27 setembro 2016

[Fale♥17] Setembro amarelo - Sua vida tem valor



Em setembro, mais precisamente dia 10, é comemorado o Setembro Amarelo. Consiste numa campanha de conscientização e prevenção contra ao suicídio. Dados do OMS (Órgão Mundial da Saúde) mostram que 90% dos casos de suicídio poderiam ser evitados, mas infelizmente nossa sociedade leva isso muito levianamente. Ainda existe a crença que medo, pressão e depressão é "frescura" de quem sente, e não doença. Por esses pensamentos errôneos que a taxa de suicídios é alta, e quem pode ajudar a evitar, se vê tarde de mais pra fazer algo.

Não estou trazendo esse assunto aqui para o blog a toa. Eu nunca tive depressão, ou pensamentos de morte, mas minha mãe teve, e graças a Deus com ajuda médica hoje se encontra bem e saudável. Devido uma doença ela entrou numa depressão profunda onde só tinha vontade de comer e dormir. Mesmo sendo jovem ainda me lembro da mulher forte que sempre foi se tornando uma sombra do passado. Ela teve forças para se levantar e procurar ajuda, mas vemos que nem todos os casos são assim. Hoje quando conversamos ela me diz que na época as pessoas diziam que era frescura dela, que isso era falta do que fazer (isso mesmo estando doente). Pessoas próximas que poderiam ajudá-la a sair do buraco, foram as primeiras a julgar.

As vezes essas palavras são o que uma pessoas nessa situação precisa para tirar a própria vida. "Por que viver, se ninguém sentirá a minha falta?", esse foi o principal pensamento que ela tinha quando escutava que era "frescura" sua situação. A única coisa que a impediu fazer isso foi o fato de ter a mim e meu irmão.

Por isso acho extremamente importante essa campanha. A sociedade leve na brincadeira algo que é muito serio e que muda a vida de todos que estão ao seu redor. Não é só a vida da pessoa que está em jogo, eu era uma criança quando minha mãe teve depressão, mas imaginem como eu teria crescido diferente sem ela e com o pensamento que a pessoa que era para me proteger tirou a própria vida, dizer que hoje eu seria uma pessoa traumatizada seria pouco.

Também fico muito feliz em ver que o assunto vem sido tratado constantemente em filmes, séries e nos nossos amados livros. É uma forma de conscientização pois vemos o lado emocional daquilo que aflige tantas pessoas. Como já li alguns livros sobre o assunto, gostaria de indicá-los. São obras de personagens que cometeram suicídios, mostrando suas causas e o que os levaram a isso, como também tem indicações de personagens que foram afetados e como fizeram para seguir em frente.






O Último Adeus - Por Cynthia Hand

O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.








Os 13 porquês - Por Jey Asher

Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.















Por lugares incríveis - Por Jennifer Niven

Violet Markey tinha uma vida perfeita, mas todos os seus planos deixam de fazer sentido quando ela e a irmã sofrem um acidente de carro e apenas Violet sobrevive. Sentindo-se culpada pelo que aconteceu, Violet se afasta de todos e tenta descobrir como seguir em frente. Theodore Finch é o esquisito da escola, perseguido pelos valentões e obrigado a lidar com longos períodos de depressão, o pai violento e a apatia do resto da família.
Enquanto Violet conta os dias para o fim das aulas, quando poderá ir embora da cidadezinha onde mora, Finch pesquisa diferentes métodos de suicídio e imagina se conseguiria levar algum deles adiante. Em uma dessas tentativas, ele vai parar no alto da torre da escola e, para sua surpresa, encontra Violet, também prestes a pular. Um ajuda o outro a sair dali, e essa dupla improvável se une para fazer um trabalho de geografia: visitar os lugares incríveis do estado onde moram. Nessas andanças, Finch encontra em Violet alguém com quem finalmente pode ser ele mesmo, e a garota para de contar os dias e passa a vivê-los.








A Lista Negra - Por Jennifer Brown

E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas. A lista negra, de Jennifer Brown, é um romance instigante, que toca o leitor; leitura obrigatória, profunda e comovente. Um livro sobre bullying praticado dentro das escolas que provoca reflexões sobre as atitudes, responsabilidades e, principalmente, sobre o comportamento humano. Enfim, uma bela história sobre auto-conhecimento e o perdão.








Sr. Daniels - Por Brittainy C. Cherry

Depois de perder a irmã gêmea para a leucemia, Ashlyn Jennings vê sua vida mudar completamente. Além de ter de aprender a conviver sem parte de si mesma, ela precisa se adaptar a uma nova rotina. Enviada pela mãe para a casa do pai, com quem mal conviveu até então, ela viaja de trem para Edgewood, Wisconsin, carregando poucos pertences, muitas lembranças e uma caixa misteriosa deixada pela irmã.
Na estação de trem Ashlyn conhece o músico Daniel, um rapaz lindo e gentil, e a atração é imediata. Os dois compartilham não só o amor pela música e por William Shakespeare mas também a dor provocada por perdas irreparáveis. Ao sentir-se esperançosa quanto a sua nova vida, Ashlyn começa o ano letivo na escola onde o pai é diretor. E não consegue acreditar quando descobre, no primeiro dia de aula, que Daniel, o belo músico de olhos azuis com quem já está completamente envolvida, é o Sr. Daniels, seu professor de inglês.
Desorientados, eles precisam manter seu amor em segredo, e são forçados a se ver como dois desconhecidos na escola. E, como se isso já não fosse difícil o bastante, eles ainda precisam tentar de todas as formas superar os antigos problemas e sobreviver a novos e inesperados conflitos.


Isso fez parte do meu passado, mas infelizmente faz parte do presente de muitas pessoas. Fiquem atentos aos sinais de pessoas próximas a vocês quando dizem que estão triste constantemente, ou que desejam morrer. Não leve isso de forma leviana, as vezes aquilo que você disser pode ser o incentivo que ela precisa para ir adiante com essa tragédia. Conversar, incentivar superar, fazê-la sorrir, é bem melhor que palavras de destruição. Pois a vida tem valor.

Um comentário:

  1. Olá, Sté. Esse mês é muito importante para nós nos sentirmos vivos e ajudar aquelas pessoas que estão passando por algum tipo de problema. Eu já li Sr. Daniels e fiquei abismada com o suicídio abordado já que eu não esperava que tivesse isso no enredo. Eu quero muito ler Por Lugares Incríveis, me parece ser um ótimo livro, encantador e cativante.
    Beijo, Visite o Leitora Encantada

    ResponderExcluir