08 setembro 2016

[Claquete 16] Filme - O Super Macho



Título: O Super Macho
Título Original: Homo Eroticus
Lançamento: 15 de setembro de 1971
Duração: 1h49min
Diretor(a): Marco Vicario
Gênero: Comédia Maliciosa

Sinopse: O jovem siciliano Michele Cannerita chega a Bergamo fugindo de uma vingança por "rapto de menor com violência carnal" (?). Emprega-se como camareiro na casa de uma família rica. Acaba ficando conhecido entre as senhoras da alta sociedade, dada a sua hiper sexualidade, fruto de um certo detalhe de sua anatomia. E aí começa a corrida pra elas descobrirem o "segredo" de Michele.


Hey hey lindos, lindas e lindes frequentadores do blog, mais uma vez a dama teimosa, ou seja, euzinha Lady Trotsky, trazendo mais um post diferenciado para vocês. Sim, vocês já devem ter visto o título e a sinopse e estão se perguntando o que diabos é isso. Antes, porém, vou deixar uma coisa bem clara: é a minha opinião e interpretação sobre o filme. Ninguém precisa concordar e pode até deixar uma opinião diferente nos comentários caso deseje.

Lembram da postagem Lando Buzzanca - Feliz Aniversário. Bem, é um dos muitos filmes em que ele atuou e um da fase "pornochanchada" (termo usado aqui no Brasil para comédias com um cunho mais adulto). Por sinal, esse foi o maior sucesso do Buzzanca aqui e inspirou, anos depois, a comédia O homem de Itu (1978). (Se alguém aqui entendeu a referência, tá de parabéns.)



Só que as "comédias eróticas" italianas são absurdamente mais quentes e sensuais embora a quantidade de nudez e sexo seja bem abaixo do que se vê hoje. E nesse filme elas são bem poucas, já que o lado conquistador do protagonista vem lá perto da primeira hora. Inclusive é surpreendente como ele consegue ser sexy e charmoso sem precisar apelar demais para cenas vulgares. Ajuda que o ator principal é estupendamente bom no papel de Michele Cannerita, o protagonista até certo ponto um tanto dúbio de caráter, mas que faz o coração da mulherada disparar só com um olhar. (Tipo de personagem, com incontáveis variações de caráter e intensidade, incluindo até um padre e um monge, que seria recorrente na carreira do Lando Buzzanca por pelo menos alguns anos.)

O filme é uma comédia, portanto, não se pode levar nada a sério nesse caso. Digo isso porque algumas coisas comuns naquele tempo ferem a sensibilidade de muita gente atual. Por exemplo, o fato de que as mulheres da "high society" de Bergamo fazem de tudo e mais um pouco para levar Michele aos seus lençóis. E todas elas tem um caráter duvidoso, ou pelo menos foi isso que o diretor tentou passar, já que o desenvolvimento de personagens aqui não é tão extenso dada a quantia de gente que aparece. Embora consigamos ver claramente como eles são mesmo que apenas uma ou duas cenas apareçam nesse ponto.

Ou o fato que os cientistas estudam o personagem como uma espécie que claramente não existe e cujo nome científico é uma senhora piada. Se vocês notaram os três "ós" no título original, talvez percebam qual o chiste. Que é algo da vida real, mas não a loucura desproporcional que o filme mostra. Inclusive é um erro científico crasso, mas como é comédia, não precisa fazer sentido. Inclusive a cena do congresso tem direito a "paquerinha gay", uma cena hilária onde o professor Godet examina manualmente e depois olha com interesse demais pra um certo ponto (e deixa o Michele com aquela cara de quem não sabe o que fazer e de quem tá claramente incomodado com isso):


Apesar do filme ficar batendo na tecla do "segredo" do Michele durante toda a projeção, inclusive com um sem número de metáforas sexuais, uma festança para quem é mente suja, existe um motivo para isso acontecer. O cinema italiano estava passando pela época em que a maior parte dos filmes, não interessava o gênero, fazia umas críticas bem sérias e até mesmo pesadíssimas ao conservadorismo moral e religioso da Itália e ao machismo presente na sociedade da época. (E ainda hoje, tão ruim quanto.) É aqui que eu entro em desenvolver melhor o que eu interpretei do filme, pois já deixei bem claro que adorei muito essa produção.

Primeiro: o machismo não afeta só as mulheres. Os homens também sofrem com isso tanto quanto. E o filme, aliás, o diretor, faz questão de jogar na nossa cara desde o primeiro momento que o Michele nada mais é que um brinquedinho erótico para acabar com o tédio das ricaças de Bergamo. E ele não parece muito incomodado com isso, já que basicamente ele toca o terror na cidade depois que o médico diz a ele para não se abster. (Acreditem, isso tá no filme.) E se aproveita do "talento inato" dele para subir na vida. Inclusive tem uma sequência de pouco mais de um minuto e meio em que ele anda pela cidade e beija umas quantas. Até que, perto do fim do filme, uma dessas incursões dá extremamente errado e ele acaba sofrendo as consequências, nada menos que devastadoras. (Spoiler, por isso sem mais.)

Segunda: os maridos de pelo menos três das mulheres seduzidas pela "potência siciliana" querem mais é ver o circo pegar fogo e tão se lixando para o fato de que são chifrudos. Inclusive um deles, o Achille, tem pelo menos três interpretações possíveis: ou ele é impotente, ou é bissexual ou é homossexual. (Na minha opinião a segunda e a terceira são mais prováveis, dado que a cena onde ele espiona a mulher dele, Coco, ficando com o empregado pela primeira vez deixa bem claro que ele tá adorando a situação e possivelmente tá de olho mais no Michele que na esposa, que é muito linda e bem mais nova que ele.)


Terceira: Vocês notaram a minha interrogação lá na sinopse? Se notaram, agora posso explicar.
Como certamente vocês sabem, existe uma gigantesca polêmica em cima do assunto "sexo na adolescência". E uma pior ainda no que diz respeito a "abuso de menor" e "consentimento sexual". Por que estou dizendo isso? Porque há uma sequência em que o Michele leva uma das personagens, a Concetta, para dar um passeio e os dois acabam "ficando".

Uma cena apenas implicada, nunca mostrada embora a gente veja o rosto dela. Só que ele tem trinta anos e ela dezesseis. E a atriz, na época, tinha de de fato essa idade quanto atuou nessa película, mas ela não fez nenhuma cena comprometedora nem nada parecido. O que podemos dizer disso? Há duas interpretações possíveis dessa cena: ou o Michele realmente abusou da menina ou ela consentiu, mas se sentiu culpada demais para admitir que realmente queria fazer com ele.

No entanto, considerando que é uma comédia e que o filme faz umas críticas sérias a respeito dos costumes e hábitos da sociedade italiana, pode-se seriamente interpretar que ela se sentiu profundamente culpada depois de ter feito isso. Porque ela tem um pai rígido e conservador no que diz respeito à filha ser virgem e pura. (Mas na verdade ele é outro cujo caráter é bem duvidoso. Inclusive ele é metido com mafiosos.) E claro, ela foi criada dentro de uma família tipicamente italiana católica, o que piora consideravelmente o complexo de culpa da Concetta com relação a ela ter perdido a virgindade com um cara bem mais velho. (Isso soa familiar?)

Portanto, esse é um filme do qual dá para tirar inúmeras interpretações se você observa de um modo mais profundo e crítico. Claro que isso vai de cada um que quiser assistir. Mesmo assim, recomendo para quem quiser conhecer melhor o cinema cômico italiano e suas incursões críticas.


20 comentários:

  1. Olá
    Não conhecia esse livro, mas adorei poder conferir seus comentários por aqui e confesso que bateu aquela curiosidade. O post é mesmo diferenciado e eu adorei os destaques que você apresentou, e me fez questionar algumas coisas sobre as interpretações. Quem sabe eu possa conferir também!
    Beijos, Fer
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Moça,
    Nunca tinha visto nada do gênero, mas gostei e vou pesquisar mais. Gostei dos três pontos que você deu ressalvas, deixou a resenha mais minimalista (opinião minha), vou procurar assistir.
    Beijos, Lari
    Segredosdeumacerejeira.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar do gênero "comédia maliciosa", embora já tenha assistido a milhares de filmes que se encaixzem muito bem nele. Ainda não conhecia este filme e anotei a dica para assistir quando quiser relaxar e dar risada!!!
    Valeu pela dica!!
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!! :)

    Eu não conhecia o filme nem nunca vi nada do género... Que bom que gsotaste! :) Adorei ler a tua opinião...

    Contudo, não verei porque não faz nada o meu género... e também não sou muito desses filmes com varias interpretações :)

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  5. Olá amore,
    Não curto muito assistir não... de vez em quando eu paro pra ver algum filme que esteja passando... ou algum que tenha visto uma dica e tenha me chamado muitooo a atenção.
    Adoreiiii sua “resenha” muito gostosa de ler.
    Mas, não curti o filme não pra ser sincera.

    Beijokas!
    www.facesdeumacapa.com.br

    ResponderExcluir
  6. Mas, gente, que isso? Hahahaha. Eu não sei o que me "chocou" mais. Sua análise tão aprofundada dos comportamentos dos personagens ou o enredo do filme em si. Interessante como uma comédia como essa pode trazer tantos elementos a serem refletidos numa releitura com o que vivemos hoje. Parabéns pela análise, flor. Eu confesso que não pretendo assistir ao filme, mas conte comigo para ler suas resenhas cinematográficas. Você se provou muito cuidadosa com os detalhes.

    Beijos!
    http://www.myqueenside.com.br

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia o filme, mas fiquei MUITO curiosa pra ler!
    Além de adorar comédias, saber que há críticas no filme pra serem refletidas dá vontade de assistir logo (só falta achar tempo pra isso, HAHA).
    Sua resenha ficou maravilhosa, falou detalhadamente e adorei isso! Parabéns <3

    Virando Amor

    ResponderExcluir
  8. Olá,
    Quanta informação em um só filme!
    Embora não me chame a atenção nem aguce minha curiosidade, os temas abordados são bem interessantes. Adorei a parte que você diz que um dos maridos não tá nem ligando para o fato de ser chifrudo ou não, mas sim tá de olhão em quem está tomando sua esposa kkkkk e você ainda enfatiza que ela é bonita e bem mais nova.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá Renata,
    Ainda não conhecia o filme - não sei se vivi debaixo de uma pedra todo esse tempo, mas não conhecia. Achei a premissa do filme bem interessante e ele traz, mesmo, inúmeras interpretações. Mas, prefiro a primeira. Não é de hoje que penso que o machismo atinge a todos e gostei de saber que isso foi trabalhado nesse filme.
    Vou anotar a dica, pois acho que vou curtir muito.
    Beijos,
    http://mileumdiasparaler.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Uau, é muita coisa para se reparar, parece aquele tipo de filme que a gente tem que assistir mais de uma vez para pegar todos os detalhes. Amo filmes (e livros) que permitem essa análise da sociedade e do contexto espacial/temporal em que se inserem, adorei a sugestão, vai pra listinha!
    Xoxo,

    Luana do lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia o filme é apesar dos pontos positivos que você levantou e que eu entendi e acho que está de acordo com o enredo, não fiquei tentada a ver.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  12. Hi baby, tudo bem? sou simplesmente apaixonada pelo cinema Italiano, mesmo não tendo visto tantos filmes italianos assim, mas pretendo! esse eu não conhecia mas quero assistir com toda certeza, gosto do gênero e adorei sua resenha por causa da fluidez da sua escrita! obrigada pela dica ;)

    Lilian Valentim
    http://speakcinema.blogspot.com.br/
    beijinhos

    ResponderExcluir
  13. Olá ♥
    Bom, eu não conhecia o gênero, mas parece ser algo bem interessante. Confesso que não me senti atraída em momento nenhum por mais que a premissa em si seja muito legal, adorei os temas abordados.Adorei sua resenha, pois foi bem escrita e desperta a nossa curiosidade, quem sabe um dia eu dou uma chance né? Por que temos que ampliar nossos horizontes.

    ResponderExcluir
  14. Eu não lembro onde ouvi falar desse título, mas confesso que não sabia nem do que se tratava. Tenho lá meu pé atrás com filme europeu, na real acho que a gente é tão bombardeado por lixo americano que não sabe gostar de arte de verdade, de filme com crítica e tudo mais.

    Não sei se eu veria, mas gostei de conhecer através da sua resenha. Já me sinto um pouco mais "conhecedora de arte" haha

    Tiffannyk
    Paraíso Literário
    Bjs

    ResponderExcluir
  15. fiquei bem curiosa pra assistir, eu curto pornochanchada e se esse filme tem uma pegada no gênero, já sei que vou gostar... sendo mais italiano,tô meio que familiarizada com o humor crítico deles...
    bjs ^^

    ResponderExcluir
  16. Olá, que filme diferente, adoro filmes antigos e ainda quando não são hollyodianos melhor ainda, temos tirar o foco tanto do cinema dos EUA, tanta coisa boa espalhada por ai.
    Mas enfim, sobre o filme, eu achei o tema tratado um tanto quando curioso, e quero assistir para tirar minha própria opnião sobre o que foi tratado no filme, adoro essas dicas diferentes de filme, continue assim, bjs

    ResponderExcluir
  17. Oi, tudo bem?

    Estou sem saber o que pensar desse filme. hahaha A trama e tudo mais é bem diferente de tudo que eu já vi e não tenho certeza se isso é bom ou ruim.
    A sua resenha minimalista me deu boa noção da trama e dos momentos de humor, e até conseguir rir imaginando algumas cenas. Confesso que achei a trama um tanto peculiar.
    Bem, não seria esse um filme que assistiria agora, mas gostei de conhecê-lo. Obrigada pela dica.

    Ingrid Cristina
    Plataforma 9 3/4

    ResponderExcluir
  18. Menina, adoro esses filminhos antigos! E esse eu não conhecia. Adorei o trailer. Os penteados e os cortes de cabelo bem anos 70. Parece-me um filme bem movimentado, fiquei morrendo de curiosidade para assisti-lo. Fui até conferir se tem na Netflix, mas não tem. Mas vou ver se acho para assistir no fim de semana. Adorei a dica!

    Tatiana

    ResponderExcluir
  19. Oi gente, como estão? Passei aqui para dizer que estou extremamente grata pelos comentários com relação ao meu review desse filme que acabou me conquistando assim como o seu ator principal! Sério, pessoas, vocês não tem noção da minha felicidade em ler cada comentário que vocês fizeram.
    Pretendo trazer mais um filme desse ator para o blog e já adianto que esse é ainda mais crítico que esse primeiro. E me fez ficar muito ressentida com uma parte da humanidade.

    ResponderExcluir
  20. Prezada Lady. Parabéns pela resenha do filme ! Uma leitura agradável e objetiva , revelando as nuances psicológicas dos personagens dentro de uma contextualização temporal. Com certeza contribuiu para aumentar o interesse sobre o filme. Um abraço.

    ResponderExcluir