pelo qual o rei o enviou, hein? - perguntou Lorde Outhwaite mas sem dar tempo a Thomas para responder. Pegou as rédeas. - Lute com os meus arqueiros, rapaz, mas tome o cuidado de ficar vivo, hein? Eu gostaria de saber mais sobre o seu Thesaurus. O tesouro é assim tão grande quanto diz a carta?
Thomas deu as costas para o seu Lorde Outhwaite de cabelos desgrenhados e olhou para cima, para a crista da montanha onde agora nada havia para ser visto, exceto as árvores de folhas de cores vivas e uma pluma de fumaça, que se diluía, dos chalés consumidos pelo fogo.
- Se ele existir, excelência - disse em francês -, será o tipo de tesouro que é protegido pelos anjos e procurado pelos demônios."

Porém, ao chegar na Inglaterra, Thomas e os companheiros conseguem encontrar O monge, mas descobrem também que todos estão correndo sério perigo, uma vez que um Frade dominicano francês e inquisidor está seguindo-os, a fim de conseguir antes de todos as informações tão ansiadas, e o rapaz se vê obrigado a fugir, para salvar sua vida e percorre vários locais e se envolve em batalhas. Mas logo, o perigo encontra Thomas novamente, e sofrendo devido há algumas perdas, ele enfrenta os mais temidos castigos e se vê de frente com a morte, ao mesmo tempo que consegue obter mais informações sobre o tesouro que busca para finalmente poder ficar em paz.

"Thomas olhou para o texto e viu que Mordecai estava certo. Aquele era o depoimento de seu pai. Ele tinha sido o copeiro do maior de todos os reis, do próprio Deus, de Cristo, e a frase confirmava os sonhos de Thomas. O padre Ralph tinha sido o copeiro. Ele possuíra o Graal. Este existia. Thomas teve um estremecimento."

Mais uma vez em um enredo carregado de batalhas, Bernard Cornwell nos apresenta um pano de fundo histórico esplêndido, e nos deixa ansiando por saber mais e e faz com que nos sintamos dentro da própria história assistindo de perto cada uma das batalhas.

"- Ele dizia que mesmo que a pessoa achasse o Graal não iria reconhecê-lo, a menos que se tratasse de alguém de grande mérito. - Ele fez uma pausa, e uma expressão de dúvida, quase espanto, surgiu-lhe no rosto por um instante. - Era preciso ser digno, dizia ele, para saber o que era o Graal, mas se a pessoa fosse merecedora ele iria brilhar como o sol. Iria deslumbrá-la."




Após a experiência com O arqueiro, primeiro livro do autor, que li e o primeiro também dessa trilogia que tanto me empolgou, comecei esse aqui ansiosa e ao mesmo tempo temerosa, pois sempre tenho receio de que os livros seguintes de uma série não sejam tão bons quanto o primeiro. E realmente, esse deixou um pouco a desejar e foi uma leitura bastante arrastada para mim.

Na verdade, o clima continua o mesmo, as batalhas continuam sendo extremamente bem descritas e o autor nos insere na obra de uma forma perfeita, como no anterior, mas de certa maneira, senti que aqui as coisas demoravam mais para acontecer, e que o autor ficava dando voltas e mais voltas para chegar no seu objetivo principal. Mas mesmo assim, foi uma leitura bastante boa e que me deixou curiosa com o terceiro livro.

O ponto mais positivo desse livro foi o aparecimento da inquisição. Esse foi um acontecimento do qual eu sempre ouvi falar, e nunca tinha lido uma obra que descrevesse tão bem os atos dos inquisidores e seus métodos, e aqui encontrei isso de uma forma muito bem apresentada. Além disso, senti que foi um livro menos carregado de batalhas, o que foi muito bom, pois no livro anterior senti que elas tinham aparecido em excesso.

Porém, pelo lado negativo, uma das coisas que mais me abalou no começo do livro foi a perda de certo personagem ao qual eu tinha me afeiçoado muito, e que me deixou perplexa, e foi uma das coisas que mais colaborou para o livro ser arrastado, pois eu me sentia chateada por essa perda a medida que ia evoluindo na história. Além disso, também tive um pouco de dificuldade com as cenas de batalhas, que acabaram ficando repetitivas e em certos momentos eu sentia que até já tinha lido cada uma delas no livro anterior.

Em relação aos personagens, Thomas é um rapaz que amadurece a cada novo livro e que mesmo não querendo se envolver nessa busca pelo Graal, sabe que é seu dever e seu destino, então se vê em um grande dilema por esse motivo. Também, o padre Hobbe é um homem que dá força a Thomas e é um padre bastante especial, por se envolver em todas as coisas e não focar apenas na religião. Ainda, tem-se novamente Eleanor em um papel de mulher forte e decidida, acompanhando seu amado onde quer que ele vá e isso se tornou admirável, e tem-se novamente também Jeanet, mostrando suas diversas facetas, mas foi uma personagem que me decepcionou, em relação ao livro anterior.

O livro é novamente dividido em três partes, e cada uma significa um momento importante da vida de thomas e se passa em lugares diferentes. A narração foi feita em terceira pessoa e não encontrei erros na leitura do ebook.

Recomendo essa obra para aqueles que leram o primeiro livro da trilogia e gostaram do ritmo de escrita do autor e de seu pano de fundo histórico. E recomendo para aqueles leitores que ainda não conhecem o primeiro livro da trilogia para que conheçam e se maravilhem, assim como ocorreu comigo, com esse autor tão bem articulado e que prende em seus enredos históricos.

23 comentários:

  1. Olá
    Eu conheço o autor e até tinha o primeiro livro em mãos para iniciar a leitura, porém não tive a oportunidade.. acabei emprestando e não me devolveram :( De qualquer maneira, tenho muita vontade de conhecer o estilo de escrita de um autor que recebe muitos elogios. E claro, adorei poder conferir suas impressões a respeito!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Tamara!
    Xiii... Já não é meu estilo de livro, aí você diz que ela se arrasta e se repete, já me desanimou. :/
    Vou passar essa série como dica para uma amiga. Ela já leu algo dele e gosta da escrita do autor. ^^
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  3. Também tenho esse receio em relação aos segundos livros, eles sofrem de uma maldição, né? Hahaha
    Que pena que a leitura desse foi arrastada. Eu gostei bastante de saber sobre o respaldo histórico da narrativa, mas o gênero não me agradou muito.
    Espero que o terceiro livro seja melhor pra ti.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Optei por ler apenas a parte de suas opiniões pessoais, eu tenho o mesmo "problema" que você, quando o primeiro livro de uma série ou trilogia é muito bom, eu fico morrendo de medo de me decepcionar com as continuações, tanto que tenho séries que até hoje nÃo acabei, justamente por este receio. Algo meio maluco, mas enfim...
    Não gosto disso, quando personagens que gostamos tanto se vão, isso faz com que se perca o carinho pelo enredo. Bom saber que o protagonista ao menos amadurece né ?!
    Pretendo ler em breve.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Não conhecia o livro, mas ele parece ser bastante atrativo. Uma pena essa continuação ter deixado um pouco a desejar, principalmente se o primeiro volume te agradou. Já ouvi outras pessoas falarem que nesse volume o autor pareceu enrolar um pouco nos acontecimentos, realmente isso bem ruim. Não gosto tanto do gênero, mas espero que no próximo volume a leitura melhore para você.

    Beijos!

    http://www.virandoamor.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Então, eu não gosto de histórias envolvendo batalhas, exercitos e essas coisas, então o livro já perderia pontos comigo aí. Saber que o autor deu uma enrolada e fez cenas um tanto quanto repetitivas não me anima em nada. Sei como é isso, peguei até um certo receio de ler trilogias por conta das voltas que os autores dão. Acho que esse livro não é para mim :/


    ourbravenewblog.weebly.com

    ResponderExcluir
  7. Li poucos livros históricos, mas tenho muito interesse em ler mais. Gostei de saber sobre esta trilogia, nunca li nada do autor, mas tenho uma vontade enorme de conhecer sua escrita. E ah, que ruim quando um personagem que gostamos morre assim... espero que ele não seja tipo o Martin e mate personagens importantes a todo momento, rs.
    Gostei da trama e vou adorar conferir essa parte da Inquisição.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  8. Oi, Tamara! Li ano passado essa trilogia e a continuação da saga, 1356.
    Para mim, o melhor livro foi o último, O Herege. Espero que goste tanto como eu! Mas comparado a outras obras do autor, minha série favorita foi As Crônicas Artur, é realmente imperdível se você curte Ficção Histórica :)

    Beijos,
    Giulia | 1livro1filme.com.br

    ResponderExcluir
  9. Oie! Tudo bem?
    Já faz tempo que encontro resenhas dessa trilogia por ai, mas não é um livro que me chame a atenção por mais que tenha um enredo que eu ame ler em livros, e odeio quando os autores acabam enrolando ou se repetindo no desenvolvimento da história, acaba que a gente perde o ritmo da leitura!
    Então dessa vez passo a dica, quem sabe numa próxima!
    Bjss

    ResponderExcluir
  10. Oi, Tamara!
    Livros com fundos históricos está entre os meus preferidos, sempre quis ler algo do Bernard, já por conta da narrativa dele. Tenho certeza que a escrita dele é muito bem feita, e bem desenvolvida para os fãs desse gênero.
    As vezes bate o receio mesmo de o livro não nos impressionar quanto o primeiro, mas é muito bom ficar na expectativa boa de que o autor vai melhorar cada vez mais.
    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Sou que nem você, sempre fico com receio do segundo livro, é tanto receio que chamo da maldição do segundo livro! O.O
    Infelizmente essa é uma trilogia que não me atrai muito, por algum motivo não sou muito chegada a histórias medievais. Porem tenho certeza que os leitores desse gênero irão gostar mesmo com os contras do autor!

    Beijos e até logo!

    ResponderExcluir
  12. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro nem mesmo a trilogia na qual se enquadra! :) Que bom que gostaste da leitura!!

    Eu confesso que a capa não me parec ela muito bem, mas acho bom que o ritmo de escrita do autora agrade!!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  13. Que pena que esse livro foi um tanto quanto arrastado para você. Não conhecia a trilogia e muito menos o autor e não foi algo que me chamou atenção. Isso somado a leitura um tanto lenta como você disse, me fez optar por não ler no momento. Beijos

    ResponderExcluir
  14. Oi, tenho que confessar que não conhecia a série e infelizmente mesmo com a sua resenha não tive interesse em ler... Acho que apesar de que o primeiro seja bom, os outros da série acabam não sendo realmente tão bons quanto. Outra coisa que não me chama atenção é a inquisição... por isso acredito que não gostarei tanto quanto você, sem falar que morte de alguém que eu gosto logo no início me deixaria com muita raiva... Foi bom conhecer essa obra que até o momento eu desconhecia, mas vou passar a dica dessa vez!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Já tinha ficado interessada pelo primeiro livro e fico feliz da continuação também ser legal. É essencial que as batalhas sejam bem escritas em livros assim né?
    Em trilogias, geralmente ou o segundo ou o terceiro livro acabam sendo arrastados, é bem comum. Espero que o terceiro feche a série com chave de ouro :)
    Beijos,

    Luana

    ResponderExcluir
  16. Oi Tamara! Sabe que eu gosto muito quando o autor nos surpreende e acaba eliminando algum personagem querido da história? Legal ter inquisição, também sou bem curiosa com esse assunto. Eu não conheço essa obra, mas promete, de acordo com sua resenha. Beijos

    ResponderExcluir
  17. Fiquei um pouco perdida na resenha por não ter lido o primeiro livro da série. Acabei parando e lendo direto a sua opinião. Os livros em si não me chamam a atenção, até porque estou evitando trilogias. Fiquei receosa porque logo no inicio do livro há uma perda, não sei se isso soa como bom ou ruim. E, cenas repetitivas me cansam. O lado bom é saber que os personagens amadurecem no segundo livro e buscam o seu destino.
    Bjs

    ResponderExcluir
  18. Oie, tudo bem? Não fazia ideia dessa série :O adoro histórias com ambientação em cenários históricos, principalmente em guerras! Pela capa eu jamais diria que se tratava de uma história assim, já achei que fosse alguma fantasia. Sobre ficar perplexa com a morte de um personagem: quem nunca? hahaha eu sou quem mais sofre com perdas literárias. Vou procurar saber mais sobre essa série, de verdade, chamou muito a minha atenção! Bjosssss

    http://porredelivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  19. Apesar de muito bafafá que vejo a respeito desse autor, ainda não li nada dele por falta de interesse mesmo. Apesar de gostar muito das crônicas arturianas, acho que fiquei feliz com a versão da Marion Zimmer Bradley... Sei que é um erro invalidar outros autora, mas...

    Acho que talvez por ter muita história e quase nada de fantasia, que ainda não coloquei minhas mãos nas obras desse autor! E estou supondo que seja meio que voltado para a era arturiana, por conta do Graal e tal =x

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  20. Oie
    Como não queria pegar spoiler fui direto para as suas considerações.
    Esse é um tipo de livro que gosto. Vou procurar saber mais sobre ele e o anterior.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Ola Tamara lindona não conhecia o livro, gostei muito da premissa, pena que houve a perda de um personagem querido, nós leitores nos apegamos aos personagens, te entendo. Dica anotada. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  22. Engraçado como parece existir uma maldição em cima dos segundos livros, não é mesmo?
    Isso é uma pena, mais ainda quando o autor mata um personagem que a gente gosta... parece que vai todo do contra para não curtir a leitura ou para largar. Que bom que mesmo com esses dois detalhes você ainda gostou da leitura.
    Tenho bastante vontade de ler algo do autor, mas realmente não é meu tipo de leitura e acredito que não terei a mesma experiencia positiva...
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir
  23. Olá,
    Já faz um bom tempo que quero ler a trilogia pelo fato de já ter lido algumas outras obras do Bernard e ter gostado bastante da escrita.
    A premissa é bem interessante e fiquei um pouco decepcionada ao saber que esse segundo livro foi meio arrastado pelo fato de você achar que as coisas demoravam mais para acontecer!
    Mas adorei saber que as descrições das batalhas continuam sendo feitas com maestria.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir