27 janeiro 2017

[Resenha] Como eu era antes de você - Por Jojo Moyes



Título: Como eu era antes você
Autor (a): Jojo Moyes
Páginas: 320
Editora: Intrínseca
Skoob || Encontre

Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Sua vidinha ainda inclui o trabalho como garçonete num café de sua pequena cidade - um emprego que não paga muito, mas ajuda com as despesas - e o namoro com Patrick, um triatleta que não parece muito interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor tem 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de ter sido atropelado por uma moto, o antes ativo e esportivo Will agora desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Sua vida parece sem sentido e dolorosa demais para ser levada adiante. Obstinado, ele planeja com cuidado uma forma de acabar com esse sofrimento. Só não esperava que Lou aparecesse e se empenhasse tanto para convencê-lo do contrário.
Uma comovente história sobre amor e família, Como eu era antes de você mostra, acima de tudo, a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.

Louisa Clark morou a vida inteira em uma pequena cidade na Inglaterra, cuja economia gira em torno do turismo atraído por um antigo castelo. Aos 26 anos, ela não possuí grandes ambições, está satisfeita em trabalhar como garçonete em um pequeno café na cidade, trabalho que lhe possibilita observar, conhecer e conversar com pessoas novas todos os dias. Até que um dia o pior acontece: o café aonde trabalha fechará as portas e Lou é demitida.

"- Ela é uma garota inteligente. Vai achar alguma coisa. Tem um currículo consistente, não tem? Frank vai escrever uma boa carta de referências.
- Ah, grande coisa... “Louisa Clark é muito boa em passar manteiga na torrada e excelente com o velho bule de chá.”
- Obrigada pelo voto de confiança, pai."

Com o emprego do pai por um fio e a irmã mais nova tendo que o usar o próprio salário para cuidar do filho pequeno, Lou é indispensável para a manutenção do sustento da família, e, em uma cidade tão pequena, com a economia em recessão, é quase impossível para Lou encontrar um emprego. Depois de várias tentativas frustradas, Lou é contratada para cuidar de um homem que ficou tetraplégico após sofrer um acidente de moto: Will Traynor.

"- Jesus Cristo – exclamou meu pai. – Dá pra imaginar? Como se já não fosse castigo o suficiente ficar numa cadeira de rodas enferrujada, você ainda tem como acompanhante a nossa Lou."

A princípio Lou não entende quais são as expectativas da família em relação ao seu trabalho, parece não haver muito que Lou possa fazer e ela começa a se sentir extremamente entediada, e o fato de Will não a querer por perto só piora as coisas. Depois de algum tempo Lou descobre que Will tentou cometer suicídio há pouco tempo e que fora contratada para impedir que isso acontecesse novamente. E pior: Will está determinado a passar pelo procedimento de suicídio assistido dentro de um ano – prazo que Will concedeu a pedido da família.

Determinada a impedir que Will ponha fim a própria vida, Lou, com o apoio da própria irmã e dos pais do Will, monta um cronograma recheado de atividades destinadas a fazer com que Will volte a sentir prazer pela vida e desista da ideia do suicídio. O que não será nada fácil, já que o Will se recusa até mesmo a sair de casa.





A Lou é peculiar, está sempre alegre, fala demais e usa as roupas mais chamativas que consegue encontrar, sem se preocupar com o que as pessoas vão pensar. A mãe do Will a contrata justamente pelo seu jeito alegre e expansivo, na esperança de que ela consiga animar o filho. No começo o Will rejeita qualquer tentativa de aproximação da Lou, e, é divertido ver como, aos poucos, ela consegue contornar a situação e se aproximar dele. Gostei muito do jeito da Lou, do modo como ela enxerga a vida e lida com as situações difíceis.

"- Pois minha mãe diz que gosto de sapatos diferentes desde os três anos. Ela comprou para mim galochas com purpurina azul turquesa, o que na época era bem diferente, as crianças tinham apenas galochas verdes ou, no máximo, vermelhas. Ela diz que desde esse dia, não as tirei mais do pé. Usava para dormir, tomar banho e ir para a creche até no verão. Meu visual preferido eram essas galochas com purpurina e meia-calça de abelhinha.
- Meia-calça de abelhinha?
- Tinham listras pretas e amarelas.
- Que coisa linda.
[...]
- Você pode achar que não mas, por incrível que pareça, Will Traynor, nem todas as garotas se vestem só para agradar os rapazes."

Com a mente aguçada e um humor ácido, Will me conquistou desde o inicio, apesar da amargura e do mal humor. Antes do acidente ele era um homem ativo, independente, que amava esportes radicais e viajar, ele não consegue entender como alguém gostaria de passar a vida inteira naquela pequena cidade da Inglaterra, sem conhecer as maravilhas que o mundo tem a oferecer. Lógico que dá para entender porque ele ficou tão mal humorado e amargo após o acidente.

"- Bom, você é um cara de sorte – disse Will, quando Nathan empurrou a cadeira de rodas para fora.
- Ela sabe dar um bom banho de gato. - Disse isso tão rápido que a porta se fechou antes que Patrick entendesse o que ele tinha dito."

Eu não conheço ninguém que seja (ou esteja?) tetraplégico e não estava familiarizada com as dificuldades e complicações pelas quais a pessoa passa. Por isso considerei impressionantes os detalhes que a autora conseguiu imprimir ao personagem: as dificuldades do dia a dia, as limitações, a perda de massa muscular, as doenças e complicações de saúde que surgem por conta da condição. Tudo extremamente realista.


Não sei se concordo e nem se faria o mesmo na situação do Will, mas dá para entender a decisão dele pelo suicídio assistido. Ele quer morrer a seus próprios termos, está cansado das limitações da vida que leva, sem contar que pode não resistir à próxima infecção que contrair – o que é muito comum em pessoas tetraplégicas. Ele não sabe que a Lou conhece suas intenções e começa a deixar que ela se aproxime e se torna menos amargo, e com o tempo, passa até a se divertir em algumas situações.


Achei muito interessante ver como a Lou se sentiu atraída pelo Will, pelo cheiro dele, pela textura da barba, pela beleza, pela inteligência e pela personalidade; tudo isso fez com que eu também me apaixonasse pelo personagem. O romance entre eles começou de maneira despretensiosa e tornou-se algo incrivelmente forte com o tempo, capaz de mudar os dois. Foi incrível ver o crescimento pessoal que ambos tiveram por se conhecerem. O Will ficava indignado por a Lou se contentar com essa vida de cidade pequena, totalmente sem ambições e acabou incutindo nela o desejo de crescer, de viajar, de conhecer coisas novas. E a Lou, por sua vez, conseguiu levar alegria ao Will no momento mais sombrio da vida dele, conseguiu fazer com que ele se sentisse vivo e revisse conceitos que ele tinha no passado. Um romance simplesmente lindo e único sem ser apelativo.

"Antes que ele terminasse a frase, inclinei-me na direção dele, puxei delicadamente o colarinho do pescoço e mordi a etiqueta que estava incomodando. Fiquei alguns segundos mordendo a etiqueta e fechei os olhos, tentando não sentir o cheiro de homem limpo, o contato com a pele, a inconveniência do que estava fazendo. Finalmente, arranquei-a. afastei a cabeça e abri os olhos, triunfante, com a etiqueta entre os dentes.
[...]
- De qualquer jeito, acho que devíamos agradecer por não ser uma etiqueta na calça."

Todos os personagens são muito bem construídos e possuem características e personalidades próprias. Não vou entrar em detalhes, caso contrário a resenha ficaria muito grande – sim, maior ainda! – e tem muitas coisas que eu gostaria de falar. Então só vou dar uma pincelada por cima. Temos Patrick, namorado da Lou de longa data, fica claro que os dois não são mais apaixonados e estão juntos por comodidade. A irmã da Lou é o gênio da família, sempre muito inteligente e estudiosa, sonhava em cursar a faculdade e sair de vez daquela cidade, mas teve seus planos frustrados ao engravidar ainda muito nova. Os pais da Lou são carinhosos, atenciosos e preocupados com as filhas, já os pais do Will se mostram frios e distantes


A narrativa é excelente, muito rápida e fluída. É um livro repleto de drama, e pesado, mas a autora conseguiu deixar leve e divertido na maior parte do tempo, só consigo descrever isso como genialidade. Eu realmente fico impressionada em como a autora conseguiu passar tantas informações e detalhes em tão poucas paginas.


Indico esse livro para quem gosta de leituras reflexivas, que fazem os leitores repensarem a própria vida. Sério, depois que terminei o livro fiquei com uma vontade imensa de vender tudo o que tenho e sair viajando com uma mochila nas costas. Minha vida passou a me parecer um exercício de futilidade. Foi difícil e demorei muito tempo para me recuperar. Por isso tenho um pouco de medo de ler outros livros da autora, não sei se consigo lidar com outro tranco desses tão cedo.
Quanto ao filme:


Dessa vez foi diferente para mim: interessei-me pelo livro depois que assisti ao trailer do filme. Normalmente acontece o contrário: assisto ao filme porque gostei do livro. Nesse caso, ainda consegui ler o livro antes de assistir ao filme e acabei gostando muito da adaptação. Ao contrario do que acontece em outras adaptações, foi bem fiel ao livro. Lógico que houve algumas mudanças, mas nada muito drástico ou traumatizante. Então se você gostou do livro, pode assistir ao filme sem medo!

18 comentários:

  1. Esse livro tem me provocado a muito tempo. Antes mesmo do filme ser anunciado, eu já o namorava. Mas não tive a oportunidade de ler.
    Então o filme veio, e com ele mas enxurrada de spoilers. O que me desanimou muito.
    Depois da sua resenha, muito bem escrita por sinal, percebo o meu erro em não ter cedido ao livro.
    E daí que o final não acabou como eles queria? Ainda sim é uma leitura válida e que tem muito a nos acrescentar.
    Dessa vez vou atender ao chamado do livro e espero gostar tanto quanto você.
    Beijos,Mila

    http://a-viagem-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro, que para mim é muito bem desenvolvido e eu adorei todas as características apresentadas. Sou apaixonada por esse livro e me emocionei demais com tudo... para mim, a leitura foi infinitamente melhor que o filme.. o filme foi agradável sim, mas não se compara a todos os sentimentos repassados no texto.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Oi, Barbara!
    Que livro mais lindo! Que filme mais perfeito! Suspirando e relembrando as cenas. <3
    O romance deles foi muito bonito e a autora inseriu isso de maneira tão singela e doce. Lou e Will são personagens que ficam em nossa mente por bom tempo. <3
    Também tenho receio de ler outro livro da autora. Esse despeçou meu coração!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Eu já conhecia o livro, alias já o li há uns meses.. :) E gostei bastante de o fazer, ainda que não seja muito o meu género!

    Agora, j atenho o seguinte...! ahah Bem, concordo que e bem reflexivo.. E sim, também costumo ler antes de ver o filme..! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Oiii, tudo bem?

    Li esse livro na época que tava todo mundo comentando que chorou horrores, vi a capa achei fofa, e fui ler esperando chorar. Também achei a leitura leve e rápida, flui, mas me decepcionei porque não chorei kkkkkk. Jojo escreve muito bem, mas fiquei desiludida. Aceitei muito bem o fim. Adorei a resenha.
    Bjua Rafa

    ResponderExcluir
  6. Olá amore,
    Esse livro está em minha lista de desejos a algum tempo... cada resenha que leio não acredito que ainda não li nada da Jojo... lendo sua resenha fico ainda mais perplexa por não ter lido nada.
    Adorei a resenha e as fotos!
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  7. Oie! Tudo bem?
    Nossa eu amo demais o filme baseado nesse livro! Eu só não chorei litros de lágrimas no cinema, porque sou bem fria em relação a filmes (a não ser que algum animal morra, dai você irá me ver chorando igual a um bebê) eu ainda não realizei a leitura do livro, mas tenho certeza que irei amar tanto quanto o filme, pois já sei o que esperar!
    Bjss

    ResponderExcluir
  8. Oi Barbara, tudo bem?
    Li esse livro ano passado e também me emocionei bastante com a história. Amei como a Lou é tão positiva em relação à tudo e como adora vestir roupas tão alegres, simplesmente me encantei com o jeitinho dela. Will, apesar de amargurado, também me conseguiu encantar com a sua genialidade em certas situações. Ah, e também não sei muito sobre a realidade de pessoas tetraplégicas e senti que o livro me ajudou a entender um pouco sobre.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Eu fiquei bem receosa quanto ao livro, tive até um certo preconceito depois dele ter caído no gosto de todo mundo. Mas daí assisti ao filme (já sabendo que ele morria) e amei. Não sei se conseguiria ler sabendo que o Will morre no final.
    Me apaixonei por ele no filme e ainda mais com algumas passagens que li no livro de uma amiga.
    Depois que vi a realidade do Will, passei a entender mais como é difícil a vida para pessoas tetraplégicas, fiquei bem tocada e fiz algumas pesquisas a respeito, embora também não conheça ninguém assim.
    Amei sua resenha e as citações,
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Sou louca pra ler esse livro pois até hoje só conheço a premissa da história, não tive contato nenhum com o filme, nem mesmo o trailer eu vi, espero conhecer o mais breve possível a escrita da Jojo, e sentir todas essas sensações boas que as histórias dela devem transmitir.
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Como você me interessei pelo livro depois do trailler, mas acabei nunca lendo o livro e nem vendo o filme. Mas o bom é saber que é uma boa adaptação, pois é muito ruim quando o filme fica muito diferente ou deixa a desejar do livro. Hoje, apesar de ainda querer saber da história, não sei quando lerei o livro ou verei o filme. Mas adorei seu ponto de visto, e suas fotos estão lindas.

    ;D
    Nelmaliana Oliveira

    ResponderExcluir
  12. Livro maravilhosoooo!
    Assim que vi o trailer, mesmo sem saber nada da história, fiquei louca para ler. Apesar de ter recebido aquele maldito spoiler, eu não consegui acreditar (me forcei a não acreditar). Acabou que eu, mesmo meio que sabendo, me emocioneei tanto e a ressaca literário chegou antes mesmo das páginas acabarem.
    E amei amei!!! E o filme.... <3

    ResponderExcluir
  13. Olá! Que bom que autora conseguiu escrever detalhes da dificuldades do personagem de uma forma impressionante. Não gostei da decisão dele, mas é compreensivo, e só para está no lugar dele para decidir. O jeito que a Lou se apaixona por ele realmente faz a gente se apaixonar. É bom mesmo ver o crescimento dos personagens. Sim, é um romance lindo é único!! Sua resenha está completíssima e belíssima! Beijos'

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Li a obra já faz algum tempo e quando soube da notícia da adaptação quase entrei em parafusos. A leitura me tocou de uma forma que eu não esperava e eu até entendo tudo o que Will teve que passar, como sua vida mudou e tornou-se limitada após o acidente. Mas não me conformo que realmente ele teve a morte assistida que tanto almejava!!! Chorei tanto rsrs

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  15. Olá, tudo bem por aí?

    Confesso que ainda não li, mas uma das minhas metas para 2017 é ler algo da Jojo, já que todo mundo a elogia tanto, apesar de não ser um dos meus gêneros favoritos. Eu assisti à adaptação cinematográfica, pois amo a Emilia Clarke... eu adorei o filme, então, provavelmente, gostarei do livro também. Sua resenha ficou ótima, como sempre... parabéns!

    Abraços.
    www.acampamentodaleitura.com

    ResponderExcluir
  16. Me sinto a Louisa em muitos aspectos.

    Li esse livro já sabendo o final, graças a um spoiler terrivel do facebook. Pessoas que dão spoiler deveriam ter as teclas do teclado saltadas para fora u.u

    Gostei muito da leitura e achie que o filme deixou a desejar em diversos aspectos, como no tabu do próprio suicidio assistido.

    comigo aconteceu parecido, só que fiquei com vontade de ler o livro quando soube do filme... E só vi o filme muitor tempo depois deseu lançamento, pois foi quando consegui encaixar o livro em minhas leituras.

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  17. Olá Bárbara!

    Eu confesso que tinha uma impressão diferente dessa obra, achava que tinha virado modinha demais e não me interessei pela história. Mas lendo sua resenha, percebi que julguei errado. Parece ser um romance dos bons e eu irei incluir na minha wish list desse ano com certeza, pois adoro esses livros que causam algum impacto e deixam alguma marca.

    Parabéns pela resenha!
    Beijão!

    www.facesemlivros.com

    ResponderExcluir