24 janeiro 2017

[Janeiro, Mês da Visibilidade Trans] Entrevista: Amanda Guimarães (Mandy Candy)



Meu nome é Amanda: Resenha || Skoob || Encontre || Canal


Oi gente maravilhosa do blog Rillismo e da internet, e vamos combinar que às vezes nem tão maravilhosa assim né, eu sou a Lady Trotsky e novamente estou trazendo um post relacionado ao Mês da Visibilidade Trans.

Nada mais nada menos que uma entrevista com a melhor pessoa, Youtuber, amiga, gamer e tudo o mais, Amanda Guimarães, mais conhecida como Mandy Candy. Cujo canal, Mandy para Maiores, já ultrapassa os 450.000 inscritos. E que eu sigo e recomendo a TODOS! (Sou fangirl sim sem qualquer vergonha.)


(Isso se chama felicidade plena, apenas. Dia do lançamento do livro da Mandy em Porto Alegre, no Shopping Praia de Belas, em agosto de 2016.)


1 – Diz aos leitores do blog Rillismo quem é a Amanda Guimarães Borges...
MC: Uma mulher trans, gaúcha, youtuber, viciada em games e viagens! 



2 – Como foi o processo de nascimento do canal Mandy Candy? E de onde veio o nickname?
MC: Quando deixei o Brasil para tentar a vida na China, minha única companhia era o Youtube. Como não tinha muitos amigos acabava passando grande parte do dia assistindo vídeos de vloggers e canais de gameplay, então pensei que podia fazer o mesmo e falar com a câmera já que não tinha ninguém para conversar! Mandy Candy surgiu do nada, não tinha nome para colocar no canal e coloquei Mandy por causa de meu nome Amanda e Candy pois rima com o Mandy, bem podre eu sei! (risos)



3 – O quão importante você considera abordar a transexualidade nos dias atuais?
MC: Temos que colocar a cara no sol para mostrar ao mundo que somos iguais a qualquer outra pessoa né? Infelizmente a mídia não costuma abordar o assunto, e quando aborda é de forma estereotipada. Então trago no canal minhas vivências para que as pessoas que me assistam consigam compreender um pouco do que passa com a gente.



4 – Se você tivesse de fazer um paralelo entre ser uma mulher transexual em Hong Kong e no Brasil, onde você considera mais fácil? (Pergunta inspirada no vídeo Brasil X Ásia)
MC: Aqui na Ásia eu não tenho medo de andar na rua e sofrer agressões. Hong Kong é segura em todos aspectos né? Enquanto o Brasil é o país que mais mata travestis e transexuais de todo mundo. 



5 – Quais foram as pessoas mais importantes na época em que você se descobriu e começou a transição?
MC: Minha família com toda certeza, se não fosse minha mãe acho que não estaria aqui hoje.
Quando sofria preconceito na rua ou no trabalho eu tinha para onde correr e com quem contar né? Triste que infelizmente não acontece o mesmo com a maioria das manas e manos trans.



6 – Quais são as tuas inspirações para os vídeos?
MC: Sou muito fã da Youtuber Gigi Gorgeous, a maior youtuber trans do mundo! Com toda certeza é minha maior inspiração.



7 – O quanto, na tua opinião, a representatividade importa em uma sociedade como a nossa?
MC: O mundo mudou, todos padrões aos poucos estão sendo quebrados e as pessoas estão conseguindo enxergar que a diversidade é muito maior do que elas achavam. Representatividade é importante por causa disso, as pessoas querem se enxergar naquilo que consomem. 



8 – Você tem uma playlist que considera A mais importante para a pessoa Amanda?
MC: Born This way - Lady Gaga
Me too - Meghan Trainor
I am the best - 2NE1



9 – Quais filmes ou livros sobre a temática transexualidade você recomendaria aos leitores do Rillismo?
MC: Livro vou recomendar o meu pode? (Pode sim e deve, linda.) Meu nome é Amanda! Nele abordo o assunto de forma fácil e acessível a todo mundo. Filme gosto muito da A Garota Dinamarquesa (tanto o filme quanto o livro).



10 – Qual foi o episódio de preconceito mais traumático que você sofreu até hoje?
MC: Um dia voltando do trabalho um carro com vários homens dentro passou do meu lado e quando percebeu que eu era uma mulher trans jogou uma cerveja em cima de mim. Tive outros episódios de transfobia mas esse me marcou pois estava no inicio da transição e foi aí que percebi que minha vida nunca seria a mesma.



11 – Qual foi a parte mais complicada do processo de transição?
MC: No meu caso foi encarar a sociedade, colocar o pé fora de casa como Amanda sendo que todo mundo te conhecia como um "menino". Encarar os olhares e conversinhas era muito difícil no inicio da transição. 



12 – Quais os teus planos para um futuro? Teremos mais um livro da Mandy?
MC: Esse ano estou me dedicando totalmente ao canal, minha meta é chegar nos 1M de inscritos até junho de 2018, tenho muito a mostrar e quero atingir o máximo de pessoas para tentar mudar o mundo nem que seja um pouquinho. Será que conseguimos? (SIM!)
Talvez ano que vem tenha outro livro, foi muito bacana o feedback do primeiro! 



13 – Qual o recado que você manda aos preconceituosos? E aos leitores do blog?
MC: Vivam suas vidas! nascemos assim e não tem nada de errado buscarmos nossa felicidade.
Preconceito não leva a nada, busque conhecer as pessoas antes de julgar. 



Primeiramente, muitíssimo grata por dividir com os leitores do blog essas lindas palavras! A gente te ama MUITO, Mandy!
Segundo, maroto que é maroto deixa comentário depois de ler a entrevista.

Até a próxima, marotada leitora!






22 comentários:

  1. Olá!
    Parabéns pela entrevista! Gosto muito das suas diversidades nos post e que bom que a família foi um papel importante para ela. Não conhecia o canal nem a entrevistada.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Oi, Renata!
    Adorei a entrevista. Tinha visto um vídeo dela a achei super bacana.
    É mesmo uma luta poder ser quem você sem ter que sofrer por conta disso. Admiro muito a batalha de cada dia da Amanda para poder ser ela é.
    Parabéns pela entrevista!
    Beijão!
    http://www.lagarota.com.br/
    http://www.asmeninasqueleemlivros.com/

    ResponderExcluir
  3. Oiii!!
    Muito boa sua entrevista! Já tinha ouvido falar da youtuber, mas não conhecia muito bem o trabalho dela.
    O preconceito hoje em dia é muito mais escancarado por causa da internet. Espero que ela tenha muito sucesso e continue sempre seguindo em frente.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Oi Renata, tudo bem?
    Eu adorei conferir a entrevista pois a Mandy é uma das minhas youtubers favoritas e sempre estou conferindo os vídeos novos que ela lança no canal. É realmente triste o Brasil ser o país mais transfóbico e que mata mais pessoas trans no mundo, o que é algo extremamente irônico, pois muitos homens consomem pornografia onde as atrizes trans e travestis atuam. Eu adoro essa mulher e espero muito que ela consiga ganhar 1 milhão de inscritos, ela merece muito!!

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  5. Olá,
    Achei muito bacana a entrevista. Eu ainda não a conhecia e achei muito interessante saber que ela é transex, acho importante a diversidade e igualdade. Legal o fato dela morar fora.
    Achei o cabelo lindo.
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Olá, como vai?

    Que entrevista incrível! Sabe, conheci a Mandy através da resenha que você fez do livro dela. Fiquei super curiosa para conhecê-la melhor, e essa entrevista SUPER veio a calhar perfeitamente. Adorei suas perguntas, e principalmente, as respostas sinceras da Mandy. Aproveitei e já fui lá me inscrever no canal dela, assim posso conhecê-la melhor. Parabéns pela linda entrevista! Desejo muito sucesso ao blog e a Amanda também! :D

    Beijos,
    Dai | Virando a Página

    ResponderExcluir
  7. Oie amore,
    Adorei seu post.
    Adoreiii as respostas dela. Quero muito ler esse livro, a algum tempo está na minha lista de desejos!
    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Meu Deus que entrevista maravilhosa! Ela me parece uma pessoa super carismática e sociável; é muito legal saber como foi esse processo e oque marcou ela nesse caminho, adorei suas perguntas, todas super coerentes, e amei todas as respostas sinceras dela; sucesso a vocês do blog e a ela <3
    Beijos,Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Muito legal a entrevista. Adorei ver as respostas da Mandy, sempre simples e sinceras. Muito triste isso do Brasil ser o país que mais mata travestis e transexuais, se cada um cuidasse da própria vida e deixasse os outros viverem as deles em paz com certeza aqui seria um lugar muito melhor. Que bom que ao menos ela consegue viver sem medo em Hong Kong.

    ResponderExcluir
  10. Olá, eu ainda não conhecia a Mandy antes do lançamento do livro (que, aliás, quero muito ler), e gostei demais da entrevista e de saber um pouco mais sobre ela. Acho importantíssimo trazermos o assunto a tona, para que tenha visibilidade e mais informação para que diminuam os preconceitos com as pessoas trans.

    ResponderExcluir
  11. Olá ♥
    Preciso falar que a resposta da pergunata 10 mexeu muito comigo, até quando as pessoas vão sofrer isso. Falo por que aconteceu um caso parecido com meu primo que e homossexual ele estava na rua e quando um grupo de cara perceberam que ele era gay bateram nele e jogaram bebidas nele. Amei conhecer um pouco mais a Amanda, e sempre que posso dou uma olhada nos videos dela que acho super bacanas. Gostei muito de suas respostas, e é bom saber que ela teve o apoio da família, por que hoje em dia em alguns casos as famílias são as primeiras que abandonam. Ela é um exemplo, e merece todo respeito <3
    Ameia entrevista.

    ResponderExcluir
  12. Eu não a conhecia, mes tenho uma vaga lembrança de ter visto essa capa em algum lugar.
    Muito bacana você ter conseguido essa entrevista, que está muito legal por sinal.
    O tema abordado no livro com certeza vai ajudar muita gente.

    Beijo

    ResponderExcluir
  13. Oiee Renata ^^
    Eu só sabia da Amanda por causa do livro, pois o vi no catálogo de lançamentos da editora. Realmente, a mídia não traz a transexualidade à tona, e, quando o faz, é de forma estereotipada. Acho que o mesmo acontece com o restante da população LGBT, né? Eu cheguei a ver "A garota dinamarquesa", mas ainda não li o livro *-*
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  14. Oi, parabéns pela entrevista! Ela está realmente incrível e nas respostas dela da para ver o ser humano incrível e iluminada que ela é. Tenho que confessar que eu não conhecia a youtuber, mas que achei a encantadora e que tem um canal que trata de assuntos sérios e que infelizmente, como ela mesma ressaltou, aqui no Brasil ainda é tratado com muito preconceito. Tenho que dizer que ao começar a ler, nas fotos, até parecia que a Mandy quem era a fangirl kk Amei a entrevista e desejo sucesso e que possamos ainda ver o mundo aceitando cada vez mais pessoas como ela, tão especiais e incríveis!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  15. Olá! Mandy Candy acho bacana o nome, nãos acho podre. Que bom que ela fala de um assunto importante de ser abordado. É uma tristeza e um absurdo o Brasil ser o país que mais mata travestis e transexuais de todo mundo. Que bom que a mãe e a família dela sempre a apoiou. Muito triste ela ter passado por episódios de transfobia, mas que bom que ela foi e continua forte. Adorei o recado pela para as pessoas preconceituosas. Foi bom saber um pouco mais da Amanda. Beijos'

    ResponderExcluir
  16. Oi gente linda, como estão?
    MUITO grata novamente por acompanharem meus posts no blog Rillismo! Saibam que fazer essa entrevista me deixou muito feliz! Especialmente porque ADORO a Mandy!
    Abracos e beijos da Lady Trotsky...
    http://rillismo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Editora Alicanto
    Inscrição: Link
    Finaliza em: 31 de Janeiro de 2017
    Resultado em: 15 de Fevereiro de 2017

    ResponderExcluir
  18. Oi, tudo bem?
    Eu não acompanho nenhum youtubers porque confesso que não ligo muito para essas coisas, sabe? Mas eu li a resenha sobre esse livro e fiquei bem curiosa com a história da Amanda e por isso fiquei animada com sua entrevista, pois é um meio de eu conhecer melhor ela.
    Bom, eu gostei muito das perguntas e respostas. Achei um máximo ela decidir fazer o canal e falar sobre a transexualidade, porque infelizmente a mídia não costuma abordar isso mesmo e é algo importante para falarmos, pois como ela falou, assim pode ser mostrado ao mundo que todos são iguais.
    Uma pena o Brasil não ser como Hong Kong, né? E menina, adoro a música "I am the best" kkkkkk Enfim, adorei conhecer um pouquinho da Amanda e te parabenizo por esses posts.

    Beijos :*

    ResponderExcluir
  19. Oie
    primeiramente, belo recado ela deixou no final da entrevista, concordo totalmente haha. Sobre o livro da autora, eu provavelmente não leria pois meio que fujo de livros de youtubers mas espero que os fãs gostem

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. Oi Reanatam tudo bem?
    Eu conhecia esse livro somente pela capa e sabia pouco sobre ele, e menos ainda soube a autora. E essa entrevista me serviu para abrir a mente sobre algumas coisas. Adorei muito essa postagem e a Mandy é super simpática!

    ResponderExcluir
  21. Ameiiii a entrevista com uma youtuber trans que eu nem sabia que existia, mas já curti pacas! Muito feliz em ver todas as diferenças sendo vistas e respeitadas em todos os âmbitos. Que daqui para frnte a causa trans ganhe cada vez mais visibilidade. Beijos

    ResponderExcluir
  22. Olá, tudo bem?

    Conheci Mandy Candy pelo seu livro "Meu nome é Amanda".

    No começo não sabia muito bem do que se tratava, mas lendo algumas resenhas me comovi com todo enredo.

    Achei a entrevista super bacana e é uma lástima vivermos quão preconceituoso ainda se encontra o Brasil!

    Desejo muito sucesso à Mandy e que ela consiga o tão sonhado 1M de inscritos em seu canal!!

    ResponderExcluir