19 dezembro 2016

[Resenha] Aprendendo a seduzir - Por Patricia Cabot



Título: Aprendendo a seduzir
Autor (a): Patricia Cabot
Páginas: 368
Editora: Planeta de Livros
Skoob || Encontre

Sinopse: O que qualquer mulher faria se flagrasse o noivo aos beijos com outra mulher?
Cancelaria o casamento e nunca mais colocaria os olhos no desalmado traidor. Certo?
Não lady Caroline Linford.
Apaixonada pelo belo e galante marquês de Winchilsea, ela não se dá por vencida e resolve ir em frente com o casamento. Afinal, lady Linford ama seu prometido.
Com o intuito de se tornar o único objeto do desejo de seu noivo, ela convoca o renomado Braden Granville, mestre na arte da sedução, para, com ele, aprender a ser a melhor amante que Winchilsea pode vir a ter.
Porém, a aluna se torna tão aplicada que arrancará mais que elogios de seu professor...

 A vida de Caroline está indo muito bem, obrigada! Noiva de um homem lindo, loiro, com olhos azuis, muito gentil e cavalheiresco com ela. Ah, e ele é nobre, um marquês que, ainda por cima, salvou a vida do irmão dela. Ele parece o homem perfeito e o futuro é promissor, certo? O que mais ela poderia querer? Hum, não é bem assim. Um dia, durante um jantar, Caroline flagra seu noivo com outra mulher em uma sala privada da anfitriã. Hurst, seu noivo, e Jacquelyn, a mulher que está com ele, uma antiga colega da faculdade, estão fazendo coisas que ela nem sabia que existiam. Por que Hurst nunca a beijou assim?

Caroline fica sem reação, até porque eles estavam fazendo muito mais do que beijar, e acaba não denunciando sua presença e saindo de fininho. Seu primeiro pensamento é no escândalo que será a anulação do noivado e a reação da sua mãe e do seu irmão, Tommy. Mas Caroline tem uma surpresa quando conta a sua mãe, e também, suas intenções de cancelar o noivado.  A mãe da Caroline diz que isso não é motivo para cancelarem o noivado, até porque, a família deve muito a Hurst. E aconselha Caroline a usar seus atributos femininos para reconquistar o noivo.

"O fato é que Caroline Linford era uma criatura tão carnal como ele, franqueza que se escondida sob aquela aparência virtuosa, aquelas luvas brancas, as roupas intimas todas cheias de enfeites e rendas. Ele se dava conta agora de que soube isso desde o primeiro momento em que a beijara, quando ele percebeu que ali estava, finalmente, o que ele havia procurado durante toda a vida: uma boa mulher, uma mulher honesta e bondosa cuja surpresa diante do mundo era carregada da sensualidade mais vorazque ele já havia encontrado, com exceção talvez da sua."

Mas como Caroline faria isso se ela, pelo visto, nunca fora beijada adequadamente e ninguém parece disposto a lhe explicar detalhes do que acontece e o que fazer entre quatro paredes? Eis que ela tem a brilhante ideia de pedir ajuda ao maior mulherengo de Londres: Braden Granville, que está noivo da Jaquelyn Sale, aquela mesma, a amante do Hurst, seu noivo.

Caroliene faz uma proposta a Braden, para que ele lhe dê aulas teóricas de como fazer amor. Braden, relutante a principio, aceita a proposta e as aulas começam. Mas logo eles descobrem que essas aulas não serão tão teóricas assim.





Já disse em algumas resenhas aqui que não gosto de mocinhas inocentes e virginais, mas eis que surge Caroline. Sim, ela é inocente e virginal. Não, eu normalmente não gosto disso. Se eu gostei da Caroline? Sim, muito. Ela quer se casar, mas com um homem que seja apaixonado por ela, mas também deseja ser amante do próprio marido. Isso soa tão absurdo assim? Na sociedade da época as mulheres tinham que agradecer quando o marido tinha uma amante, pois não lhe pedia certas coisas, preferindo fazer com a amante (a própria mãe da Caroline falou isso para ela). Mas ela não queria isso, ela queria um homem que fosse completo e irrevogavelmente apaixonado por ela, e, não sentisse necessidade de procurar por outra mulher.

"Esposa e amante ao mesmo tempo, do mesmo homem. Desse modo, ele não terá razões para se desviar. O senhor acha que isso é possível, senhor Granville? Acredita que um homem possa amar uma só mulher, se ela for tanto esposa como amante para ele?"

Além disso, a Caroline é inteligente, determinada e bondosa. Quem leu minhas resenhas anteriores sabe que eu sempre destaco quando os personagens têm atitudes bondosas com os animais. E a Caroline herdou do pai a paixão pelos cavalos. Ela briga com as pessoas na rua quando vê alguém maltratando um cavalo e os compra para cuidar deles quando percebe que estão muito machucados ou doentes. Só isso já faria com que eu gostasse da personagem.

"- Que interessante – disse Lady Jacquelyn friamente -, mas minha opinião é que não é da conta de ninguém o modo como minha mãe trata os animais.
Caroline, profundamente arrependida de não ter dado um tiro em Lady Jacquelyn na primeira vez em que teve vontade de fazer isso, declarou bem alto:- É da conta de qualquer ser humano com o mínimo de compaixão. É inconcebível, realmente inconcebível, que sua mãe permita que esses animais sofram dessa maneira."

Bradem é um alpinista social. Nasceu em um bairro pobre de Londres e cometia crimes quando era mais novo. Até que teve um tutor que o ajudou e lhe deu lições sobre todos os aspectos da vida. Também ensinou a ele tudo sobre armas e é isso que ele faz para viver: fabrica armas, o que o tornou um homem muito rico. Ele é extremamente inteligente e a autora deu a entender que tem memória fotográfica (apesar de ele não saber disso). Não tem um titulo de nobreza e não é bem visto nos círculos da alta sociedade por conta disso. Gostei muito do personagem, mas tenho uma ressalva: não gostei da agressividade dele. Não chegou às vias de fato, mas não gostei de algumas atitudes que ele teve com a Jacquelyn, e até com a própria Caroline.

"- Se Granville é esse grande gênio de que falam, por que o vi outra noite num jantar usando o garfo de peixe para passar manteiga num pãozinho?"

Jacquelyn é noiva do Bradem, e foi com ela que Caroline viu Husrt, seu noivo, em uma situação comprometedora, para dizer o mínimo.  Jacquelym e o Hurst têm origem nobre e são lindos, mas não têm dinheiro. Por isso procuraram pessoas ricas para se casarem. E aqui fica minha segunda ressalva em relação ao livro: a autora não se aprofundou na relação dos dois, quando começou? Eles são apaixonados um pelo outro? Ou, se o que têm é somente físico? O Hurst é burro e tem uma moral extremamente duvidosa, a única coisa boa que se pode falar sobre ele é que salvou a vida do irmão da Caroline e ela tem uma dívida com ele por isso. Já Jacquelyn é fútil e só pensa nela mesma. O que gostei é que ela tem uma atitude avançada para a época. Não chega a ser uma pessoa ruim, só egoísta mesmo.

"Caroline se absteve de dizer em voz alta aquilo que lhe passou pela cabeça; “talvez não, mas pelo menos ele sabe como ganhar dinheiro e conservá-lo. Essa é uma habilidade que você com certeza nunca conseguiu adquirir, Hurst.”

Emmily, melhor amiga da Caroline, é feminista e luta pelo sufrágio para as mulheres (sufrágio pode ser definido como o direito de votar e ser votado). Ela não se veste da maneira convencional da época. Gostei da personagem, mas acho que ela foi pouco aprofundada e merecia mais destaque. Temos também o Tommy, irmão mais novo da Caroline, que levou um tiro no começo do livro. É viciado em jogos e já perdeu muito dinheiro por conta disso, e também, é um grande admirador do trabalho e da genialidade do Bradem. E a mãe da Caroline. Até agora não sei se gostei dela ou não. Ao mesmo tempo em que se mostra uma mulher sábia e amorosa com os filhos, dá importância demais as convenções sociais e é muito frágil, tem ataque por qualquer coisa.

A princípio Caroline não gosta muito da fama de mulherengo do Bradem e nem do trabalho dele. Como gostaria? Ainda mais depois que seu irmão quase foi morto por um tiro. Mas ela o acha parecido com seu pai, que também não nasceu o nobre e conquistou o título através do reconhecimento pelo seu trabalho. Também não o considera um homem bonito e o acha um tanto assustador. Já Bradem, a princípio, não se sente atraído pela Caroline, a considera um pouco sem graça. Mas no decorrer da estória passa a perceber qualidades físicas que não percebia antes e começa a admirá-la por ser diferente das outras mulheres, ser leal e não ligar muito para futilidades. O romance entre eles nasce aos poucos, começa com uma admiração despretensiosa e uma atração física quase irresistível. Esse é outro ponto positivo do livro: quebrou o estereótipo da mocinha e do mocinho lindos, perfeitos, maravilhosos e sarados. Gostei do casal, principalmente porque os dois conhecem e respeitam suas diferenças.

"Ela não era comum. De jeito nenhum. Há mulheres que possuem atributos, como os de Lady Caroline, que à primeira vista podem parecer simples, sem graça, mas com o passar do tempo se tornam estranhamente atraentes. Esse tipo de atributos, Braden sabia, eram perigosos – mais perigosos até do que uma beleza como a de Lady Jacquelyn -, porque como estão sempre mudando, um homem pode cair na armadilha de se apegar muitoe querer estar sempre perto para observar as sutis mudanças quando elas ocorrem."

Esse foi um dos primeiro livros que a autora escreveu, nos anos 90. Os livros que ela escreveu nessa época têm uma pitada de erotismo e foram assinados com o pseudônimo Patrícia Cabot. Fica claro que este foi um dos primeiros livros da autora dada a falta de aprofundamento dos personagens e das tramas secundárias. E achei o um final um tanto brusco. No entanto, também fica claro o talento da autora, posto que a leitura é rápida e fluída.

Eu indico esse livro para quem procura um romance leve, divertido e despretensioso. Tem algumas cenas eróticas, mas não são exageradas.

20 comentários:

  1. Oi, Barbara. Eu amei esse livro! Sou viciada em romances de época, e pouco me importo se a moça é virgem, inocente e essas coisas, o que eu gosto é do romance mesmo. Foi meu primeiro contato com a Patricia Cabot, então eu amei cada segundo da obra.
    Beijão! Leitora Encantada
    Participe do Sorteio de Natal

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Adorei poder conferir suas impressões a respeito desse livro. Eu realmente já conheço a escrita da autora e sei o quanto ela é maravilhosa nesse gênero, e morro de curiosidade de fazer essa leitura também. Fiquei super animada para conhecer mais a respeito da ambientação e dos personagens também, e por isso gostaria de saber mais a respeito. Fiquei apaixonada por essa capa. Prentendo ler logo <.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Não conhecia o livro, mas a autora é sempre muito elogiada por suas obras e tenho curiosidade em ler. Adorei a personalidade da Caroline e só por isso já me senti interessada. Não sabia que esse é um dos primeiros livros da autora, mas apesar da falta de aprofundamento, parece ser uma ótima história.

    http://www.virandoamor.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá
    Eu gosto da autora, mas acho que não leria esses livros dela não! Eu adorei as novas capas da série, as antigas eram bem estranhas. Fico feliz que tenha curtido o livro, e é também não curto muito mocinhas nesse tipo, mas que bom que esse lhe prendeu. Até mais ver
    Bjk

    ResponderExcluir
  5. Oii!!!
    Não conhecia esse livro. Achei a história bem fora do padrão que segue geralmente os romances. Eu não teria aceitado ser traída, já teria caído fora na hora, mesmo com esses poréns. Ninguém é obrigado a nada kkkkk. Eu não gostei muito de como ela decide resolver esse problema dela, por esse motivo eu não leria. Não chamou muito a minha atenção.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá!!
    Não conhecia esse livro, embora já tenha ouvido falar da autora. Gostei da sua resenha, mas nem sempre os personagens vão agradar a todos os leitores, é algo realmente individual. Quanto a história, não sei se leria, acho que não faz muito o meu tipo, apesar de eu amar livros de época essa não me interessou. Abraços!

    ResponderExcluir
  7. Olá. Eu tentei ler esse livro e confesso que não consegui. Não gostei ds forma como a autora conduziu. Faltou alguma coisa e acho que você explica bem. Falta detalhamento dos personagens. Não cheguei até o final, mas não gostei.

    Pode ser também que eu fiquei imaginando a Meg, procurava a Meg e são estilos diferentes. Enfim...

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Gosto muito desse gênero de livro mas mesmo pelo título não imaginei qual seria o enredo e fiquei surpresa e empolgada com a leitura, que mesmo não sendo o melhor da Cabot por conta da falta de aprofundamento e de tramas secundárias, parece ter uma protagonista bastante cativante e ser uma leitura muito agradável, ainda mais pros leitores que gostam do gênero. Já tinha vontade de o ler e ela só aumentou depois da sua resenha, ainda mais pela sua descrição empolgante, pra mim, da personagem principal.
    Beijos!
    Por Livros Incríveis

    ResponderExcluir
  9. Olá Barbara,
    Já li alguns livros da Meg Cabot, mas nunca li nenhum dela com o nome de Patrícia. Gostei muito de conhecer suas impressões e de saber que a amiga de Caroline é feminista, achei essa ideia muito interessante.
    Mesmo eu não curtindo muito uma pegada mais erótica, acho que esse livro seria uma ótima leitura para mim.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  10. Olá!
    Adorei a sua resenha! Eu gosto de livros românticos, mas que tem uma pitada de erotismo envolvido. Para mim isso torna o relacionamento mais real e mais intenso. Nunca li romances de época, mas este me chamou muito a atenção devido ao enredo e toda a trama.
    Sua dica está anotada aqui.
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. Oi, Barbara

    Eu gosto muito do gênero, mas algo nesse enredo me incomoda. Primeiro, a mãe não deveria dar pitaco, se ela queria terminar porque viu o cara com outra ela tinha todo o direito. Ok, eu sei, a época era outra... mas ainda assim.
    E esse negócio de aula teórica pra fazer amor não me desceu.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Oiee ^^
    Já gostei da Caroline por ela gostar de cavalos e os defender...haha' ♥
    Eu ainda não li esse livro, mas tenho curiosidade de conhecê-lo, até porque eu adoro os livros da Meg ♥ mas estou dando um tempo nos romances de época, li tantos este ano...haha' quero pular para outros gêneros agora *-* É uma pena que o final tenha sido tão brusco :/
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  13. Oie!
    Eu já li alguns dos livros da Patricia Cabot, e gostei de todos.
    Sempre tem um tom divertido, um toque de erotismo, e é claro, um romance super fofo daqueles que não conseguimos largar.
    Eu ainda não li esse livro, mas estou bem curiosa.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  14. Humm, tem algo que me incomodou em relação ao livro, não sei bem o que é. Vou tentar ler pra formar uma melhor opinião dele.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu não conhecia esse livro, mas devo dizer que achei a ideia bem legal, da moça procurar por alguém para ensinar a seduzir e tudo mais. Mas sinceramente, eu não aceitaria casar com um cara que eu acabei de flagrar me traindo. Acho que esse é um Romance de Época um pouco diferente dos que eu já vi até hoje e eu leria com certeza. Obrigada pela dica.
    Beijos,
    Nay
    Traveling Between Pages

    ResponderExcluir
  16. Olá =) Também não sou muito fã de mocinhas inocentes, gosto mais quando são mulheres fortes, mas é legal quando um personagem tem que características que costumamos não gostar nos conquista. E um livro que a principio não me conquistou, mas a sua resenha fez dá mais atenção ao livro. Não gosto de livros com cenas eróticas, mas que bom que não são exageradas.Beijos'

    ResponderExcluir
  17. Oi Bárbara! As protagonistas inocentes não me incomodam, agora as sonsas sim. O que parece não acontecer nesse livro! Adorei conferir sua opinião e fiquei curiosa com o desenrolar dessas aulas de amor. Deve ser no mínimo divertido. Abraços

    ResponderExcluir
  18. Oie
    eu adoro a meg cabot mas nunca li nada da autora com esse nome pois não são livros que me atraem apesar de eu ver fãs adorando a leitura, mesmo assim, é uma boa dica

    beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá!

    Adorei poder ler seus comentários a respeito desse livro, principalmente porque eu iria ler ele e de última hora não deu tempo. Eu adoro a Meg Cabot, ela, inclusive, escreveu uma das minhas séries favoritas (A mediadora).
    Gostei muito da trama e acho que seria um livro que eu gostaria muito de ler, então vou recolocá-lo na minha lista de livros a serem lidos. Muito obrigada pela dica e parabéns pela resenha incrível.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  20. Oi Barbara, tudo bem?
    Eu amo um bom romance de época e escrito pela Meg como Patricia é melhor ainda, eu não sabia que esse foi o primeiro romance dela, eu não li esse, mas já li outros e me apaixonei. Que pena que teve um final brusco, mas ainda quero ler ele.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir