27 maio 2016

[Resenha] O que há de estranho em mim - Por Gayle Forman

Título: O que há de estranho em mim
Autor (a): Gayle Forman
Páginas: 224
Editora: Arqueiro
Skoob || Encontre
4 ESTRELAS
Sinopse: Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade.
Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão.
Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.


Brit uma adolescente normal, de 16 anos, que se vê e se sente traída pelo pai, após ser internada em uma instituição, que promete “reabilitar adolescente rebeldes, os tornando pessoas de uma boa índole e extremamente educados e respeitosos”. Porém, a Red Rock esconde muitos métodos falhos que usam com seus internos.

"Era para ser uma viagem até o Grand Canyon, uma viagem que eu nem queria fazer. Em pleno verão, faz tipo uns 2 mil graus naquele deserto – dificilmente conseguiria sobreviver a um calor desses mais dois dias inteiros dentro de m carro com meu pai e minha madrasta, a Monstra, que adora pegar no meu pé. Uma hora implica com meu com o meu cabelo: cor-de-rosa com mechas pretas ou preto com mechas cor-de-rosa, dependendo da perspectiva. Outra hora são as minhas tatuagens: uma braçadeira celta, uma coroa de margaridas no tornozelo e um coração num lugar onde a Monstra nunca vai ver. E sempre diz que sou má influência para o meu meio-irmão Billy – que não passa de um bebê, caramba, e provavelmente acha que minhas tatuagens são simples desenhos, se é que repara nelas."
Capítulo 01

Logo ao chegar no lugar e saber das regras, Brit decidi que não irá dedurar ninguém, para ser beneficiar, pois acha tudo aquilo extremamente ruim, além de métodos como xingar outras internas e até humilhá-las para fazer elas chorarem. Para Brit isso não é uma forma terapêutica de fazer alguém melhorar. Com o passar do tempo V, uma interna nível 6, começa a ajudar Brit a passar para outros níveis. Logo se junta a ela Bebe uma menina que foi internada pela mãe por ser “ninfomaníaca”.; Martha internada com o objetivo de emagrecer; Cassie internada com o intuito de deixar a homossexualidade.

A amizade e cumplicidade das meninas cresce, em função de todas viverem naquele lugar horrível, tendo de seguirem regras estupidas e sendo submetidas a tratamentos totalmente insanos. O objetivo das amigas é se livrar daquele lugar e mostrar que elas não são aberrações, mas sim apenas pessoas diferentes e apenas adolescentes.




Sinceramente nem estava dando nada pra obra, por ser um dos livros que comprei enquanto corria loucamente pela livraria Cultura de SP. Mas o peguei, pois queria ler algo da Gayle. E confesso que me surpreendi bastante. Apesar de ser um livro um pouco juvenil de mais, afinal é uma das histórias "sessão da tarde". Como o livro é narrado por sua protagonista, ele relata muito o lado de uma adolescente "rebelde", que acredita que o mundo está todo contra ele.


Se você parar pra pensar, a princípio parece bem bobo, mas vamos levar em consideração que quando temos 16 anos, somos meio inconsequentes e revoltados. A Brit não é diferente, mas a menina se encontra em uma situação onde se sente abandonada por todos, traída pelo pai, que se deixou levar pelas influências da madrasta e a colocou naquele lugar, como disse outrora.Imagine se você nessa situação. Apesar das meninas da escola ajudarem bastante no requisito distração, quando está só Brit tem que lidar com si mesma e com seu medo de enlouquecer como a mãe.

No início a história de Brit fica meio embaçada, em função da história de sua mãe ser confusa e dar a entender que sua mãe morreu ou que está viva, mas o tempo todo é claro que, sua mãe era portadora de problemas psicológicos e que se pai não a internou, pois acreditava que ela iria melhorar.
Isso também vem a justificar o porque ele colocou a filha no internato.


O que transforma esse drama adolescente interessante, são os diálogos entre a protagonista e as outras internas, que de fato, faz toda a diferença. Bebe, a ninfomaníaca do grupo é filha de uma atriz de novelas famosa, em minha opinião ela é a mais engraçada, por ser uma pessoa que viaja totalmente, para vocês terem noção, ela conseguiu "transar" com um cara por carta. Detalhe, essas cartas são escritas como se fosse para um ente da família, já que as internas não podem  mandar cartas a pessoas sem elo familiar; então imaginem como ela fez isso tudo parecer como se estivesse falando sobre seu tio, com sua mãe.

Uma das partes fofas do livro é o romance entre Brit e Jed, que toca na mesma banda que Brit. Como ela foi levada pro internato, sem saber, ela não pode se despedir, então as pessoas ficaram bem bravas com seu pai. E quando seu pai contou por carta, que Jed tinha se preocupado, Brit fica extremamente feliz. Pois já havia um tempo que ela gostava dele secretamente, nem tanto, eu diria.


Apesar de na Red Rock ter o Xerife, que é como um diretor/ terapeuta/ conselheiro do lugar, ser um boçal e a Dra. Clayton ser estúpida e arrogante, as "irmãs insanas" (nome dado ao grupo de amigas) mostram que não importa o lugar e a situação que você esteja, sempre vai ter alguém que vai tentar te dar uma forcinha, nem que seja mínima.

Um dos "esportes" FAVORITOS de Xerife e Clayton é tentar fazer Brit chorar, de diversas formas e tentarem a todos custo fazer com que ela fale sobre a mãe. Essa parte eu confesso que me coloquei muito no lugar da personagem e senti muita raiva/tristeza. Eu até acredito que este livro, mereça uma 4ª estrela, por eu ter me identificado bastante, pois me fez lembrar meus 16 anos e meus conflitos internos, que no caso da Brit são muitos. Mas dei apenas 3 por eu ter dado expectativa de mais e acabado me decepcionando um pouco no fim do desenrolar. Mas super recomendo, pra quem quer ler algo da Gayle, e quem quer ler algo amizade e cumplicidade, pois no livro há muito, e apesar de algumas brincadeiras mais rudes, as amigas se ajudam pra caramba, o que torna o livro bem bonito, apesar de todo o cenário cruel da Red Rock.

Bom pessoal, espero que vocês tenham gostado dessa minha primeira resenha no Blog.
Beijos de luz.

16 comentários:

  1. Já ouvi uma opinião semelhante a esse livro: não é tudo aquilo que eu esperava. Eu até queria ler no começo mas eu tenho muita raiva quando vejo pais negligenciando seus filhos, ainda mais por causa de madrasta/padastro, por isso desisti.
    Um abraço!
    O Reino Encantado de uma Leitora

    ResponderExcluir
  2. Eu sou apaixonada por essa capa, e tenho muita vontade de ler o livro. De qualquer maneira, não tenho muitas expectativas, então acho que não vou me dececpionar quando for ler . Fiquei curiosa sobre o romance, deve ser bem fofo mesmo.
    Adorei sua resenha!
    Beijos, Fer

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Eu nunca li nada da autora, mas tenho muita vontade. Preciso confessar que esse livro não me chama muito a atenção, apesar de sua resenha ter me deixado curiosa sobre ele. Talvez eu dê uma chance mais para a frente.
    Ótima resenha!
    Beijo grande!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caso queira ler um livro da autora, super recomendo "Se eu ficar " é um dos livros bem famosos dela, que virou filme e é ótimo

      Excluir
  4. Oi Kelly, tudo bem?
    Eu li esse livro para conhecer a escrita da Gayle, não foi nada surpreendente, mas ainda assim a história me prendeu, acho que devido a mensagem que o livro passou. Houve uma falta de comunicação entre pai e filha (o que é muito comum nessa idade) agravado pelo passado da mãe. Os métodos de terapia adotados na escola não poderiam ser os piores, em nada ajudaria nenhuma das internas, mas ainda bem que acharam na amizade um abrigo, mas serve de aleta que o diálogo aberto é a melhor saída para resolver alguns problemas na adolescência. Enfim, achei a leitura válida e assim como você me imaginava com 16 anos lendo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Esse livro divide muito as opiniões. Eu ainda não li mas tenho uma certa curiosidade com ele. Não vou ler cheia de expectativas pelos pontos negativos que já vi, mas vou ler com vontade e esperando não me decepcionar com a história. Gostei da sua resenha sincera e de saber sua impressão sobre a obra.

    ResponderExcluir
  6. Oi!
    Só conhecia o livro pela capa, mas nunca tive curiosidade porque fico meio receosa com os livros da autora. Gostei bastante de conhecer mais sobre essa obra, parece ser bem instigante ler e revoltante também. Entendo o pai da protagonista, mas ao mesmo tempo fico com raiva. Não sei se me agradaria o começo do livro, mesmo tendo passado por essa fase de "revolta". Fiquei curiosa pra ler a carta da Bebe! kkkk
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Acho que pela variedade de opniões a respeito desse livro fico com um pé atrás sobre ler ou não. A premissa é boa, mas parece que é o tipo de história pra ler com as expectativas lá em baixo pra não se decepcionar. A resenha ficou ótima!

    xx Carol
    http://caverna-literaria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Oi!

    Esse livro me chama muito a atenção, mas ainda não é o momento que eu o pegarei pra ler. Mas a verdade é que várias resenhas que li, exaltam os diálogos e a construção. Eu espero muito gostar, porque é algo que eu prezo muito. Adorei a sua resenha, espero gostar como você, mesmo você tendo se decepcionado um pouco <3

    ResponderExcluir
  9. Ola, tudo bom?
    Nunca tinha visto esse livro, amo os livros da Gayle Forman, e pretendo ler esse daqui algum tempo. Sua resenha ficou otima, parabéns.
    Abraços!!

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Eu acho a premissa desse livro bem interessante, principalmente pelo fato de ser um colégio interno super 'problemático' e seus pais não ligarem nem um pouco para o que sua filha está passando lá.
    Mas Gayle Forman, essa dai não entra na minha estante hahahaha. Já li um livro dela e comecei um segundo e gente que decepção, nada aconteceu no livro e por isso não leio mais nada dela.
    Não é uma autora que funcione pra mim, mas sempre fica a dica anotada, mesmo que não tenha sido uma leitura 5 estrelas pra vc

    ResponderExcluir
  11. Oii, tudo bem?
    Eu sempre vi muitas resenhas desse livro e a opinião de todos é bem dividida. Eu fico feliz que tenha gostado da leitura, apesar dos contras no livro. Eu acredito que iria gostar desse livro, pois gosto muito de historia que envolvam amizade.

    ResponderExcluir
  12. Oi.
    Tudo bom?
    Acredita que até hoje não li nada da autora? Eu acho que essa história apesar de ser juvenil é bem forte, imagina você ser levado por alguém que devia lhe proteger para um local desses?? Também ficaria me sentindo traída, mas mesmo o livro não tendo superado suas expectativas eu fiquei curiosa com a trama e quero saber os pormenores.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Olá!

    Minha resenhista amou esse livro. Ela viu ele com outros olhos! Me contou que ele fala sobre o abandono e da podridão dessas casas de "recuperação". Uma ficção com "jornalismo denuncia", já que ela tem um parente que passou por algo parecido.

    Bjus
    Blog Fundo Falso

    ResponderExcluir
  14. Oi
    Estou louca para ler esse livro.
    A temática forte e as personagens são o que mais chamam minha atenção. Confesso que estou me preparando psicologicamente para tudo o que há de vir, mas sei que vale a pena ler.
    Muito bom quando uma obra que não damos muita atenção nos surpreende.
    Adorei as fotos e a resenha <3
    Beijinhos
    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  15. Oi Kelly, eu morro de vontade de ler esse livro, já li algumas obras da Gayle e me apaixonei, e esse livro por ter um assunto mais pesado e sério, acredito que irá me cativar também. Fico feliz em ver que você se surpreendeu com o livro e que gostou, isso me anima bastante!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir