28 outubro 2016

[Tocando o Terror] Fábrica de Vespas - Por Iain Banks



Título: Fábrica de Vespas
Autor (a): Iain Banks
Páginas: 240
Editora: DarkSide Books
Skoob || Encontre

Sinopse: Frank – um garoto de 16 anos bastante incomum – vive com seu pai em um vilarejo afastado, em uma ilha escocesa. A vida deles, para dizer o mínimo, não é nada convencional. A mãe de Frank os abandonou anos atrás; Eric, seu irmão mais velho, está confinado em um hospital psiquiátrico; e seu pai é um excêntrico sem tamanho. Para aliviar suas angústias e frustrações, Frank começa a praticar estranhos atos de violência, criando bizarros rituais diários onde encontra algum alívio e consolo. Suas únicas tentativas de contato com o mundo exterior são Jamie, seu amigo anão, com quem bebe no pub local, e os animais que persegue ao redor da ilha.
Abandonado à própria sorte para observar a natureza e inventar sua própria teologia – a maneira do Robinson Crusoé de Daniel Defoe –, Frank desconhece a escola e o serviço social, já que seu pai acredita na educação “natural”, recomendada pelo filósofo do século XVIII Jean-Jacques Rousseau e apresentada em seu romance Emílio, ou Da Educação (1762), que sugere que as crianças devem crescer entre as belezas da natureza, permitindo que elas se deleitem com a flora e a fauna. A natureza humana seria boa a princípio, mas corrompida pela civilização. Quando descobre que Eric fugiu do hospital, Frank tem que preparar o terreno para o inevitável retorno de seu irmão – um acontecimento que implode os mistérios do passado e vai mudar a vida de Frank por completo.

Numa remota ilha, na Escócia, vive Frank, um jovem de 16 anos cheio de manias e rituais pessoais. Ele mora numa casa afastada de sua cidade, juntamente com seu excêntrico pai que guarda segredos que ninguém jamais poderá descobrir. Quando ainda era um bebê, o menino foi abandonado por sua mãe, e mesmo sendo jovem, sempre soube que era diferente.

"Olhando para mim, você nunca diria que matei três pessoas."

Frank não foi registrado ao nascer, e por isso, nunca frequentou a escola e conviveu com jovens de sua idade. Não que ele reclamasse, Frank adora estar sozinho onde pode passar seu tempo tranquilamente pela ilha matando animais, colocando armadilhas, fazendo bebidas alcoólicas e fabricando bombas. Hoje ele só faz isso, mas ouve uma época no qual ele matava pessoas, mas segundo ele, isso foi uma fase.

"Às vezes, acho que você deveria estar no hospital, não Eric."

As coisas mudam quando Eric, seu irmão mais velho, foge do manicômio no qual viveu os últimos dois anos após botar fogo em cachorros, e dar minhoca e larvas para crianças comerem. Eric planeja voltar para casa, e sempre que está mais próximo faz telefonemas estranhos que sempre acabam com ele desnorteado. Frank sabe que Eric chegará, mas não gosta nada de como seus segredos estão prestes de serem descobertos, e não ajuda nada seu pai agir mais estranho que o normal. A Fábrica de Vespa lhe avisou que algo grande estava a caminho, mas Frank não estava preparado para o que vinha a seguir.





Começo essa resenha dizendo que não estava preparada para as coisas que li em Fábrica de Vespas. Sempre amei o gênero de terror, mas até pouco tempo atrás, não tinha me aventurada nele em livros por puro preconceito de achar que eles não conseguiriam me impressionar, ou, causar medo. Grande erro, e só comprovo o quanto estava errada quando leio livros tão estupidamente incríveis como Fábrica de Vespas.

=

O livro é narrado em primeira pessoa e adentramos na mente de um garoto de 16 anos totalmente psicopata. Frank é sem coração e frio como gelo. Logo no começo da estória fiquei de boca aberta com a frieza dele em matar pequenos animais indefesos por puro prazer, e grande parte de estar impressionada foi pela escrita do autor ser tão detalhada e real, onde, ele descreve claramente o ato do personagem e o que ele sente ao fazer isso. É terrível, e mesmo sendo algo totalmente odioso, não pude largar o livro até que ele chegasse ao fim. Grande parte da razão por Frank ser assim é relacionado a seu pai e seu passado transtornado, lógico que isso não elimina a culpa por suas ações, mas gosto de pensar que ele faz o que faz porque precisa estravar suas frustrações, e não por puro prazer de matar. (inocente eu sei)

"Uma morte é sempre excitante, sempre faz com que você perceba são vivo e vulnerável está, mas quão sortudo é."

Seu pai é um cara aparentemente normal, mas, que ao conhecermos através da visão de Frank, vemos que ele mesmo não confia naquele que deveria protegê-lo. Em várias passagens o garoto diz que não pergunta as coisas á ele pois sabe que receberia uma mentira como resposta, ou, se tivesse sorte, uma meia verdade. Fora alguns toques que ele tem que deixam Frank ainda mais perturbado.


"Nunca sei exatamente o quanto ele se importa comigo. Pensando bem, nunca sei exatamente o quanto me importo com ele."

Além de seu pai também conhecemos seu irmão Eric. Ele estava preso num manicômio, mas, após dois anos, fugiu voltando para casa. Ao decorrer da estória Frank recebe ligações do irmão indicando que ele está cada vez mais próximo. É meio complicado falar sobre ele pois o conhecemos através de ligações doidas que faz ao irmão dizendo que está se alimentado de cachorros e coisas roubadas. A conclusão que tive dessa família é que são todos malucos, e conforme vamos lendo, vemos que as razões por trás de tudo que acontece é mais complicada que parece.


Além das mortes de animais, que são várias, Frank diz que queria ter uma aparência mais durona, que ao olharem para ele, ninguém jamais diria que ele já matou três pessoas. Sua primeira vítima foi quando ele tinha cinco anos, movido unicamente por vingança. A segunda foi quando tinha oito anos, e a terceira um ano depois. Essas mortes são mostradas em detalhes onde conhecemos o que o motivou, e, como arquitetou tudo para ninguém desconfiasse. É gritante essas atitudes pois ele era simplesmente uma criança, e seria impossível alguém desconfiar.

"Dois anos depois que eu matei Blyth, eu matei meu irmão mais novo Paul, por razões diferentes e mais fundamentais do que eu estava disposto a matar Blyth, e, então, um ano depois eu fiz com minha prima Esmerelda, mais ou menos por um capricho.
Essa é a minha pontuação do momento. Três. Eu não matei ninguém há anos, e não pretendo nunca mais.
Foi só uma fase que eu estava passando”.

A estória é extraordinária e surpreendente, mas a falta de resposta para algumas coisas foi a razão de ter tirado uma estrela, porém entendo totalmente elas ficarem assim, o livro é narrado pelo ponto de vista de Frank, e como tal, ele conta aquilo que lhe convêm. Já edição física do livro é cinco estrelas. Adorei a capa escolhida, é daquelas que você só entende quando lê a estória. Internamente ela também está fantástica, trazendo folhas amarelas e letras num tamanho perfeito para a leitura, também trás algumas ilustrações que deixam a edição ainda mais bela.


Algo que achei bem interessante no livro foi o prefácio escrito pela próprio autor. Ele descreve sua tentativa de ser um autor de livros de ficção científica, mas todas suas tentativas foram frustradas o levando a escrever Fábrica de Vespas, ao seu ver, um livro sem graça. Com base nisso, realmente podemos ver que ele usou alguns elementos do gênero que ele gosta na estória. No lugar de um planeta distante, temos um ilha remota praticamente esquecida pela mundo, também no lugar de Alien vingativo, temos um garoto problemático e psicopata. É fácil ver essa ligação, porém não é um problema, ele domina essa arte e escreveu com maestria. Gostei também da sua escrita, ele descreve as coisas com muita realidade, realidade até de mais pra dizer a verdade, e também coloca cenas que poucos teriam coragem de colocar num livro.



Fábrica de Vespas é um livro difícil de descer, e por isso não o recomendo a todos. Ele tem cenas fortes e pesamentos de uma mente perturbada, isso pode ser de mais para aqueles que se impressionam facilmente. Mas aqueles que adoram uma estória muito bem estruturada, com cenas impressionantes,cheio de mistérios que se encaixam na hora certa e com um final que faz sua cabeça explodir, esse livro é para vocês.

17 comentários:

  1. Olá Stéfani
    Confesso que não sabia nada a respeito desse livro, tanto que sua resenha é a segunda que leio sobre. A capa me deixou curiosa e ao mesmo tempo com receio do que esperar. E diante de suas impressões, fiquei bem intrigada, especialmente por ser um gênero que eu curta bastante. Não tenho dúvidas de que não é recomendado para todos e que seja forte por conta da premissa, mas eu encararia sim. Sua resenha ficou maravilhosa, assim como as fotos <3
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Essa é a terceira resenha que leio dele em menos de um mês, fico cada vez mais curiosa para lê-lo. Ainda não me aventurei por muitos livros de terror e suspense, mas por mais estranho que seja sempre me interessei por histórias de psicopatas.



    Minha Fuga da Realidade

    ResponderExcluir
  3. Oi Stéfani,

    Não se se esse é o caso, mas achei que a temática lembra um pouco Menina Má. E assim como esse último, não sei se é uma leitura que me agradaria. Acho o enredo interessante pelo fato de mostra um caso de psicopatia que surge logo na infância. E acabamos entrando naquela questão se realmente uma pessoa já nasce malvada ou se torna. rsrsrsrs
    Fábrica de Vespas nem tinha me chamado a atenção tinha uma ideia que séria tipo aquele filme que o cara vai se transformando em mosca. rsrsrs
    Não sei se é um livro que leria agora, mas quero dar uma chance.

    Bjs,
    Garotas de Papel

    ResponderExcluir
  4. Olá! =D Eu já tinha lido a sinopse desse livro e, desde já, considerei Frank bastante desequilibrado. Achei ótimo você dizer na resenha que o autor tem uma escrita boa e detalhada que passa ao leitor tudo que o personagem sente durante seus atos, pois, em livros de terror e suspense, isso é ideal para entendermos (ou tentarmos entender) a cabeça de um psicopata como ele. As mortes de animais me incomodam muito, acho repulsivo qualquer tipo de atrocidade contra bichinhos indefesos. E, como você disse, é uma família de loucos, no entanto, achei muito curiosa essa espécie de perseguição de Eric a Frank. Quero ler esse livro logo hahaha Adorei sua resenha, muito bem escrita e detalhada. Beijos.

    thehouseofstorie.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá eu não leio livros de terror e agora fiquei me perguntando se é medo realmente ou se é mais preconceito. Será que com isso eu estou me provando de leituras invrivejs como essa que você mostrou? Me botou pra pensar. Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oi Stéfani. A primeira pessoa que Frank matou foi com cinco anos e ele arquitetou tudo ainda? Caramba cada vez que eu leio mais sobre esse livro fico mais chocada com o horror desse menino. Quero ler e ver se consigo entender o porquê ele é assim.
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oie Stéfani, eu sempre Corri desse genero terror. Nunca vejo os filmes e não me aventuraria ler um Livro. Um filme que comecei a ver quando era criança foi desse bonequinho que usou nas fotos: chuck. E decidi que não veria filmes de terror, não gosto de como ele perturba a minha mente. Um abraço. Eu nunca tinha visitado seu blog e gostei bastante....BJX

    ♥♥♥ Amantes de Jane Austen ♥♥♥ | Amantes de Jane Austen no FB

    ResponderExcluir
  8. Oi Stefani, tudo bem?
    Ao ler a sua resenha não imaginava sobre o que seria o livro e fiquei bastante integrada sobre a história. Adoro histórias de terror e que envolvem psicopatas, porém, por outro lado, sou uma amante incondicional de animais, então é claro que seria muito difícil para mim digerir certas cenas que envolvem o assassinato dos mesmos. Porém, estou bem curiosa! Faz tempo que não leio uma obra de terror que me assuste a esse ponto e acredito que esse livro é uma escolha perfeita para isso. Sem falar que a diagramação está linda demais. Espero ler um dia.

    Beijos! ♥

    ResponderExcluir
  9. Oie!
    confesso que é a primeira resenha que leio desse livro, tanto que não sabia dessa publicação. Um livro que não me interessou e não sei se vou fazer a leitura dele. Vou deixar para um outro momento.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  10. Olá Stefani,
    Não gosto de livros de terror, quase todos me impressionam e assustam ao extremo. Entretanto, confesso que esse livro despertou minha curiosidade. Li Menina Má que tem uma temática parecida, mas não foi como esse, que estamos na mente do personagem. Fiquei fascinada por saber que o livro é ao mesmo tempo odioso e impossível de largar.
    É uma pena que tenha ficado pontas soltas, por que alguns livros são assim, não é?
    Anotei a dica e espero ler quando tiver alguém para dormir comigo rs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Já tinha ouvido falar do livro, mas ainda não tive oportunidade de ler.
    Não é o meu gênero favorito, mas fiquei bem intrigada para saber mais sobre essa mente perturbada de Frank e quais seus segredos. Fiquei com o pé atrás por saber que algumas coisas ficaram sem explicação, mas como você disse é justificável pelo fato de a narrativa ser do ponto de vista do personagem e ele mostrar somente o que convém.
    Adorei saber suas impressões e pretendo ler.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Gente, confesso que fiquei assustada com as atitudes deles... Matar pessoas? Dar minhocas para crianças comerem? Colocar fogo em cachorros? Senhor, eu realmente não ia gostar de conhecer alguém assim... Acho que a solidão, nesse caso, era realmente melhor. Mesmo dando um certo receio e um que de Meu Senhor Amado, eu gostei do livro (o que para mim é algo que não costuma acontecer) e achei o roteiro bem interessante e me despertou a curiosidade de conhecer mais e me ver conhecendo a mente de um psicopata de 16 anos! A DarkSide mais uma vez arrasando como sempre, gostei da resenha e já adicionei a minha lista o livro.
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  13. Oi...
    Bom, olhando para a capa do livro eu já o considero um livro que eu não leria, a capa em si já parece assustadora. Então lendo a sua resenha haha menina voce me deu a certeza que eu tenho é mais que passar longe dele mesmo!
    Sou medrosa demais e se esse livro não é para todos, com certeza, não é para mim.

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  14. Apesar de gostar de terror, leio pouco, mas não por medo de não sentir o medo e tensão que estamos acostumados aos filmes como você. Já conheço o livro, mas o enredo não me atraiu muito. A capa pelo que vi condiz bem com o livro, sem falar que ficou assustadora.
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. Oi Stef, tudo bem?

    Este livro está em minha lista de futuras aquisições e a cada vez que leio algo a respeito de "Fábrica de Vespas" minha admiração aumenta.

    Não tenho nem o que dizer da DarkSide, uma vez que a cada lançamento é demonstrado muito amor pelo que fazem e principalmente competência.

    Sua resenha está muito bem escrita e me cativou bastante!

    ResponderExcluir
  16. Oi Ste
    Adorei sua resenha. Rica em detalhes, mas sem revelar demais.
    Acredito que seja a primeira que leio, mas infelizmente não me interessei. Achei o enredo um pouco estranho. Por outro lado a mente do personagem desperta curiosidade.
    Ainda não desisti de ler, mas no momento não vou arriscar.
    Maravilhosa a edição da Darkside, como sempre.
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  17. Acho que não é o livro para mim...
    Quer dizer, eu sou a mais medrosa das leitoras, mas esse livro parece assustar mais pelo fato de um menino de 9 anos já ter 3 assassinatos na costas do que se fosse um mostro ou alien do mais esquisito. E o fato de ser um livro bem escrito, com cenas fortes, sendo da morte dos animais ou dos sentimentos me deixa com a certeza ainda maior de que não é mesmo para mim. acho que não seria nem um pouco fácil de ler - embora tenha ficado curiosa. Mais ainda com o autor dizer que seu livro é sem graça e ler isso depois da sua resenha que mostra que se isso é sem graça, então o que são os milhares de livros sem emoção que temos por aí?
    Beijinhos,
    Lica
    Amores e Livros

    ResponderExcluir