30 novembro 2016

[Resenha] A clínica - Por Vicente Vilardaga



Título: A clínica
[ A farsa e os crimes de Roger Abdelmassih]
Autor (a): Vicente Velardaga
Páginas: 350
Editora: Grupo editorial Record
Skoob || Encontre

Sinopse: O livro que mostra tudo sobre a farsa e os crimes do médico que chocou o Brasil.
Este livro-reportagem de apuração precisa tem como personagem Roger Abdelmassih: um mito da medicina reprodutiva, incensado nos melhores salões paulistanos, homem admirável acima de qualquer suspeita, mas cujo espantoso edifício de crimes chocou a todos os brasileiros. Com um texto primoroso e uma reconstituição detalhada dos fatos, o repórter Vicente Vilardaga esmiúça a inacreditável trama de mentiras que cercam o médico condenado a 278 anos de prisão por mais de 48 delitos de abuso sexual a suas pacientes.

"Em entrevista para o colunista social Ramy Moscovic, o humorista Carlos Alberto de Nóbrega resumia o sentimento geral em relação ao médico. Ambos tiveram filhos graças a Abdelmassih.
- Não é um cientista, não é um médico, é um homem iluminado por Deus. A vontade que eu tenho é de beijar as mãos desse homem, carregar ele no colo — dizia, diante de um Ramy embevecido, que balançava a cabeça em tom de aprovação."

No ano de 1968, no auge da ditadura militar, acontecia a formatura da primeira turma de medicina da Unicamp. Dentre os 42 alunos que se formavam com êxito, havia Roger Abdelmassih, filho de pessoas ricas da cidade. Após a formatura, Roger passou a se dedicar à especialização em urologia, tendo entre seus clientes pessoas conhecidas e logo abriu uma clínica particular. Logo, seu caminho cruzou com o de um médico conceituado, Dr. Nakamura, que vendo o potencial de Roger o convidou para trabalhar em sua clínica. Alguns anos depois, quando Nakamura foi o primeiro a ter a ideia de trazer a fertilização in vitro, fiv, para o Brasil, Abdelmassih ainda estava ao seu lado, mas logo os caminhos dos dois seguiram direções opostas. Porém, mais tarde, vendo o sucesso feito pelo colega na FIV, Abdelmassih resolveu também abrir uma clínica de reprodução humana, e logo, deixando todos os que trabalhavam com aquilo para trás, se tornou o maior especialista no tema, e também passou a ser aquele que obtinha os melhores resultados.

"Para receber seus pacientes, o médico costumava descer as escadas de maneira triunfal e com total domínio de cena. Corpulento, com 1,80 metro de altura, aparecia, no andar de cima, caminhando firme com seu jaleco branco esvoaçante em direção à recepção. Invariavelmente usava gravatas, seu adereço preferido, que podia ser de qualquer cor, e ternos e sapatos importados. Recebia os pacientes de forma calorosa, com abraços e beijos. Abraçava algumas mulheres de maneira forte e intensa. Dava beijos barulhentos e molhados, às vezes muito perto da boca. Com os homens também demonstrava carinho, mas nada tão exagerado como com as mulheres. Seja como for, ainda que se tratasse de uma situação profissional, todos consideravam seu comportamento normal e o atribuíam ao seu caráter afetivo e não a uma intenção maliciosa. Fazia parte do seu estilo."

Abdelmassih tinha a receita perfeita para sua vida de sucesso: rico, bem sucedido, com uma família perfeita, amizade e proximidade intensa com várias pessoas famosas, como Hebe Camargo, e o principal de tudo, estava se tornando muito rapidamente o "Deus" da medicina, por trazer para mulheres a realização de seus maiores sonhos que pareciam impossíveis, a chegada de um filho para aquelas que já haviam perdido a esperança de conceber.  Com tantas realizações positivas, as condutas estranhas ou inadequadas eram ignoradas, ocultas, porque ninguém imaginava que um homem tão bom seria capaz de fazer algo diferente, esperavam dele apenas o bem.

"Amiga fiel, Hebe era uma grande garota-propaganda do médico, a quem considerava um dos brasileiros mais brilhantes de sua geração. Ela e todos os quatrocentos convidados da festa distribuíam elogios para Abdelmassih e engrandeciam seu talento, comprovado pelos fabulosos números de fertilizações e de nascimentos de crianças sadias em sua clínica, na avenida Brasil, situados entre os maiores do mundo. A FIV era sua arte e a festa no Leopolldo, a exaltação da evolução do conhecimento humano, bem representado por Louise e Anna Paula, mas também uma auto-homenagem e outra iniciativa de marketing bem sacada da clínica."

Porém, após a criação de comunidades na internet denunciando comportamentos abusivos do médico, e depois de tentar beijar a força uma funcionária e ser denunciado, e após a investigação de uma jornalista que também havia sofrido algo parecido por trás das portas da famosa clínica de Abdelmassih, a promotoria começou a reunir fatos. Mulheres tomaram coragem e começaram a denunciar, e então, o choque: surgiu uma teia de abusos, tentativas de violência, atentado ao pudor e até mesmo suspeitas de estupros em todos os anos de trabalho do médico tão famoso e adorado, até finalmente tudo ser descoberto e começar a busca por uma justiça.
De uma maneira intrigante, ágil e envolvente, Vicente Vilardaga nos apresenta cada passo da vida desse homem, desde o início, passando pelo auge do sucesso e então, a descoberta de sua verdadeira face, nos deixando conhecer o maior caso de abusos sexuais do país.

"As barreiras comportamentais subiram, os códigos morais mudaram, o Código de Ética Médica se aperfeiçoou e Roger Abdelmassih, um sujeito machista, poderoso e pervertido do século passado, foi pego desprevenido pela transformação do mundo enquanto se esgueirava pelas sombras do sistema. A investigação detalhada e transparente de sua conduta e sua condenação são provas claras de evolução social. Abdelmassih está preso só para provar que a sociedade e a Justiça brasileira melhoraram. E o mínimo que se espera é que não haja nenhum retrocesso nesse caso."




Eu sou uma grande fã de livros reportagens, e quando descobri esse aqui imediatamente me senti interessada, principalmente por já conhecer outro livro do autor, chamado A queima roupa, onde ele trazia a reportagem, em detalhes, sobre outro caso que abalou o brasil, um crime passional envolvendo pimenta neves que matou a namorada, Sandra Gomide, pelo fim do relacionamento. Na época em que li esse livro, A queima roupa, já havia ficado impressionada pelo quão bem o autor conseguiu transmitir os fatos, e agora, com a chegada de A clínica, não foi diferente.

Confesso que eu pouco sabia sobre o caso Abdelmassih. Como uma pessoa que está nas redes sociais e assiste televisão ocasionalmente, é claro que eu já havia ouvido muito esse nome e havia visto os títulos apelativos das manchetes, falando sobre crimes sexuais e uma sentença de muitos anos de prisão, mas não sabia com detalhes quem ele havia sido, qual seu papel, dentre outras coisas, o que pude descobrir com muita propriedade nesse livro tão bem construído. Aqui, começamos a acompanhar o livro através da narração de uma festa, dada em homenagem ao médico, onde estavam presentes vários famosos. Essa festa significava o auge da carreira do médico, e logo em seguida, voltamos para o passado, acompanhando sua formatura, o início de seu trabalho, até o crescimento na clínica, e então, a descoberta chocante do que ele cometera todos esses anos.

Como ponto mais que positivo destaco a escrita do autor, que é muito clara, simples e cumpre com maestria o seu papel, que é o de informar o público leitor, com imparcialidade. Outra coisa que gostei muito foi a coerência, o autor não faz viagens mirabolantes, narra tudo em uma cronologia fácil de acompanhar e entender, e dá espaço para falar sobre as vítimas, o médico, sua família, o papel da justiça, dentre vários outros fatos.

Confesso que eu não tenho pontos negativos a destacar, apenas uma coisa me incomodou durante a leitura, mas foi um fato bastante isolado com o qual me deparei: em uma das partes, enquanto fala sobre uma lei, sancionada em 2009, que prejudicou um pouco mais o caso de Roger, pois a lei passava a igualar os crimes de atentado violento ao pudor e de estupro, porém, o que me chamou atenção é que o livro diz que essa lei foi sancionada pela presidente Dilma Rousseff, porém nessa época ela ainda não estava no poder, e foi na verdade sancionada pelo ex-presidente Lula, e essa informação errada achei que se deveu a uma falta de verificação.

Aqui não há personagens fictícios sobre quem falarmos. Infelizmente todos foram protagonistas mais que reais de episódios tristes e lamentáveis, mas algumas pessoas mencionadas no livro que merecem destaque são, obviamente, o médico Roger, cuja história aqui é contada, e um homem que choca por sua frieza, sua simpatia e sua capacidade de possuir dois lados tão contraditórios. Além disso, o leitor se solidariza com as vítimas que deram a cara a tapa e resolveram denunciá-lo, mulheres que tiveram seus sonhos despedaçados e que tiveram muitas consequências pelas ações do médico. Ainda, cabe um destaque especial aos jornalistas sérios que se empenharam no caso, como a jornalista Lilian Christofoletti, repórter de política da folha de S. paulo, que mesmo não sendo de sua área o tema, foi a fundo e construiu uma reportagem impecável para denunciar na mídia os crimes desse homem. Outro repórter que se empenhou muito no caso foi Leandro santana, da Tv Record, que acabou  indo inclusive a procura de Roger, quando ele fugiu das autoridades brasileiras, dentre vários outros que merecem receber destaque pela atuação.

O livro é dividido em cinco grandes capítulos, simbolizando as fases da história de Roger, além de um epílogo, e a obra é toda narrada em terceira pessoa, em tom de reportagem e não encontrei erros durante a leitura, que realizei em ebook. Recomendo essa obra para todos aqueles que gostam de acompanhar livros reportagens, e que gostam de conhecer a fundo histórias reais que marcaram nosso país.

31 comentários:

  1. Ual, eu confesso que sabia tão pouco quanto você este caso. Mas não sabia do livro e fiquei besta. Amei a resenha e confesso que apesar de não ser meu gênero de leitura fiquei curiosa pela leitura. Parabéns.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Olá
    Eu gosto de livros reportagens e esse, ao qual eu não conhecia, me deixou curiosa. Confesso que nunca tinha ouvido falar desse caso, mas acho legal ser narrado sob estilo de reportagem mesmo, deixa tudo mais envolvente na minha opinião. Vou procurar mais informações a respeito desse livro... sou jornalista e esse gênero sempre me interessa demais.
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Tenho grande apreço sobre grandes histórias e reportagens, acompanho o caso de Abdelmassih a muito tempo e não sabia a existência de um livro onde é presente os detalhes da vida e do caso em si.
    Adorei saber sua opinião sobre a obra, fico pensando que o erro da lei sancionada deve ser uma desatenção, mas que não é algo que influencia muito o decorrer do caso. Darei uma chance ao livro, pois ele parece ser muito bom.
    Beijos, Lari.
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Nunca tinha ouvido falar nesse caso, e como não gosto desse tipo de livro, não pretendo ler agora, mas vou guardar sua dica pra quando eu quiser sair da minha zona de conforto.
    Acho que o erro que você apontou foi bobo e por falta de atenção mesmo, porque até quem não entende de leis, saberia que a Dilma não poderia aprovar, né? Mas essas coisas acontecem.

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo que foi divulgado na imprensa só reforçou quanto as ações deste homem foram realmente chocantes, ao se julgar no direito de aproveitar das pacientes. Obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  6. Olá
    Eu ainda não conhecia a obra e não tenho muita curiosidade em adiquiri-lá, pois não sou chegado a livros de reportagens e coisa e tal. Mas de qualquer forma a proposta foi abordada bem bacana e lhe animou muito. Eu conhecia de forma bem superficial o caso Abdelmassihca. Que bom que o livro nao tem pontos negativos para ser mostrados . Adorei a resenha, mas pulo a sua dica de hoje, até mais ver
    Bjks

    ResponderExcluir
  7. Oi, Tamara. Eu gosto muito de livros com esse teor e fiquei curiosa com esse. Eu ainda não o conhecia e depois de poder saber um pouco sobre ele aqui na sua resenha eu fiquei muito interessada em realizar essa leitura.

    ResponderExcluir
  8. Olá
    Caramba, deve ser uma leitura bem densa, assunto pesado
    A mim esse tipo de leitura não atrai. Acho pesado demais. Leio mais pra relaxar, então, nao faz meu gênero.

    Abraços
    David

    ResponderExcluir
  9. OI Tamara, também gosto muito de livros reportagem, mas tem um tempão que não leio um. Este enredo aqui ainda me choca quando vejo qualquer nota sobre ele e a sua resenha me deixou master curiosa para conhecer mais. Ainda não tinha ouvido falar do livro, apesar da popularidade do caso, mas quero ler, com certeza.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Olá, eu não gosto de livros que se passam na ditadura por achar que são livros tristes. O último que li foi Olga e me arrependi rsrs. No entanto, eu amo livros de reportagens e com personagens bem reais, então esse livro terá uma chance comigo sim. Ótima dica!

    ResponderExcluir
  11. Olá!! :)

    Eu não conhecia este livro mas ainda bem que gostaste da leitura.. :) A capa e bem estranha... ahah

    Bem, os capítulos longos (ainda que com a sua logica) não me agradam, e o facto de serem historias e personagens não fictícios deixa-me a não querer fazer a leitura.. Mas valeu a dica! :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  12. Olá! Eu gosto de livros assim pois acabamos adquirindo conhecimentos, também não conhecia esse caso. Fiquei com muita vontade de ler, como vc leu em e-book vou dar uma pesquisada. Com certeza eu lerei.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Nossa, eu soube desse caso mas nunca a fundo. Ele é da minha região, Campinas/SP e mesmo assim nunca pesquisei o que houve e não assisto jornal, então os detalhes fiquei sabendo aqui, agora. nunca li livro reportagem, mas este em especial despertou meu interesse e caiu só um pouco o fato da pesquisa mal feita do escritor. Mas enfim, são tantas informações que acredito que um erro ou outro na história ocorre em qualquer tema.
    Adorei a resenha!Bjs

    ResponderExcluir
  14. Oiee Tamara ^^
    Ainda não conhecia esse livro, mas acho que já tinha ouvido falar do Abdelmassih antes. Fico feliz em saber que o autor soube contar a história com maestria, mas parece ser um pouco forte (e olha que eu gosto de histórias fortes) por ser real, e por conter tantos episódios tristes e revoltantes.
    MilkMilks ♥
    Milkshake de Palavras

    ResponderExcluir
  15. Oi, Tamara.
    Diferentemente de você, não sou fã de livros de jornalismo investigativo.
    Acompanhei bastante de notícias sobre o caso, até mesmo porque faz parte do meu trabalho, mas não me animo em ler um livro com tantos detalhes sobre o caso!
    Mas adorei a sua resenha. Muito bem escrita!!
    Beijos
    Camis - blog Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
  16. Oiii, Tamara. Tudo bem?
    Não conhecia o livro, mas adorei conhecer e com certeza é um livro que vou querer ler. Eu já tinha até esquecido desse caso, mas ao ler a resenha lembrei. Foi um caso muito triste né? :( Mas o livro além de relatar o caso, ainda fala sobre vários assuntos que devem ser debatidos, então com certeza esse é mais um ponto para que eu queira ler. Não lembro de já ter lido um livro-reportagem, mas tenho certeza de que começar por esse livro será ótimo.
    Beijooos
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Olá
    Bom, eu não conhecia o livro, mas sei por alto um pouco da história deste homem. Gostei de saber que a leitura foi boa para você. Mesmo não sendo um gênero que tenho costume de ler, fiquei interessada em saber um pouco mais, pois igual eu disse sei um pouco, o pouco que rola pelas redes sociais e é sempre bom saber mais e mais. Gostei de saber que a escrita do autor e clara e simples, isso contribui bastante na hora da leitura para que a mesma não seja tão arrastada já que estamos falando de uma história que não estamos acostumados a ler, uma história com personagens reais e que se passa no nosso país. Parabéns pela resenha ♥

    ResponderExcluir
  18. Olá,
    Confesso nunca ter tido contato com esse tipo de livro, mas de cara não me interessei muito pela obra não.
    Vi muitas reportagens televisivas sobre o caso de Roger e não sei se teria estômago para acompanhar relatos tão reais dessas pessoas.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá, Tamara, tudo bem? Que resenha perfeita! Amo essas dicas diferentes que você trás, de livros pouco conhecidos. Eu acompanhei pela tv esse caso chocante, mas fiquei bem curiosa para conferir essa obra, pois pelo visto está bem detalhada. Amei conhecer o livro pela sua resenha! Dica anotada.

    beijos!!

    ResponderExcluir
  20. Oie!
    COnfesso que esse é um livro que não tenho interesse em ler.
    Mesmo sendo algo bem interessante por se tratar de um caso que chamou muito a atenção do povo brasileiro, é algo que vou sofrer muito.
    Vou deixar para outro momento.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  21. Olá.
    Nunca li um livros reportagens, mas realmente deve ser interessante, mas acho que meu marido iria aproveitar mais. hahahhaa
    Sei um pouco do caso e o livro deve realmente ser mais esclarecedor. Que bom que a escrita do autor é clara e que o livro não tem pontos negativos.
    ótima resenha.

    ResponderExcluir
  22. Oii!!

    EU não conhecia esse livro mais fiquei bem animada em relação a história no geral, livros de investigação me atraí, daí fico animada para ler.
    Gostei da sua analise!

    beijinhos

    ResponderExcluir
  23. Ola
    estou no time que não curte muito livros reportagens, ao ponto que, eu não conhecia esse livro. Já sobre o caso tratado por ele é do meu conhecimento, acho que só quem é totalmente desligado do mundo não ficou sabendo. Pena que aconteceu esse pequeno erro sobre a Lei, mas essas coisas acontecem, quem sabe numa próxima tiragem, ele já não é corrigido?

    Talita - Viciados em Leitura

    ResponderExcluir
  24. Ooi,
    Infelizmente não gosto muito de livros de reportagem. Acho que as histórias reais me assustam muito e normalmente acabo perdendo o interesse logo no início. Escutei sobre o caso nos jornais e fiquei chocada com a frieza do médico, parece ser um ótimo livro para os fãs do gênero.
    Corujas de Biblioteca

    ResponderExcluir
  25. Oi Tamara,
    Meu sonho é me formar em medicina, então, quando comecei a ler sua resenha e ver que falava de um médico recém formado na UNICAMP - Universidade que adoraria fazer - fiquei bem intrigada. Roger parece ser uma pessoa extremamente fria e calculista que está apenas em busca de crescer e alcançar seus objetivos e isso me assusta, pois é algo que vemos muito nesse universo médico.
    Adorei conhecer suas impressões e vou anotar a dica.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  26. Olá!

    Bem, esse não é um tipo de livro que me desperta interesse logo de cara, tanto que nunca nem li nada parecido. Mas a sua resenha ficou tão bem explicada e elogiosa que até senti vontade de realizar essa leitura e saber com mais detalhes sobre esse caso.
    Obrigada pela dica.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9¾

    ResponderExcluir
  27. Oi Tamara, tudo bem?
    Lembro quando o caso desse médico veio a tona e se tem uma coisa que posso dizer com toda clareza é que esse cara é um monstro que merecia muito mais do que ser preso. Estupro é um crime que merecia um castigo muito, muito pior.
    Emfim eu fico indignada quando vejo coisas assim é sinto uma raiva que nem me reconheço.
    Não é um livro que eu leria apesar de como você gostar do gênero esse não desperta meu interesse. Não quero saber mais da vida e dos atos monstruosos desde homem.
    BJ

    ResponderExcluir
  28. Adoro não-ficção, biografia, reportagem, acho tudo babado, mesmo se nem conhecer a pessoa eu leio então adorei a dica.
    Porém se eu não me engano eu eu também já ouvi o nome desse caro senhor sendo citado na televisão kkk, e fiquei curiosa para saber mais da vida dele mesmo ele so começando atrocidades.

    ResponderExcluir
  29. Nossa! Como sou desinformada. Nunca ouvi falar sobre esse médico.
    Eu adoro livros de reportagem ou coisas do tipo e a temática me chamou bastante a atenção. Quando acabei de ler sua resenha pensei: preciso ler esse livro.
    Infelizmente a história contada por ele não é das mais bonitas, mas acho que é bem válido conhecermos como tudo aconteceu para que possamos ficar mais atentas.
    Amei sua escrita e sua resenha.
    Beijos.

    www.salaliteraria.com.br

    ResponderExcluir
  30. Oi, Tamara!
    Eu não tenho o costume de ler livros de reportagens, mas confesso que esse aborda um assunto que despertar a curiosidade e atenção. Eu acompanhei quando esse caso ganhou destaque na mídia e vi várias matérias e notícias que me causaram revolta, não sei como me sentiria fazendo a leitura desse livro. Não sei se é uma leitura que me agradaria.

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  31. Olá, tudo bem? Sou formanda da área da saúde, e me lembro que quando saiu as primeiras reportagens desse caso e ainda era somente uma pessoa fiquei chocada. Agora com um pouco mais de sabedoria da ética que o profissional desta área deve ter me choco mais ainda. Não sabia da existência do livro, por isso esto surpresa por essa e adicionando na minha lista de leituras, afinal reportagens assim não podemos perder. De fato um erro grotesco como o que você citou deve ser evitado, mas acho que dá para passar. Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir