18 outubro 2016

[Resenha] Seeker - Por Arwen Elys Dayton



Título: Seeker
[A Guerra dos clãs]
Autor (a): Arwen Elys Dayton
Páginas: 416
Editora: Rocco
Skoob || Encontre

Sinopse: Primeiro da trilogia de mesmo nome, que marca a estreia da autora Arwen Elys Dayton na literatura young adult, Seeker – A guerra dos clãs é uma fantasia épica com toques de ficção científica perfeita para fãs de séries como Jogos Vorazes, Divergente e Jovens de Elite. A história gira em torno da jovem Quin Kincaid, treinada para se tornar uma Seeker e lutar ao lado de seus companheiros para proteger os injustiçados, levando luz para um mundo mergulhado na escuridão. Na noite de seu juramento, porém, quando está prestes a honrar seu legado e iniciar sua missão, Quin descobre que ser uma Seeker não é bem o que ela havia imaginado. E mesmo sua família e seu grande amor não são exatamente como ela acreditava. A jornada de Quin Kincaid em busca de sua verdadeira identidade vai começar. Uma saga memorável, protagonizada por uma heroína inesquecível.

Quin e Shinobu são dois adolescentes que passaram suas vidas em uma fazenda no interior da Escócia. Lá eles treinaram desde os seus onze anos para se tornarem o que seriam os últimos Seekers da terra, protetores milenares da humanidade. Os jovens cresceram ouvindo as lendas dos grandes Seekers do passado, onde protegeram inúmeras vidas do mau, mas o jovem John sabe que isso não passa de mentira.

John tem um propósito de vingança desde que sua mãe falecera, e ao chegar a idade de doze anos, ele fora mandado para treinar junto com Quin e Shinobu afim de completar seu treinamento e fazer o juramento dos Seekers. Ele sabe que coisas poderiam afastá-lo de seu propósito, e mesmo contra sua vontade, foi impossível barrar os sentimentos por Quin. O jovem terá que fazer uma escolha, e nem mesmo Quin o impedirá de retomar aquilo que é seu por direito.

"- A leis são simples - continuou -, mas as pessoas que as violam devem ser punidas com a morte. A primeira lei: é proibido a um Seeket tomar o athame de outra família. A segunda lei: é proibido a um Seeker matar outro Seeker, exceto em legítima defesa. Terceira lei: é proibido a um Seeker fazer mal á humanidade." Página 288

O grande dia chegou! Quin, John e Shinobu realizam aquela que seria a última prova para fazer o juramento, mas John falha, ou é isso que Briac Kincaid - pai de Quin e também instrutor - deseja. Seu objetivo sempre fora treinar o menino, mas sua intenção nunca foi de torná-lo um Seeker, e agora John será mandado de volta para Londres de onde ele nunca deveria ter saído.

Quin fica devastada em fazer o juramento sem John, sempre foi seu sonho tê-lo ao seu lado para juntos salvar a humanidade, porém a jovem não tarda a perceber que a ideia é ilusória. Esse pensamento é passado, e hoje ser um Seeker é torna-se uma pessoa gananciosa e fazer aquilo que Briac deseja, e para isso, muitas vidas serão perdidas.

"Antes, acreditava que aquela marca seria um emblema de orgulho, mas agora o significado era complemente diferente. Ela havia sido amaldiçoada." Página 72

Em Londres, John planeja recuperar aquilo que é seu por direto. Com um plano suicida, o jovem toma uma atitude desesperada para se vingar, mas as coisas saem do controle e a vida de Quin e Shinobu mudam para sempre.





Depois de ler vários romances em seguida, eu já estava ansiando por algo diferente, algo que me empolgasse e levasse a outros lugares vivendo novas aventuras, e foi exatamente isso que Seeker me proporcionou. Me deparei com uma estória de fantasia completa, com direito a muita ação e aventura.

O livro é narrado em terceira pessoa pelos pontos de vista de Quin, Shinobu, John e Mauad. Esse tipo de narrativa não é a minha favorita, mas  gostei bastante pois mostrou não somente os protagonistas como também todos os outros personagens e cenários ao redor. A forma como a Arwen escreve é fluída e muito gostosa de acompanhar, o que facilitou muito para que eu tenha gostado do livro. Achei muito engenhoso ela optar por dividir a estória em três partes, vemos Quin, John e Shinobu em seu treinamento pouco tempo antes de fazerem o juramento, para logo depois termos um vislumbre do passado mostrando como foi que chegou ao ponto de crise da estória. E a terceira e última parte, vemos as consequências das escolhas dos personagens num futuro próximo. Essas passagens de tempo foi necessária, de certa forma moldou quem eles de fato são, e a autora soube explorar isso com maestria.


Quin é uma jovem forte e muito determinada. Seu sonho sempre foi ser uma Seeker e proteger toda a humanidade. Fiquei morrendo de dó quando chega o momento que ela descobre que seu sonho era uma farsa, e foi a partir desse ponto que Quin começou a me irritar. Ao ponto que ela é uma personagem extremamente forte, também é fraca por fugir dos seus problemas, e principalmente por achar que seu verdadeiro "eu" foi traçado por algo que ela foi obrigada a fazer. Entendi que ela simplesmente quis esquecer e fugir do passado, que as coisas tornaram-se insuportáveis, mas ela é uma guerreira e como tal tem essa força dentro de si, mas ela simplesmente não enxergar isso. Me irritava profundamente a cada fraquejo da personagem.


Já Shinobu me conquistou logo de cara. Como não amar um garoto oriental ruivo? Ele é primo distante da Quin e tem sentimentos não correspondidos por ela. Fiquei muito frustrada dela não perceber o quanto ele a amava, fora que o jovem se arriscou várias vezes em prol dela. Algo que me incomodou bastante foi o rumo que Shinobu escolheu pra sua vida após algumas decisões que foram tomadas. Assim como Quin, ele foge e toma decisões muito erradas tornando-se um jovem rebelde que procura drogas para esquecer, minha vontade era de jogá-lo na parede e dar uns tapas pra ver se ele acordava e tomava de volta o rumo da sua vida, mas quando as coisas tornam-se complicadas ele vestiu sua capa de guerreiro e foi a luta voltando a ser aquele Shinobu que me conquistou.

Já John foi uma completa incógnita para mim, não gosto nem desgosto dele. Desde o começo percebemos que há muito por trás de sua estadia na fazenda, e percebemos que seu desejo em ser um Seeker é completamente diferente dos seus amigos. Ele mesmo fica dividido entre o que é certo e errado. Basicamente suas atitudes foram guiadas por vingança, era uma sede tão forte que acaba por machucar pessoas que ele ama, não teve limites para seu ódio. A impressão que tive foi de que ele precisava de uma pessoa que o orientasse e falasse que o que ele estava fazendo era errado, era nítido que ele não queria que as coisas tomassem o rumo que tomou, e culpava-se a todo instante pelas coisas darem errado.


Adorei a fantasia criada pela autora. Os Seeker são protetores da humanidade que existem na terra a milhares de anos salvando-os as pessoas sem que elas soubessem. Perceberam alguma semelhança? Pois é, fiquei com a sensação que estávamos falando dos caçadores de sombras, mas a semelhança fica só na designação de "heróis ocultos da humanidade", porque são bem diferentes. Os Seekers usam armas poderosas que ao atingir uma pessoa tem o poder de destruir a mente dela num instante, e cada família possuí um athame (adaga) que permite que os Seekers viagem através das ondas do universo mandando-os para qualquer lugar do mundo. Bem útil não é mesmo? A criação foi bem estruturada, mas confesso que no começo fiquei meio perdida pois nunca tinha ouvido falar de tal coisa, mas aos poucos tudo foi se encaixando e os conceitos foram ficando claros.

A estória é extraordinária, mas não é perfeita. Houve alguns pontos que achei que poderiam ter sido melhores abordados, como o romance entre Quin e John, parecia que foi introduzido só pra ser um problema para ele. Creio que a autora vá explorar isso nos próximos livros visto que esse é só o primeiro volume da trilogia. Outra coisa que queria que tivesse sido melhor abordado, mas não é um problema em si, foram os cenários. O livro se passa em Londres, Escócia e Hong Kong, lugares fantásticos com cenários maravilhosos, mas a autora somente pincelou cada um deles, ou até mesmo só citou os locais, somente Hong Kong teve uma exploração mais a fundo mostrando a parte mais perigosa da cidade, mas do resto pouco tem detalhes.


A edição física do livro está fantástica. As folhas são amareladas e ásperas. As fontes e espaçamentos estão num tamanho ótimo para leitura tornando-a ágil. O exemplar também possuí dois mapas mostrando por onde os personagens percorrem, amo quando as edições trazem eles pois facilitam bastante a noção de localização e espaço na estória. Outra coisa que amei foi a capa onde trás um athame num cenário aberto e montanhoso, poderia muito bem ser na Escócia.

No geral o livro trás uma estória envolvente e empolgante de se ler. Amei acompanhar a trajetória de Quin, John e Shinobu, principalmente por serem adolescentes que foram obrigados a se tornarem adultos com o peso de decisões do passado e de seus antepassados. Tudo foi muito bem estruturado e com certeza já estou doida pela continuação.


Vendo o potencial da livro de estreia de Arwen Elys Dayton, os direitos da obra já foram comprados e uma adaptação cinematográfica já está a caminho. Aguardemos por muita aventura e ação.



 Rocco

16 comentários:

  1. Olá
    Eu gosto muito de fantasia e realmente fiquei curiosa para fazer essa leitura, ainda mais depois de ler seus comentários a respeito. Legal que vem adaptação cinematográfica por ai.. e claro, espero poder ler também! Nao tenho dúvida de que deve ser uma história extraordinária!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que capa linda, né?
    É a primeira vez que vejo o livro e apesar de não me encantar pelo enredo, capaz de eu comprar só pela capa de tão linda. Legal a história ter proporcionado a você algo novo, diferente do que vinha lendo nos últimos tempos. Agora, algo me deixou muito curiosa sobre o personagem, um oriental ruivo.

    ResponderExcluir
  3. Segunda resenha que leio desse livro só hoje e me pegrunto como nunca tive o interesse de ler, a história parece ótima e eu sou uma grande fã de fantasia. Gosto de livros narrados em terceira pessoa, me dão uma visão melhor sobre toda a história. A Aventura dos personagens parece ser bem interessante também.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Hahha como assim um oriental ruivo? Que amor! Eu nunca tinha acompanhado uma história que se passasse na Escócia, é muito bom quando os autores variam e não ficam nesse eterno lance americano. Me identifiquei contigo, depois de um longo tempo de romances a gente precisa mesmo variar ne? Adorei a resenha, me interessou bastante e já entrou na minha lista de metas!

    ResponderExcluir
  5. NOssa, eu ainda não conhecia o livro e já fiquei bem curiosa com ele. Achei o enredo bem diferente e gostei da premissa. Só acho que não se eu pegasse para ler agora, não aproveitaria a leitura como ela merece. Estou num momento de ler romance e thriller, mas a obra me parece ser bem construída e acho que a leitura deve ser maravilhosa.

    ResponderExcluir
  6. Oi Stefani,

    Atualmente estou lendo esse livro e até agora o que tem me cativado é o universo. A Quin e o John realmente não me atrairam ainda como casal, mas vai ver é isso ai, a autora ainda vai desenvolve-los melhor nos próximos volumes. Eu amo fantasias e to muito ansiosa para ler, sério, haha, espero poder terminá-lo ainda essa semana. <3


    beijos!

    ResponderExcluir
  7. Eu fiquei muito feliz por esse livro ser o que você precisava: um livro diferente e com muitas aventuras. Gostei de ver um.pouco de suas impressões da obra, pois eu não conhecia ela antes. Vou anotar a dica com certeza. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oie, tudo bem? Eu ainda não conhecia o livro mas achei sua premissa bem interessante até mesmo porque amo fantasia e adorei essa pegada do livro que me pareceu cheia de aventuras. A única coisa que não curto muito foi a capa. Mas aquele ditado não devemos julgar o livro pela capa é verdade!!! Rsrs
    Dica anotada
    Bj

    ResponderExcluir
  9. Olá Stéfani,
    Ainda não conhecia esse livro, mas achei a premissa bem interessante e gostei muito da forma como Quin parece ter sido construída. É uma pena que a autora tenha incluído esse romance que parece ser injustificável.
    Apesar disso, a história parece ter sido bem construída e interessante e a edição parece estar linda.
    Vou anotar a dica, com certeza.
    Beijos,
    Um Oceano de Histórias

    ResponderExcluir
  10. Oie!
    Eu comprei o livro e estou aguardando a chegada do meu exmeplar. Estou bem curiosa para conferir essa trama, e acredito que vou gostar bastante da história.
    E pelo que pude notar a edição está muito bonita. Gostei da dica.
    bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  11. Oi, não conhecia esse livro e confesso que não curto nada leitura em terceira pessoa assim como você... Então esse já é um ponto negativo para mim, mesmo que você tenha curtido e tenha sido algo bom no final... Mas voltando a história achei algo bem inovador e diferente, gostei de quase tudo, mas o fato do romance ser praticamente injustificável é algo que me deixa triste, porque adoro romances em história... Não sei se eu leria nesse momento, mas deu para perceber que é uma excelente história, marcada por escolhas, magoas e lições. Se eu tiver a oportunidade darei uma chance por tudo que você falou, mas não é uma das minhas preferencias no momento!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  12. Já me conquistou quando disse que era um fantasia com a guerra de clãs, e ainda por cima um quê de ficção científica. Para mim não precisa de mais nada!!! A única pena que seja um trilogia, mas vou querer ler de qualquer forma.
    Bjs

    ResponderExcluir
  13. Olá,

    É a primeira vez que ouço falar nesse livro. Mesmo gostando de fantasias, não tenho o hábito de ler muitas, porém o que me chamou a atenção nesse livro é que ele se passa na Escócia, e nunca li nada sobre o país. Fiquei bem empolgada para conhecer o país e a história, espero fazê-lo em breve e aproveitar bastante a leitura.

    Beijos,
    entreoculoselivros.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu não conhecia o livro, mas só pela sua resenha deu para ver como a história é interessante e envolvente. Não sou muito de ler fantasia,mas de vez em quando gosto de mudar para não enjoar dos gêneros que realmente gosto.
    Vou anotar a sua dica para uma leitura próxima.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bem?

    Não conhecia a obra ainda. Me pareceu ser uma leitura de tirar o fôlego.

    Não me adapto bem com leituras assim, mas mesmo assim me arrisco (kkk)

    Fiquei muito feliz por você ter encontrado o que procurava. Vou anotar a dica (:

    ResponderExcluir
  16. Não só parece ser algo para os fãs de Jogos Vorazes e afins, como tem exatamente esse formato para agradar esses fãs com uma história "nova" para esse público.

    Grande abraço.


    Leonardo Lagassi,
    Plataforma 9¾

    ResponderExcluir